Como tudo começou – Conceito e história de Business Intelligence

Cada vez mais, cruzar dados para criar estratégias é fator essencial no mercado. Uma técnica que fez da tomada de decisão e das ferramentas de BI elementos inseparáveis. Acompanhe essa realidade, as ferramentas utilizadas no processo, integração, soluções e outros conceitos fundamentais do Business Intelligence.

Ao contrário do que se possa imaginar, o conceito de Business Intelligence não é recente. Fenícios, persas, egípcios e outros povos do Oriente utilizavam esse princípio há milhares de anos, quando cruzavam informações obtidas junto à natureza em benefício próprio. Observar e analisar o comportamento das marés, os períodos de seca e de chuvas, a posição dos astros, entre outras, eram formas de obter informações que eram utilizadas para tomar as decisões que permitissem a melhoria de vida de suas respectivas comunidades.

O mundo mudou desde então, mas o conceito permanece o mesmo. A necessidade de cruzar informações para realizar uma gestão empresarial eficiente é hoje uma realidade tão verdadeira quanto no passado o foi descobrir se a alta da maré iria propiciar uma pescaria mais abundante. Atualmente o interesse pelo BI vem crescendo na medida em que seu emprego possibilita às corporações realizar uma série de análises e projeções, de forma a agilizar os processos relacionados às tomadas de decisão. É o que defende Howard Dresner, vice-presidente da empresa Gartner Inc. e detentor da paternidade do termo. Assim como ele, os norte-americanos ganharam fama pelo desenvolvimento das modernas ferramentas de BI. Mas em termos de registro histórico, Yves-Michel Marti, cientista, professor e fundador da Egideria, uma das maiores empresas européias de consultoria em Business Intelligence, clama para o Velho Continente o berço e a aplicação pioneira do conceito de BI, o que teria acontecido muito antes de Howard Dresner ter nascido. Segundo Marti, a tradição dos países europeus é repleta de referências. Em seus estudos sobre economia inteligente, um dos exemplos citados destaca que no final do século XVI, quando a Rainha Elizabeth I, visando ocupar os territórios conquistados, determinou que a base da força inglesa fosse “informação e comércio” e solicitou ao filósofo Francis Bacon que inventasse um sistema dinâmico de informação, o qual foi amplamente aplicado pelos ingleses.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>