5 Tipos de Tomada de Decisão que todo Gestor Precisa Estar Pronto para Fazer

5 Tipos de Tomada de Decisão que todo Gestor Precisa Estar Pronto para Fazer

Quando se é um líder, a tomada de decisão é uma de suas principais responsabilidade, pois como é guia do grupo, o gestor deve sempre estar preparado para agir e saber quando é o momento certo de avançar e também de recuar.

Para isso, é importante que as lideranças da empresa conheçam bem as suas alternativas para não agir de forma errada nos momentos onde precisam ser assertivas e inteligentes. O ideal é então conhecer quais são os tipos de tomada de decisão que sejam adequadas a cada situação e que realmente tragam efeitos positivos à empresa, aos seus profissionais e clientes.

Conheça 5 Tipos de Tomada de Decisão

Para que o líder saiba qual é a melhor forma de agir é importante que ele conheça bem quais são as ferramentas que podem ser usadas em seu processo decisório, bem como os fatores que influenciam diretamente nestas decisões. Vamos conhecer então quais são os cinco tipos de tomada de decisão:

Decisão baseada no Instinto

Este é o tipo de decisão baseado em nossos instintos, naquilo que nasce conosco, que está em nosso DNA e, que nos fazer agir, sem mesmo nós termos sido, conscientemente, ensinados de como fazer algo. Um bom exemplo é quando somos recém-nascidos. Quem nos ensinou a mamar? Ninguém! Porém, por um instinto nato de sobrevivência já buscamos o peito de nossa mãe para nos alimentar.

No trabalho, o gestor pode acabar tomando uma decisão por instinto quando, por exemplo, percebe que seu colaborador cometeu um erro e, no impulso acaba assumindo seu erro para não comprometer seu emprego na empresa. Como é uma decisão impensada, tem grandes riscos de dar errado, pois antes de tomá-la, o líder não mediu suas consequências. Portanto, esta não é a melhor maneira de agir para um líder.

Decisão baseada em Crenças Subconscientes

Neste caso já não é a forma da memória do DNA que fala mais alto, mas sim as crenças subconscientes que acumulamos desde a infância e que nos fazem tomar decisões com base nos paradigmas que acreditamos serem as verdades a serem seguidas. Como tal, estas ideias podem ser tanto positivas como negativas e dependem muito do conjunto de crenças que o profissional alimenta. Neste caso, o processo de tomada de decisão também não é racional, sendo estimulado por sentimentos e emoções que nem sempre são os melhores. Fique atento!

Decisão baseada em Crenças Conscientes

Neste tipo de decisão, podemos dizer que já avançamos um nível, uma vez que neste caso as deliberações são feitas de forma consciente, ou seja, racional. Aqui a reflexão guia a decisão do líder e não um comportamento inconsciente, dando espaço para a análise da situação e posterior decisão.

Para isso, o gestor usa suas experiências passadas, sua expertise para entender o que deve ser feito agora e tentar entender como isso vai se refletir no futuro, tornando sistêmica sua visão.

Decisão baseada em Valores

Como próprio nome sugere, este tipo de tomada de decisão é baseado nos valores da pessoa, no que ela acredita ser o certo e nos preceitos que guiam suas crenças e sua vida pessoal e profissional. Como tal, dependem diretamente da formação do caráter do indivíduo e do que ele pensa sobre o mundo, as empresas e as pessoas e de seus objetivos no momento presente.

Líderes com valores positivos são aqueles que conseguem tomar decisões baseadas numa visão do todo, pois comungam de emoções e sentimentos que lhe permitem tomar decisões de forma íntegra, coerente e justa.  Já quando o contrário acontece, vemos chefes agindo de forma parcial e sempre privilegiando mais a si mesmo do que sua equipe ou a própria empresa.

Decisão baseada na Intuição

Este tipo de decisão baseado no “feeling” é uma forma que não se assemelha a numa das abordagens anteriormente apresentadas. A justificativa talvez não seja consciente nem inconsciente, mas baseado em algo que não pode ser completamente explicado e que se reflete de uma sabedoria que orienta a decisão do gestor.

Com tantas formas de analisar uma situação, pode parecer irracional ser levado pela intuição, porém, em muitos casos, é esta sensação inexplicável que guia as decisões do empresário, empreendedor e dos líderes da empresa.

O Que Levar em Conta Antes de Tomar as Decisões

Explique os Motivos de Suas Decisões

Todo bom gestor deve ter o cuidado de não parecer e ser autoritário para os demais. Dessa forma, a melhor maneira de tornar as suas decisões menos passíveis de gerar conflitos é explicar quais os motivos que te levaram a ela. Para que haja uma boa tomada de decisão é essencial evitar qualquer mal-estar com os demais, mesmo que sejam subordinados a você, pois todos são importantes na qualidade do ambiente.

Controle Suas Reações

O ser humano é um ser emocional e não tem como desligar as emoções só porque bateu o cartão na empresa. Dessa forma, indico que, antes de tomar decisões, responder a uma situação potencialmente estressante, você estabeleça sua autorregulação e faça uma contagem interna até dez. O controle de reação nos ajuda a agir mais racionalmente tendo, assim, uma gestão inteligente, e não deixando que o estresse emocional tome conta.

Seja Resiliente

O jogo de cintura para se adaptar a novas situações é o que diferencia os profissionais bem-sucedidos daqueles que permanecem sempre na mesma posição na empresa. Para que sua tomada de decisão seja positiva no trabalho é importante desenvolver a resiliência, capacidade de se adaptar e não se abalar com todos os problemas que acontecem. Tenha sempre em mente quais são os potenciais problemas que podem surgir no dia a dia e tenha estratégias de ação.

Controle as Expectativas

Quando temos expectativas e as mesmas não são alcançadas, nos decepcionamos e acabamos perdendo o equilíbrio. Por isso, quando uma expetativa não se tornar realidade, tente ser flexível e se adaptar à sua realidade.

Não se Preocupe Com o Que Não Pode Ser Mudado

Algumas circunstâncias no meio corporativo, por mais que você se esforce, não poderão ser mudadas. Nesse sentido, não se preocupe com aquilo que você não pode alterar, isso só sugará a sua energia e equilíbrio

Não Discuta

Toda tomada de decisão gera algum debate, embora todo debate é bem-vindo e produtivo no ambiente de trabalho, pois através dele, todos têm espaço para expor suas ideias e contribuir positivamente com os processos da empresa. Porém, o resultado é outro se você transforma uma simples conversa em uma discussão. Para evitar esse contexto, ouça com atenção os argumentos da outra pessoa, converse com calma, utilize um tom de voz adequado e se for necessário, reflita sobre a relevância do assunto e altere o motivo da conversa.

Pense Antes de Falar

A impulsividade é características de pessoas nervosas. Não pensam antes de falar. Quando estiver numa situação de tomada de decisões em que você percebe que está ficando nervoso, antes de reagir, pare. Respire fundo, se for o caso pare o que está fazendo por um momento, pela licença e pense sobre o que está ocorrendo e escolha a melhor maneira de agir.

Questione ao Invés de Debater

Antes de começar uma discussão, um debate entre algum colega, melhor procurar se questionar ao invés de dar continuidade à discussão. Esse exercício de fazer questionamentos com você mesmo, vai fazer com que fique mais calmo, mesmo se o clima esteja sob pressão. Agindo assim, você pode avaliar a situação sob um novo contexto. Isso só não ajuda nas tomadas de decisões mas também nos seus relacionamentos pessoais.

Respire Fundo

Respirar é ótimo para manter o cérebro ativo e se equilibrar. Bom para manter o comportamento profissional adequado e para dar tempo de pensar numa atitude também adequada.

 

E ai, qual é o tipo de tomada de decisão que mais condiz com sua liderança? Qual é mais presente em sua personalidade? Comente abaixo!

Fonte: https://www.jrmcoaching.com.br/blog/5-tipos-de-tomada-de-decisao-que-todo-gestor-precisa-estar-pronto-para-fazer/

22 Dicas Para Ter um Bom Relacionamento no Trabalho com seus Colegas

22 Dicas Para Ter um Bom Relacionamento no Trabalho com seus Colegas

Passamos a maior parte do nosso dia na empresa e, também por isso, é muito importante nos esforçamos para construir um bom relacionamento no trabalho com nossos colegas, pares e superiores. As relações positivas favorecem a que tenhamos um ambiente positivo, colaborativo, de respeito e também de amizade entre os profissionais.

O certo que devido à dificuldade em lidar com diferentes formas de ser; pensar e agir, muitos colaboradores acabam criando barreiras que limitam suas relações no trabalho e causam conflitos que diminuem a qualidade de vida no trabalho. Como reflexo disso, os profissionais não conseguem trabalhar em conjunto, a comunicação se torna ineficiente e ruidosa, surgem conflitos constantes e a produtividade fica aquém da esperada.

Isso é muito negativo, pois numa empresa todas as partes devem caminhar juntas para alcançar os resultados planejados. Portanto, quando os funcionários não têm um bom relacionamento, a organização dificilmente funcionará com todo o potencial que tem, já que é a junção de energias, habilidades, experiências e conhecimentos que gera os êxitos e sucessos.

22 Dicas Para Construir um Bom Relacionamento no Trabalho

Suspenda julgamentos

Um dos comportamentos que mais dificultam um bom relacionamento no trabalho são os julgamentos, na maioria das vezes equivocados, que um profissional faz em relação ao seu colega ou líder, e tendo como base apenas crenças negativas e sem nenhuma informação.

Será mesmo que o colega é mais calado por que é metido ou por que é tímido? Por que será que seu chefe te cobra tanto? Será que ele é muito cobrado também? Reflita, pois muitas coisas não são o que parecem. Evite julgamentos, acolha mais e julgue menos!

Esteja aberto (a)

Numa escala de 0 a 10, o quanto você está verdadeiramente aberto a ter um bom relacionamento com seus colegas? Como você demonstra isso? Demonstrar abertura é importante para que o outro sinta que há um espaço para se aproximar; interagir; trocar ideias e cocriar grandes resultados.

Portanto, do mesmo modo como gostaria de ser acolhido, acolha o outro também, esteja aberto aos seus colegas, a compartilhar e trocar conhecimentos e experiências, ajudar quem precisa e ser ajudado. Isso faz toda diferença na criação de relações de confiança no trabalho.

Respeite as diferenças

Todos nós temos uma forma de ser, pensar, sentir e agir. Por isso, do mesmo modo como gostaríamos de ser tratados e respeitados, também devemos respeitar a personalidade dos nossos colegas e buscar conviver com elas de forma respeitosa e pacífica. Ou seja, de modo que independente das referências, experiências, formações e origens de cada um, a vontade de fazer um bom trabalho e contribuir para os resultados sempre predomine.

Faça sua parte!

Fazer sua parte é respeitar as regras, dar bons exemplos, ser um profissional correto, ético e justo, que conhece bem a importância do seu papel e também o de seus colegas e líderes para a construção dos sucessos da empresa.

No que tange os relacionamentos interpessoais, busque ter uma comunicação assertiva, sempre respeitando os limites do bom senso e o espaço do outro e construa com os outros funcionários um ambiente positivo, onde todos possam mostrar seu potencial e crescer e ajudar no crescimento da organização.

Busque evolução contínua

Isso quer dizer: conheça seus pontos de melhoria e busque continuamente evoluir, eliminar aspectos negativos dos seus pensamentos e comportamentos profissionais. Busque também destacar seus talentos e habilidades e ajudar as pessoas ao seu redor a crescerem também. Quando você e o outro estão confiantes e empoderados, o humor melhora e tudo fica mais prazeroso de se fazer.

Não discuta

Todo debate é bem-vindo e produtivo no ambiente de trabalho, pois através dele, todos têm espaço para expor suas ideias e contribuir positivamente com os processos da empresa. Porém, o resultado é outro se você transforma uma simples conversa em uma discussão. Para evitar esse contexto, ouça com atenção os argumentos da outra pessoa, converse com calma, utilize um tom de voz adequado e se for necessário, reflita sobre a relevância do assunto e altere o motivo da conversa.

Evite fofocas

Os corredores da empresa podem ser marcados por conversas paralelas e fofocas, mas cabe a você, decidir se essa conduta nada positiva fará parte do seu dia-a-dia de trabalho. A fofoca nunca traz benefícios e não acrescenta nada, nem para você, nem para a empresa, aliás, ela só serve para criar causar lacunas na cultura organizacional e nas atividades diárias.

Pense antes de falar

A impulsividade é características de pessoas nervosas. Não pensam antes de falar. Quando estiver numa situação em que você percebe que está ficando nervoso, antes de reagir, pare. Respire fundo, se for o caso pare o que está fazendo por um momento, pela licença e pense sobre o que está ocorrendo e escolha a melhor maneira de agir.

Respire fundo

Respirar é ótimo para manter o cérebro ativo e se equilibrar. Bom para manter o comportamento profissional adequado e para dar tempo de pensar numa atitude também adequada.

Escute música

Algumas empresas e funções permitem que o profissional trabalhe escutando música sem que suas atividades sejam prejudicadas. Se esse for o seu caso, procure escutar músicas de estilos que você sabe que te acalmam e podem influenciar positivamente no seu estado de espírito.

Faça uma pausa

Pausas durante o expediente são fundamentais para que você consiga se manter produtivo e equilibrar o seu estado emocional. Os momentos de descanso podem ser crucias para que você visualize determinada situação sob uma nova ótica e organize suas ideias.

Reconheça seus pontos de melhoria

Todo ser humano é dotado de qualidades e pontos de melhoria, afinal, somos diferentes uns dos outros e é isso nos faz únicos. Portanto, reconheça aquilo que você precisa mudar, peça ajuda quando for necessário, fique à vontade para tirar dúvidas e receber sugestões. Isso fará toda a diferença para que você se torne um ser humano mais calmo e evoluído.

Trabalhe as causas

Preste atenção no que está causando o seu desequilíbrio emocional. Pode ser o excesso de trabalho, algum problema pessoal ou de saúde. Somos tendenciados a esconder problemas e fazer de conta que nada está acontecendo. Tente descobrir o que está te deixando com o emocional abalado e encontre alternativas de entrar novamente no eixo.

Questione ao invés de debater

Antes de começar uma discussão, um debate entre algum colega, melhor procurar se questionar ao invés de dar continuidade à discussão. Esse exercício de fazer questionamentos com você mesmo, vai fazer com que fique mais calmo, mesmo se o clima esteja sob pressão. Agindo assim, você pode avaliar a situação sob um novo contexto. Isso só não ajuda no trabalho mas, como nos seus relacionamentos pessoais.

Fique de olho no humor

Ao longo do dia você pode fazer uma brincadeirinha com você mesmo. Vá anotando com “carinhas” a temperatura do seu humor. Se está triste anote, se está mais eufórico, se mais alegre. Anote também o que fez você mudar o humor durante todo o dia. Assim vai ficar mais fácil fazer a leitura

Não crie problemas onde não tem

Uma dica baseada em um conceito budista, mas é bastante útil nos dias de hoje. “Antes de ir embora, mentalize uma caixa. Jogue ali dentro todos os acontecimentos do dia e a imagine flutuando para bem longe de você”. Não procure problemas pra você. Relaxe e não deixe que eles tomem conta do seu dia.

Cuidado com fatores externos

Não podemos controlar tudo que acontece a nossa volta, mas como encará-los sim. Avalie cada situação e verifique se isso tem fundamento para te deixar abalado.

Um passo de cada vez

Muitos acham que ser versátil é uma qualidade bastante solicitada pelas empresas e pessoas. Cuidado com isso. É legal ser proativo, saber executar mais de uma tarefa ao mesmo tempo, mas não somos máquinas. Manter o foco numa única tarefa pode produzir melhor resultado e não te desequilibrar emocionalmente.

Não discuta com colegas

Cuidado para não cair na armadilha de discutir em público com seu colega de equipe. Evite a batalha de “quem vai falar por último”. Falar alto não é sinal de superioridade e sim de deselegância e indisciplina. A melhor maneira de resolver é respeitar o momento de cada um e a forma que cada pessoa lida com os conflitos. Não bata de frente!

Esteja no controle de suas emoções

Seus colegas de trabalho não têm culpa de seu estado emocional andar meio desequilibrado, portanto, controle suas emoções. Cuidado para não “soltar os cachorros” no colega de trabalho. Domine a raiva, a tristeza ou qualquer reação que te faça agredir injustamente o colega ou equipe. Cuidando com palavras ditas por impulso. A melhor atitude diante de uma condição emocional em desequilíbrio é se afastar até que você esteja mais calmo e equilibrado.

Contagie mais otimismo

Ninguém gosta de estar ao lado de pessoas negativas, que reclamam o tempo todo. Pessoas negativas geram ambientes negativos. Se você está sempre com pensamentos negativos, isso vai piorar ainda mais o quadro emocional. Tente pensar positivo e emanar energias positivas para o universo. Seu emocional irá agradecer.

Controle a ansiedade

Querer fazer tudo ao mesmo tempo é sinal de ansiedade. Ansiedade é incompatível com concentração e o equilíbrio. Pessoas ansiosas se atropelam durante o dia em querer executar todas as tarefas de uma só vez e no final acabam não concluindo nada.

 

Aproveite todas estas dicas e colabore para ter sempre um bom relacionamento no trabalho com seus colegas, além do que, todo passo que damos na vida precisa de esforço e dedicação para que comportamentos e hábitos nocivos sejam eliminados.

Muitas vezes, por mais que reconhecemos que algo precisa ser mudado, não conseguimos sozinhos. Nesse sentido, o Instituto Brasileiro de Coaching – IBC, está com vagas abertas para o treinamento. Desperte o Seu Poder, uma imersão de alto impacto onde você entrará em contato com todos os ciclos necessários para dominar suas emoções, criar uma programação mental positiva e alcançar a mudança desejada.

Deixe seu Comentário.

Fonte: https://www.jrmcoaching.com.br/blog/5-dicas-para-ter-um-bom-relacionamento-no-trabalho-com-seus-colegas/

O poder das emoções (Vídeo Completo)

O poder das emoções (Vídeo Completo)

CLIQUE e inscreva-se no canal:

Confira com Tiago Curcio,  coach da Casule!

 

O poder das emoções

 

Saiba o que fazer.

Facebook ☛ http://facebook.com/clinicacasule
Instagram ☛ http://instagram.com/clinicacasule

Conheça o nosso site ↴
https://casule.com

Meu Blog ↴
https://casule.com/blog #casule

Whatsapp ↴
https://casule.com/yzap

 

Assine o nosso canal! e saiba como ter mais saúde mental e uma vida mais feliz! Gostou do vídeo?
Curta, compartilha e assine o canal pra não perder o que vem por ai! Ser feliz faz parte da vida!
Sonhe, mude de atitude, cuide da sua felicidade!

Assine o Canal de graça e receba as dicas de coaching, fonoaudiologia, nutrição e psicologia sem frescura toda semana!

16 Dicas de Etiqueta Profissional no Local de Trabalho!

16 Dicas de Etiqueta Profissional no Local de Trabalho!

Ser bem-sucedido profissionalmente vai além das boas qualificações que você soma em seu currículo. Saber se portar adequadamente no local de trabalho é fundamental para construir relações interpessoais positivas, ser bem avaliado e cotado para promoções. E você, de 0 a 10, como avalia os seus comportamentos no dia a dia com seus colegas, líderes e clientes? Reflita e avalie se está dando o seu melhor!

Trago estes questionamentos porque alguns erros de etiqueta profissional podem levar até mesmo à demissão do funcionário. No ambiente corporativo existem certos comportamentos que são inaceitáveis, pois se mostram nocivos e distantes do que se deseja de um colaborador. Quando estes realmente se sobrepõem ao seu bom desempenho, acabam fazendo com que a empresa tenha que tomar atitudes drásticas para evitar que se espalhem.

16 Dicas de Etiqueta Profissional no Local de Trabalho

Pensando em te ajudar a não errar, eu trouxe 16 exemplos que ajudam a ilustrar os tipos de atitudes que um profissional não deve ter em sua empresa:

Utilizar os Recursos da Empresa Para Finalidades Pessoais

Algo bastante deselegante no ambiente corporativo é usar os recursos, como telefone, impressora e internet, da empresa para finalidades pessoais. Claro que existem exceções e momentos em que é necessário resolver alguma questão pessoal no escritório, mas compreenda que deve ser uma situação isolada e não rotineira.

Não use os recursos da empresa para servir aos seus interesses, pois além de antiético, isso se configura num mau exemplo para todos ao seu redor e também mancha sua boa reputação.

Roupas Inadequadas ao Ambiente

Boa parte das empresas não exige o uso de uniformes para os profissionais por confiar no bom senso deles para a escolha de suas vestimentas. Para escolher que tipo de roupa usar no ambiente profissional é interessante observar qual o segmento de atuação da organização, seguir o seu dress code empresarial, bem como observar sempre se a sua forma de se vestir está compatível com o ambiente.

De maneira geral, o que se recomenda é evitar roupas muito chamativas que tirem o foco do trabalho, muito justas (isso vale também para os homens), curtas, decotadas ou que apresentem muita informalidade (a menos que o local de trabalho seja informal).

Local de Trabalho Não é Local Para Brincadeiras

Ser uma pessoa bem-humorada é ótimo e se reflete até mesmo em mais produtividade no ambiente de trabalho, porém, antes de se tornar o comediante do escritório compreenda que local de trabalho não é local para brincadeiras fora do tom. Dar apelidos para colegas, criar pegadinhas ou mesmo enviar piadinhas pela rede de comunicação interna se qualifica como um comportamento inadequado.

Ter sempre um sorriso para os outros colaboradores e bom humor; são excelentes qualidades, mas cuide para não exagerar e se tornar autor de piadas sem graça ou mesmo para não constranger os demais e se sabotar.

Mantenha a Discrição

Enquanto está no local de trabalho procure ser uma pessoa mais comedida, tanto no volume da voz quanto na forma de gesticular e se sentar. Faz parte de a etiqueta profissional ter comportamentos discretos para evitar atrapalhar o trabalho dos demais, bem como para não se tornar conhecido como uma pessoa inconveniente. Saiba que os outros desenvolvem opiniões sobre você de acordo com a maneira como se porta.

Não Faça Comentários Maldosos Sobre os Colegas

Sabemos que, às vezes, é difícil não ficar irritado com esse ou aquele colega, mas faz parte do código de etiqueta profissional no local de trabalho evitar comentários que gerem fofocas e inimizades. Cuide do que fala, pois além de não ser adequado falar mal de outros colaboradores, esses boatos podem se voltar contra você mesmo e acabar prejudicando sua carreira.

Cuidado com o Ambiente de Trabalho Hostil

Este é, sem dúvida, um dos conflitos mais presentes dentro das empresas que pode se dar tanto entre colaboradores quanto entre líderes e seus subordinados. A rivalidade e hostilidade presentes no ambiente de trabalho influenciam não só os resultados e as atividades executadas como também passa a ser uma corrente negativa que podem impactar outros trabalhadores.

Se um profissional possui conflitos com seu supervisor seja por insubordinação, pensamentos opostos ou mesmo por autoritarismo, por exemplo, a tendência é que ele influencie mais colegas a terem o mesmo comportamento e não o contrário.

Neste sentido, é fundamental que os gestores estejam sempre atentos e dispostos a melhorar e propiciar uma atmosfera de trabalho saudável e estimulada ao desenvolvimento onde os funcionários se sintam constantemente valorizados e bem relacionados uns com os outros. Por isso, promover a liberdade de expressão, o respeito e o bom convívio entre colaboradores é fundamental.

Manter Um Bom Relacionamento

Promova atividades de confraternização: Essas atividades darão oportunidade para que os profissionais se conheçam em um nível mais humano, também é de grande valia para uma organização. Isso porque quando as pessoas trabalham com pessoas com quem se importam, a atividade ganha um valor que vai além do financeiro.

Solucione Conflitos

Uma grande dificuldade de muitas pessoas é solucionar conflitos. Neste momento você tem que ter muita sensibilidade e cuidado para a solução de algum conflito entre a equipe. Deverá encontrar uma solução rápida e adequada para o problema.

Respeite Toda a Equipe

Fortalecer a confiança e o respeito entre você, seu líder e equipe. A pessoa que participa e respeita toda a equipe na participação dos projetos e metas, dando espaço para a criatividade e contribuição de cada colega para o alcance desses projetos, fortalece o sentimento de confiança e respeito. Isso faz com que a equipe cresça junto.

Não Discuta

Todo debate é bem-vindo e produtivo no ambiente de trabalho, pois através dele, todos têm espaço para expor suas ideias e contribuir positivamente com os processos da empresa. Porém, o resultado é outro se você transforma uma simples conversa em uma discussão. Para evitar esse contexto, ouça com atenção os argumentos da outra pessoa, converse com calma, utilize um tom de voz adequado e se for necessário, reflita sobre a relevância do assunto e altere o motivo da conversa.

Pense Antes de Falar

A impulsividade é características de pessoas nervosas. Não pensam antes de falar. Quando estiver numa situação em que você percebe que está ficando nervoso, antes de reagir, pare. Respire fundo, se for o caso pare o que está fazendo por um momento, pela licença e pense sobre o que está ocorrendo e escolha a melhor maneira de agir.

Questione ao Invés de Debater

Antes de começar uma discussão, um debate entre algum colega, melhor procurar se questionar ao invés de dar continuidade à discussão. Esse exercício de fazer questionamentos com você mesmo, vai fazer com que fique mais calmo, mesmo se o clima esteja sob pressão. Agindo assim, você pode avaliar a situação sob um novo contexto. Isso só não ajuda no trabalho mas, como nos seus relacionamentos pessoais.

Não Crie Problemas Onde Não Tem

Uma dica baseada em um conceito budista, mas é bastante útil nos dias de hoje. “Antes de ir embora, mentalize uma caixa. Jogue ali dentro todos os acontecimentos do dia e a imagine flutuando para bem longe de você”. Não procure problemas pra você. Relaxe e não deixe que eles tomem conta do seu dia.

Desligue ou Tire o Celular do Seu Alcance

Uma das principais distrações no ambiente de trabalho, o seu celular. O vilão que tira a concentração da sociedade mundial. Tome cuidado para não se deixar distrair com mensagens, aplicativos, redes. Cuidado para não perder seu tempo. Melhor deixar no silencioso, desligar ou guarda-lo dentro da gaveta, longe dos seus olhos, para não correr o risco de dar uma olhadinha e passar o tempo. As mensagens e chamadas podem te tirar o foco e a calma.

Separe Tarefas Pessoais de Profissionais

Procure gerenciar suas tarefas pessoais e profissionais fazendo uma lista e observando cada uma delas como “urgentes” e “importantes”. Deixe-as sempre a vista. Quando começar uma tarefa, procure concluí-la. Estabeleça a prioridade e tempo de execução de cada uma delas.

Não Leve Problemas Pessoais Para o Trabalho

Isso vai te ajudar a encontrar mais calma e equilíbrio para executar suas tarefas no trabalho. Deixe seus problemas pessoais, familiares em casa. Procure focar no seu trabalho, enquanto estiver no trabalho. Quando voltar pra casa, se concentre na resolução do problema pessoal e tente resolvê-lo.

O que achou das dicas de etiqueta profissional no local de trabalho? Se você gostou compartilhe com os seus colegas e passe o bom senso adiante.

Deixe seu Comentário.

Fonte: https://www.jrmcoaching.com.br/blog/5-dicas-de-etiqueta-profissional-no-local-de-trabalho/

12 Tipos de reunião que você deve eliminar na sua gestão

12 Tipos de reunião que você deve eliminar na sua gestão

Embora sejam importantes para a estruturação dos projetos, tomada de decisões e planejamento, o fato é que existem tipos de reunião que verdadeiramente deveriam ser abolidas da agência de uma empresa. Isso é o que também mostra uma pesquisa realizada pela Harvard Business Review e que constatou que 67% das reuniões realizadas são consideradas improdutivas enquanto que 15% destes encontros são tidos como total perda de tempo.

Isso mostra como uma ferramenta positiva, quando usada de forma errada, pode se tornar uma inimiga da empresa ao invés de uma aliada do negócio e se transformar num fator a mais de perda de tempo e produtividade. Para evitar que isso aconteça, afinal, tempo é dinheiro, eu resolvi falar dos doze tipos de reuniões que sua empresa deve abolir definitivamente das suas práticas e cultura corporativa já.

12 Tipos de Reunião que deve eliminar da sua empresa

Saber identificar se a sua empresa também está fazendo reuniões improdutivas é o primeiro passo para mudar esta situação e criar formas mais efetivas de reunir as pessoas e as ideias em prol do crescimento do negócio. Continue lendo, veja quais os piores tipos de reunião e saiba como livrar-se delas.

1 – Sem pauta

Reuniões sem temas pré-definidos são uns dos principais motivos para a perda de tempo nas organizações. Se quem convoca a reunião não apresenta as razões para o encontro e, muito menos, quais são os assuntos que serão tratados, a equipe chega despreparada, perdida e sem saber ao certo como poderá agregar.

2 – Sem Foco

É quando a todo o momento o grupo acaba fugindo do tema principal e começa a discutir assuntos que nada tem a ver com o tema central. Um exemplo é reunir o departamento financeiro para falar dos custos mensais da empresa e, do dada, alguém começar a reclamar de problemas administrativos, como a demora em trocar uma lâmpada queimada. É preciso ter timing e bom senso, para levantar apenas os assuntos pertinentes.

3 – Com as pessoas erradas

Não fazer a seleção dos profissionais que serão convidados para a reunião é um dos motivos que provoca a perda de foco. Para que o encontro seja proveitoso é importante ser inteligente e estratégico e chamar apenas as pessoas-chave, ou seja, aqueles colaboradores que realmente estão em sintonia e dominam o assunto a ser tratado. Se for tratar da nova campanha de marketing, chame os profissionais da equipe de marketing e não os do RH, por exemplo.

4 – Centralizadoras

Para quê reunir sua equipe se apenas você pode falar e expor suas ideias? A reunião é o momento dos seus colaboradores trazerem ideias, soluções, inovações, contribuir para a empresa crescer e não o seu palco. Portanto, dê espaço para que todos possam se expressar e dar suas contribuições e feedbacks e deixe seu ego de lado.

5 – Sem fim

São aquelas reuniões com hora para começar, mas que só Deus sabe quando irão acabar. Este tipo de reunião é àquela onde todos falam sobre tudo, apontam problemas e soluções, mas em que nunca se chega a nenhuma conclusão em definitivo, ou seja, a uma tomada de decisão efetiva. Além de muito cansativa, este modelo é um dos mais improdutivos, pois tira o colaborador de seu posto de trabalho por horas e ainda não resulta em nada.

6 – Em desacordo com os valores da empresa

São reuniões em que o tema não agrega valor e conhecimentos nenhum para a equipe. Quando o tema abordado está em desacordo com os valores, missão e visão da empresa. O líder que irá ministrar a reunião, precisa saber, de forma mais profunda, sobre o tema que ele irá falar e sobre quais são suas ideias.

7 – Despreparadas

Uma pessoa despreparada para falar em público e para uma equipe, quando chega perante os seus colaboradores e não tem desenvoltura e amplo conhecimento sobre o tema, dificilmente eles irão se interessar. Por isso, ao escolher o profissional que fará a reunião em sua organização, dê preferência para aqueles que tenham um trabalho congruente e que são realmente bons e preparados para isso.

8 – Temas irrelevantes

A reunião pode ter um tema bastante ligado ao negócio, como sobre vendas, por exemplo, ou ser mais abrangente, como no caso das motivacionais. Porém, é fundamental que ela cause interesse nos expectadores, que no caso serão os seus funcionários. Escolha um assunto que, de alguma forma, irá agregar ao trabalho e desenvolvimento de cada um deles, caso contrário a grande maioria começará a se dispersar e o investimento irá pelo ralo.

9 – Tema exaustivo e sem hora pra terminar

Esse tipo de reunião faz com que muitos colaboradores não interajam com você. Evite os assuntos exaustivos e sem fim. Quando marcar uma reunião, elenque todo o assunto a ser abordado, verifique se são pertinentes para aquela equipe e comece e termine no horário marcado.

10 – Improdutiva

A maioria das reuniões sempre deixa uma tarefa para ser executada para alguns ou toda a equipe envolvida, porém, quando não fica claro qual a tarefa que deve ser executada e o prazo de resposta, há uma grande chance dessa reunião ter sido improdutiva. Visando resolver esta questão, é interessante reservar uns 5 minutinhos no final da reunião para repassar as pendências, mesmo que elas sejam enviadas posteriormente.

11 – Só para cumprir protocolos

Coisa de gerente!!! Muitos fazem a reunião só para mostrar que estão trabalhando, tanto para os subordinados, quanto para os superiores. As reuniões são feitas por eles por ser uma rotina em empresas. “Se todos fazem eu também vou fazer”.

12 – Lugares fechados, celular ligado e muita gente circulando

Esse é o tipo de reunião que todos estão correndo e evitando, ainda mais se a presença não for obrigatoriedade. Reuniões onde todos os participantes usam e abusam do celular, sem focar 100% no assunto, decididamente não são reuniões importantes. Mais se parecem com reuniões somente para cumprir protocolos. E assim vão procrastinando e postergando as tomadas de decisões.

Agora que você sabe quais são os tipos de reunião que a sua empresa deve evitar, busque o quanto antes colocar estas dicas em prática de modo a otimizar os resultados dos seus encontros e fazê-los surtir os efeitos desejados.

Deixe seu Comentário.

Fonte: https://www.jrmcoaching.com.br/blog/5-tipos-de-reuniao/

BAIXAR O PDF
close-link