Em um pântano, com sua água parada, lodosa, muitas vezes fétida por causa da decomposição das plantas que não sobrevivem a esse ambiente, nasce a mais bela e significativa das flores: a flor de lótus.

Essa flor de raríssima beleza, como um lírio, só que vivem em lagoas e lagos, terrenos alagadiços. Ela tem suas raízes fixas na lama, no lodo. Seu caule percorre todo o espaço com água, do chão até a superfície. Então, na superfície, desabrocha uma linda e rara flor – completamente pura, sem nenhuma marca do lodo que a gerou. A semente da Flor de Lótus é capaz de permanecer viva e resistente por um período de até 30 séculos. E isso sem perder seu poder de fertilização. 

Durante a noite, a flor de lótus “sai de cena” fechando suas pétalas e mergulhando nas águas. Ao amanhecer ela está linda novamente por sobre aquele lamaçal sujo. 

Como pode algo tão puro como a flor de lótus nascer da mais impura das matérias? Permanece um mistério para o homem o processo de filtragem da sujeira do ambiente que ocorre no interior desse formoso vegetal, já que a ciência não conseguiu até os dias de hoje explicar como isso ocorre.

A flor de lótus é um verdadeiro exemplo, tirado da natureza, das adversidades também humanas. Um exemplo de que podemos viver, conviver, nos relacionarmos em ambientes não tão agradáveis aos nossos olhos mas pela resiliência e capacidade de renascermos a cada dia diante de tantos problemas e preocupações do dia a dia, no nosso enfrentamento constante que faz parte da natureza humana. É fato que muitas respostas para nossos problemas encontramos na natureza. 

Ora, o lugar de onde viemos e onde estamos diz muito pouco sobre nós, pois podemos irradiar luz e pureza mesmo estando entre os mais impuros e nos mais obscuros lugares, basta que tenhamos consciência disso. Se tivermos um alicerce moral estruturado, voltado para o bem, e permanecermos fiéis a ele, dificilmente influências externas negativas serão capazes de poluir nosso íntimo. Com essa estrutura moral, nada lhe transforma, nada tira você de seus conceitos e em tudo que você acredita ser verdade, para o bem, nem o ambiente nem as pessoas, nem histórias que não queiramos fazer parte.

O charco que acomoda as raízes dessa bela planta é um símbolo que pode ser interpretado como o apego que desenvolvemos a pensamentos e ações de baixa vibração energética: futilidades, crenças que nos limitam, comodidade ou conformismo, desejos que não nos fazem crescer, enfim, tudo aquilo que alimenta apenas nosso lado sombrio.VOCÊ É FELIZ?

Mesmo que sejamos incapazes de enxergar nossa face oculta da luz, e vejamos apenas nossa lama, é preciso acreditar que desabrocharemos, assim como a flor de lótus. 

Comparo esse “recolher e acordar” da flor de lótus com a  resiliência do ser humano. Quando uma pessoa é dotada de um elevado grau de resiliência, ela passa por tanta provação, às vezes cai, e mesmo assim, no outro dia, consegue se refazer, levantar e dar a volta por cima, se esforçando sempre para, a cada dia, ter mais força de vontade, acreditar mais que tudo dará certo. São pessoas otimistas. Que não se envergam, que coloca um foco, uma meta, e não sossega até alcança-la. Tenha confiança e se esforce para caminhar sempre no sentido da luz e da evolução.

Os budistas acreditam que a flor de lótus é sagrada, pois só aparece na terra depois de já ter sido gerada no plano espiritual. Assim, é preciso também que nosso interior, nossa espiritualidade, seja capaz de gerar em nós pureza e luz.

A lenda budista conta que quando Siddhartha, que mais tarde se tornaria o Buda, tocou o solo e fez seus primeiros sete passos, sete flores de lótus cresceram. Similarmente, cada passo nosso é um avanço a caminho da expansão de consciência e da espiritualização.

Todos nós temos nossa sobra e nossa luz. Você também, com certeza, já deve ter se assustado com sua sombra, ou se alegrado e vibrado positivamente com seus momentos de luz. 

Saber aceitar seu lado sombrio e trabalhar cada vez mais para tirar proveito desse lado para um grande aprendizado em sua vida, é muito gratificante para seu ego. Isso é aceitar que você tem defeitos, que enfrenta derrotas mas está com sua consciência ligada no bem para se beneficiar e fazer o que tem de melhor dentro de você para outras pessoas e principalmente para você mesmo.

Quando você percebe essa mistura de sombra e luz dentro de você e aprende a trabalhar o seu interior com esses dois lados, tudo fica mais fácil, mais vibrante, sua vida passa a fazer mais sentido para você. Um exemplo disso é quando uma pessoa passa por alguma perda familiar. Tudo parece sem sentido, sombrio e perdido, sem sentido. Aos poucos ela vai ressignificando tudo, com um olhar de muita luz. A luz sobrepõe o lado sombrio, e isso é bom. 

Levante e comece a agradecer tudo que recebeu de bom e de ruim também pois faz com que seja grato. A gratidão é um sentimento fantástico, que faz do ser humano um indivíduo capaz de olhar para a luz do outro, ter empatia, compaixão. Esses sentimentos nos fazer sair da escuridão e ver a vida com mais amor, mais sentido.  

Por isso, você que deseja trabalhar com coaching, mostre ao seu coachee que somos sombra e luz. Ajude-o a enfrentar esses dois lados com harmonia e capacidade de identificar esses sentimentos como parte da vida dele. Somos maravilhosos e também ruins, mas que sempre devemos trazer à tona nossa melhor parte. E para isso, nada melhor que nos conhecermos na essência. 

Se gostou de nosso artigo sobre “A metáfora da flor de lótus”, deixe-nos um comentário. Compartilhe também essa metáfora tão interessante para seu grupo de amigos, em suas redes sociais.

Fonte: https://www.jrmcoaching.com.br/blog/a-metafora-da-flor-de-lotus/

CONTEÚDO VIP
Coloque o seu email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!
 
Enviar
100% livre de SPAM.

Comentários

comentários

BAIXAR O PDF
close-link
CONTEÚDO VIP
Coloque o seu email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!
 
Enviar
100% livre de SPAM.
Close