Sistema de Crenças – Tudo o Que Você Acredita Se Torna Realidade Para Você

Sistema de Crenças – Tudo o Que Você Acredita Se Torna Realidade Para Você

Um sistema de crenças é um conjunto de ideias e valores compartilhados por um mesmo grupo de pessoas. Nesse sentido, tudo aquilo que você aprendeu de seus familiares na infância e levou para a vida adulta compõe um conjunto de informações que têm uma grande influência sobre as suas escolhas e a sua trajetória. Por essa razão, podemos dizer que cada indivíduo é aquilo que acredita ser, porque é na mente que tudo se inicia e que pensamentos e palavras começam a se tornar realidade.

Como o Sistema de Crenças Influencia a Sua Vida

Você já conviveu com uma pessoa que apenas vê o lado ruim das coisas? Se sim, deve ter percebido que ela dá pouco ou nenhum valor para tudo de bom que lhe acontece, pois parece enxergar apenas os problemas e as dores. Isso acontece por conta do sistema de crenças que ela carrega, que faz com que dê maior ênfase para a tristeza e, assim, deixe de perceber as alegrias. Se ela permitir, passará toda a vida vendo o mundo sob esta ótica desanimadora.

Isso acontece porque tudo aquilo que uma pessoa acredita é considerado por ela como verdade. Dessa maneira, se você acredita ser capaz de ir em busca de seus objetivos é isso o que irá acontecer, porque terá força e motivação para seguir adiante. E o mesmo vale para aqueles que duvidam da própria capacidade, porque esse tipo de pensamento irá levá-los a deixarem de agir e, de fato, não irão realizar nada. Percebe como as crenças que carregamos têm uma grande influência sobre as nossas vidas?

A Importância de Rever o Seu Sistema de Crenças

Grande parte das crenças que um indivíduo carrega se originam na família, muitas são extremamente importantes, como as relacionadas aos valores e ao caráter, por exemplo. Contudo, existem outras que podem ser um tanto quanto limitantes e que, por isso, precisam ser ressignificadas. Vale lembrar que a intenção não é, de maneira nenhuma, que acuse seus familiares, mas sim reconhecer que existem pensamentos que não precisam ser levados adiante.

Imagine alguém que cresceu ouvindo de seus entes próximos que o dinheiro é algo ruim e que aqueles que o possuem em abundância não são boas pessoas. São grandes as chances de que esse indivíduo venha a ter problemas financeiros ou que se sinta culpado ao receber um bom salário, por exemplo. A realidade é que, embora seus familiares possam ter tido os seus motivos para acreditar nisso, essa crença não precisa ser levada adiante.

Rever o sistema de crenças que você carrega é fundamental para que verifique se as ideias que estão povoando a sua mente realmente fazem sentido ou se servem apenas para comprometer o seu desenvolvimento. Muitas vezes, basta mudar a forma com a qual enxerga esse tipo de afirmação, para que saiba utilizá-la ao seu favor. Ainda citando o exemplo do dinheiro, essa crença poderia ser transformada em um cuidado para não dar mais valor para ele do que para os sentimentos e as pessoas, pois isso sim faz muito sentido.

5 Dicas Poderosas Para Mudar o Seu Sistema de Crenças

Depois de saber mais a respeito do peso que o seu sistema de crenças tem sobre a sua vida, confira dicas poderosas que irão te ajudar a reprogramar a sua mente e, assim, alimentar apenas ideias positivas, que te motivem e te levem além.

1 – Reconheça as Crenças Limitantes

O primeiro passo para transformar algo é reconhecer que aquilo existe. Desse modo, em se tratando de crenças limitantes, é necessário que aceite a existência delas para que possa entender as suas origens. Para isso, comece a se observar e a refletir a respeito de tudo o que percebe em si, incluindo os tipos de pensamentos que mais povoam a sua mente.

2 – Elimine os Pensamentos Que Sustentam Essas Crenças

Toda crença é alimentada por algum tipo de pensamento, que pode ter surgido na sua mente por conta de experiências que viveu, ou ser fruto da influência de outras pessoas. É importante que identifique quais são esses pensamentos, para que possa eliminá-los e fazer com que deixem de exercer poder sobre você. Alguns exemplos incluem: acreditar que não tem sorte no amor, que não é capaz de realizar os seus sonhos, que dinheiro é ruim, entre outros.

3 – Ressignifique Suas Crenças

Você pode dar para as suas crenças limitantes um novo significado e, assim, transformá-las em pensamentos positivos e encorajadores. Se costumava acreditar que não era capaz de realizar os seus objetivos, por qualquer motivo, substitua essa ideia pela afirmação que, por mais que tenha falhado no passado, irá aprender com essas experiências e dar o seu melhor para que, daqui para a frente, tudo aconteça de maneira diferente.

4 – Olhe Para o Lado Positivo das Coisas

Os seres humanos têm uma tendência natural de dar maior destaque para os problemas do que para as coisas boas. Para comprovar isso basta perceber que as notícias de tragédias se tornam mais comentadas do que aquelas que falam sobre situações positivas que aconteceram. Para mudar isso, é necessário que comece a se forçar a ver o lado bom de tudo e, então, pouco a pouco, passará a perceber tudo isso de maneira natural e verá o quanto isso irá refletir positivamente na sua vida.

5 – Faça Afirmações Positivas Para Si Mesmo

O seu sistema de crenças influencia, principalmente, o relacionamento que um indivíduo tem consigo mesmo, porque se ele se sente incapaz, irá afirmar isso a si mesmo através do seu diálogo interno, tornando esse pensamento cada vez mais forte. Então, se deseja ressignificar essas ideias, é importante que passe a fazer afirmações positivas para si mesmo, para que comece, cada vez mais, a acreditar no extraordinário poder que possui.

Você já havia parado para pensar a respeito do sistema de crenças que carrega e do poder que os seus pensamentos e palavras possuem? Sempre é tempo de refletir a respeito do assunto e perceber que é necessário mudar suas ideias para que seja possível ousar e ir além.

Fonte: https://www.jrmcoaching.com.br/blog/sistema-de-crencas-tudo-o-que-voce-acredita-se-torna-realidade-para-voce/

 

O Que é a Síndrome do Filho do Meio?

O Que é a Síndrome do Filho do Meio?

Ser o filho do meio pode ser problemático para muitas pessoas, que se sentem deixadas de lado. Isso acontece porque muitos pais tendem a se preocupar mais com o caçula e demonstrar orgulho pelas conquistas do mais velho, o que consequentemente leva aquele que nasceu entre eles a se sentir preterido. É claro que, na grande maioria dos casos, os pais não fazem isso de propósito, entretanto, é necessário falar sobre o assunto, já que pesquisas comprovaram que aqueles indivíduos que são filhos do meio têm maiores chances de enfrentar problemas emocionais do que os demais.

Qual é a Explicação Para a Síndrome do Filho do Meio?

Quando um casal tem o seu primeiro filho, a insegurança gerada pela inexperiência faz com que se esforcem ao máximo para cuidarem daquele ser que acabou de chegar. Então, chega o segundo filho, e eles precisam se dividir entre os cuidados com o primogênito e novo bebê. Essa situação, por si só, já pode gerar incômodos na criança mais velha, entretanto, pode se tornar pior quando um terceiro irmão nasce.

Basicamente, a síndrome do filho do meio é gerada através de uma sensação de desimportância que um indivíduo pode sentir em relação aos seus irmãos. Afinal, os pais geralmente estão mais atentos ao desenvolvimento do herdeiro mais novo, que realmente precisa de maiores cuidados. Além disso, o mais velho, por ter mais experiência, se destaca através de suas conquistas na escola e na vida, tirando o restante de atenção que o filho do meio poderia ter.

É claro que não se deve culpar os pais, pois todos sempre desejam o melhor para os seus filhos. Contudo, é necessário se informar a respeito do assunto, para que um ciúme natural em relação aos irmãos não se transforme em um problema emocional na vida daqueles que são filhos do meio. No fim das contas, o diálogo é sempre a melhor ferramenta para encontrar o entendimento entre pais, filhos e em qualquer tipo de relação.

Principais Sinais da Síndrome do Filho do Meio

É importante lembrar que não são todos os indivíduos que são filhos do meio que sofrem com essa síndrome, pois existem aqueles que, por diversas razões, não apresentam problemas em relação aos seus pais e irmãos. Por isso, antes de dizer que alguém sofre com essa questão, é necessário se atentar a alguns sinais, que você irá conferir a seguir.

1 – Competição Por Atenção

Os desentendimentos entre irmãos são bastante comuns na infância e na adolescência. Entretanto, quando o filho do meio está passando por algum tipo de problema emocional, ele pode começar a competir com os outros pela atenção dos pais. Assim, podem se utilizar de diversos artifícios para conseguir aquilo que lhe falta, como dizer que está doente, agir de maneira inconsequente, entre outros.

2 – Baixa Autoestima

A criança ou o adolescente se sente inferior em relação aos seus irmãos, o que faz com que desenvolva uma autoestima baixa. É como se o indivíduo olhasse ao seu redor e visse o mais novo, que recebe atenção por ser menor, e o mais velho, que enche os pais de orgulho. Então, ele se sente menos especial e indigno do amor da família.

3 – Esforço Extra Para Ter Reconhecimento

A síndrome do filho do meio pode ter várias fases, em uma delas, que geralmente ocorre logo que o caçula chega, a criança realiza um esforço extra para conseguir o reconhecimento dos pais. E isso acaba se tornando delicado, já que pode ser visto como positivo, pois ela estará se dedicando a algo bom, entretanto, a motivação para tal que é preocupante.

4 – Desconforto ao Receber Atenção

Depois de um tempo como filho do meio, o indivíduo se esquece como é ter atenção dos pais, então, quando isso acontece se sente desconfortável, como quem quisesse se esquivar e se manter isolado. Ao vivenciarem algo do tipo, é bastante importante que os pais evitem ignorar esse comportamento e o vejam como um sinal de que há algo ao qual precisam se atentar.

5 – Isolamento em Relação à Família

Todas essas questões podem levar o filho do meio a se isolar em relação à família. Ele age assim como uma forma de se proteger e evitar se magoar ao ver os pais e os irmãos convivendo felizes. O sentimento predominante nesse tipo de atitude é se afastar para não atrapalhar a harmonia dos demais.

Dicas Para Evitar a Síndrome do Filho do Meio

Se você tem filhos e se sentiu preocupado ao ler sobre a síndrome do filho do meio, saiba que existem maneiras de evitar o problema e, também, contorná-lo caso esteja acontecendo em sua família.

1 – Evite Comparar os Seus Filhos

As comparações nunca são justas e servem apenas para que seu filho se sinta inferior e inadequado. Por isso, evite dizer que o mais velho é mais educado, organizado ou carinhoso. Trate cada questão individualmente e sem envolver os outros filhos.

2 – Valorize a Individualidade de Cada Um

Por mais que sejam irmãos e tenham características em comum, é muito importante que se lembre que cada um dos seus filhos é um indivíduo único. Então, saiba valorizar e prezar pela individualidade deles, para que se sintam livres para serem quem são.

3 – Ouça o Que o Filho do Meio Diz

Muitas vezes, os adultos tendem a ignorar o que as crianças e os adolescentes dizem, o que pode fazer com que eles se sintam cada vez mais deixados de lado. Nesse sentido, procure ouvir o que o seu filho diz, pois o diálogo certamente irá te ajudar a se entender com ele.

4 – Dê a Ele Responsabilidades

As crianças precisam ter responsabilidades para se sentirem importantes e isso deve ser feito com todos os filhos. As atividades, claro, precisam ser definidas de acordo com a idade, mas sempre mostrando a eles que todas as funções têm o seu grau de importância.

5 – Seja Paciente

Um indivíduo que está precisando de atenção pode começar a agir de forma irritante, o que leva as pessoas a se afastarem. Entretanto, nesse caso, é fundamental que não se afaste e tenha paciência para lidar com o seu filho de maneira positiva para que possam se entender.

Através do amor, da paciência e do diálogo a síndrome do filho do meio pode se transformar em uma importante missão, que é a de se inspirar no irmão mais velho e se tornar um exemplo para o mais novo. Assim, um poderá se apoiar no outro e, juntos, se tornarão adultos responsáveis e felizes.

Fonte: https://www.jrmcoaching.com.br/blog/o-que-e-a-sindrome-do-filho-do-meio/

Dormir Cedo – Fazendo a Diferença na Sua Qualidade de Vida

Dormir Cedo – Fazendo a Diferença na Sua Qualidade de Vida

Que horário você costuma ir se deitar? Saiba que dormir cedo é um hábito que pode promover uma grande mudança em sua vida, porque irá te estimular a também acordar mais cedo e começar o seu dia com mais energia. Afinal, desfrutar desse descanso diário de forma satisfatória é essencial para manter a saúde em dia, ter disposição para realizar as suas obrigações e ser feliz.

Os Benefícios de Dormir Cedo

Ao optar por dormir mais cedo, uma pessoa está se dispondo a seguir uma rotina, o que é ótimo para ter uma vida mais produtiva e saudável. Além disso, ao acordar mais cedo, terá mais tempo para despertar com tranquilidade, tomar o seu café da manhã, ler o jornal, praticar uma atividade física ou realizar qualquer outro tipo de ritual que te ajude a começar o dia de forma positiva.

O sono representa um terço de 24 horas, mas é capaz de influenciar um dia inteiro. Para comprovar isso, basta que se lembre de uma ocasião em que tenha dormido mal, certamente passou a manhã e a tarde seguintes sonolento, desatento e cansado. Dessa maneira, ao dormir cedo irá evitar esse tipo de situação, pois terá tempo suficiente para descansar e recuperar as energias.

Embora exista a indicação de dormir uma média de oito horas diárias, é importante se atentar às necessidades do seu corpo. Caso perceba que consegue acordar com disposição dormindo um pouco menos e que isso não está te atrapalhando, tudo bem. Na dúvida, consulte o seu médico, pois ele poderá dizer se o seu descanso está sendo o suficiente.

Dicas Para Dormir Cedo e Ter Dias Mais Produtivos

Depois de saber mais a respeito dos benefícios de dormir cedo, confira dicas que irão te ajudar a adotar esse hábito que irá te proporcionar mais produtividade e qualidade de vida.

1 – Adapte-se aos Poucos

Para começar a dormir mais cedo é necessário fazer uma adaptação gradativa, pois se hoje simplesmente se deitar antes de horário de costume irá passar horas entediado e sem sono. Nesse sentido, o ideal é começar se deitando cerca de 15 minutos antes e, também, programar o despertador com o mesmo período de antecedência. Então, a cada dois ou três dias ir aumentando o tempo até chegar no seu horário desejado. Assim, você evitará sentir sono durante a fase de adaptação, pois ela irá acontecer de maneira gradual.

2 – Mantenha o Pensamento Positivo Antes de Dormir

O primeiro pensamento que se tem pela manhã é referente ao último que se teve na noite anterior. Portanto, é fundamental que vá dormir com o pensamento positivo, de que o dia seguinte será incrível e muito produtivo. Se for acontecer algo importante, como uma apresentação de um novo projeto ou uma entrevista de emprego, por exemplo, mentalize que dará o seu melhor para que tudo corra bem. Assim, irá despertar com a mente focada em coisas boas.

3 – Elimine as Preocupações da Sua Mente

Ficar pensando nas coisas que tem para resolver no dia seguinte apenas farão com que o sono demore mais para chegar. Por isso, adote o hábito de anotar as coisas que precisa se lembrar, assim estará retirando-as da sua mente para que realmente possa relaxar. Outra forma interessante de desacelerar é fazer exercícios de respiração ou meditar, assim o seu corpo e o seu cérebro irão se desligar mais rapidamente para que adormeça e descanse.

4 – Crie um Ambiente Aconchegante

O ambiente em que se dorme tem uma grande influência na qualidade do sono. Os pontos mais importantes a serem considerados são: bloqueio da luz, silêncio e conforto. A luz da televisão, da janela ou de um abajur pode comprometer o descanso, assim como barulhos e um colchão que não seja confortável. Por isso, lembre-se de conferir cada um desses detalhes no seu quarto, para que consiga relaxar verdadeiramente e acordar cedo com energia e disposição.

5 – Evite Utilizar a Função Soneca do Despertador

Até que se acostume completamente à nova rotina e desperte naturalmente, será necessário utilizar um despertador. Se tem o costume de fazer uso frequente da função soneca, que adia o toque para dez ou vinte minutos depois, é importante que evite fazer isso. A partir do momento em que o seu relógio ou celular tocou a primeira vez, você já despertou e não voltará a um estado profundo em apenas alguns instantes. Então, todo esse tempo acaba sendo desperdiçado, portanto, prefira logo se levantar e começar o dia.

6 – Saia da Cama e Tire o Pijama

Outro costume que muitos possuem é acordar e continuar na cama, procrastinando a hora de realmente levantar. Se a sua intenção é iniciar o seu dia mais cedo, também evite fazer isso. Assim que o despertador tocar, se espreguice, pois é importante alongar o corpo, e levante-se. Lembre-se de tirar o pijama mesmo que for ficar em casa, pois assim irá realmente adquirir a consciência de que o dia começou. Ficar pensando que precisa se levantar e trocar de roupa irá te desanimar, por isso, apenas faça.

7 – Defina uma Rotina Matinal

Por fim, é importante que defina uma rotina matinal, para que desfrute desse tempo com qualidade e o esforço de dormir mais cedo valha a pena. Escolha atividades que façam você se sentir bem e que te proporcionem energia. Talvez ir a uma academia de ginástica ou se exercitar em casa, correr, caminhar, meditar, praticar ioga ou mesmo realizar tarefas como preparar o seu almoço para levar ao trabalho, organizar a sua casa, estudar.

Independente das atividades que for realizar ao acordar, é importante transformá-las em hábitos, para que tenha uma real motivação para acordar. Afinal, se for para se levantar mais cedo e passar esse tempo mexendo no celular ou fazendo coisas que não agregam em nada para a sua vida, o seu esforço deixará de fazer sentido.

Você já tinha pensado em começar a acordar mais cedo para ter dias mais produtivos? Se tem esse desejo, evite alimentar pensamentos de que não irá conseguir, apenas comece e verá que é capaz disso e de muito mais.

Fonte: https://www.jrmcoaching.com.br/blog/dormir-cedo-fazendo-diferenca-na-sua-qualidade-de-vida/

5 Estratégias Para Administrar seus Pontos de Melhoria

5 Estratégias Para Administrar seus Pontos de Melhoria

Quando falamos em pontos de melhoria, não podemos ficar apenas vendo a vida passar para transformar nossas fraquezas em habilidades. É importante gozar de autoconhecimento e investir em sua evolução contínua. Na prática isso representa conectar-se a si mesmo e perceber o que pode e precisa ser melhorado, bem como o que precisa e pode ser potencializado. Para saber mais é só continuar lendo o artigo!

Confira quais são as 5 estratégias para gerenciar suas características a desenvolver

Para ajudar você a lidar de maneira saudável com os seus pontos de desenvolvimento no dia a dia, selecionei 5 estratégias super interessantes. Veja, pessoa querida:

  1. Dedique-se para melhorar sua competência deficitária: esse item se refere a ações diretas. Não consegue ser pontual? Perde a paciência facilmente? Bem, algumas habilidades são essenciais para a vida em sociedade. Esteja ciente dessa necessidade, tenha calma consigo mesmo pense que “apesar de ser bom em vários outros aspectos, posso melhorar neste ponto”. Então, foque no lado bom da mudança e, o mais importante, renove seus hábitos. Ajuste o despertador para tocar meia hora mais cedo, agradeça a alegria que é viver um novo dia, aproveite para dar uma olha na aurora e siga em frente com suas tarefas. Se ficar irritado com alguém, tente compreender o lado da pessoa e escolha exercitar sua calma. Lembre-se de que as ações práticas geram resultados extraordinários.
  2. Descubra seus artifícios pessoais: existem truques bem conhecidos para administrar pontos fracos, tais como imaginar a plateia nua quando se está falando em público para diminuir o nervosismo. A chave será encontrar suas próprias técnicas facilitadoras do comportamento desejado. Certamente você já possui vários “artifícios” para situações do dia a dia, agora chegou a hora de aprender algumas que promovam a auto melhora. Podem até parecer comportamentos bobos, mas se funcionam para você, não hesite em praticá-los! Descubra as táticas que funcionam para você!
  3. Sirva-se dos seus pontos fortes para superar suas fraquezas: tenha em mente seus pontos fortes. Você é explosivo? Sim, isso deve ser melhorado, mas também pode significar que você é bom em impor limites aos demais. Liste seus pontos fortes e tente atingir equilíbrio com o que deve ser melhorado. A esta altura, você já deve ter despertado sua capacidade de ressignificar, que é um ponto forte, pois o conceito representa dar outro significado a algo. Aproveite para repensar o que considera um ponto fraco e as crenças relativas a ele.
  4. Faça parcerias construtivas: o ser humano é um ser gregário, ou seja, próprio de multidão. A interação oferece inúmeros benefícios, incluindo o despertar para aspectos positivos de nossa personalidade dos quais antes não nos dávamos conta e o exercício de competências latentes. Juntar-se a alguém é frutífero principalmente quando pontos fortes e fracos de ambos os indivíduos se interligam e se complementam, gerando apoio mútuo. Se em uma dupla de amigos, um é falante, tempestuoso e pontual, enquanto o outro costuma se atrasar, ser calado e calmo, a tendência é que ambos andem em direção ao equilíbrio. Destacam-se também parcerias entre profissionais juniores e seniores e entre coach e coachee.
  5. Renda-se com inteligência: lembre-se da célebre constatação de Jung de que “o que você resiste, persiste”. Então, em último recurso, simplesmente pare de tentar fazer aquilo que você não está conseguindo realizar. É algo realmente imprescindível? A vida não deve ser uma jornada de Sísifo, um personagem da mitologia grega que foi condenado a carregar eternamente uma enorme rocha montanha acima. Ao contrário! Se você se render e admitir para si mesmo que não pode tudo (até porque isso é algo humanamente impossível), certamente sentirá um profundo alívio e irá se ater com mais facilidade aos seus pontos fortes.

 

Gostou das recomendações? Se você tiver mais alguma é só escrever nos comentários! Lembre-se dessas dicas e busque compreender seus pontos a se desenvolver, trabalhá-los e evoluir continuamente. Isso fará grande diferença em seus resultados pessoais e profissionais como também em sua vida como um todo.

Dica extra: use o coaching

O coaching é uma ferramenta que tem a capacidade de transformar a vida de alguém positivamente. Para usá-la corretamente é preciso aprender ao máximo com um coach. Por isso, o Instituto Brasileiro de Coaching (IBC) oferece diversos cursos que podem lhe ajudar em diferentes momentos da sua vida pessoal e profissional.

Uma das formações incríveis do IBC é a Professional & Self Coaching, também conhecida como PSC. Seu objetivo é transmitir um conhecimento e técnicas modernas do desenvolvimento humano de forma teórica e prática. Com carga horária de 180 horas, você terá 6 titulações (Self Coach, Professional, Leader, Life Coach, Analista Comportamental e Extensão Universitária, um reconhecimento acadêmico das faculdades Monteiro Lobato – FATO), podendo se tornar até um coach, caso queira.

É interessante destacar que o Self Coaching, que é a base do Self Coach, é uma metodologia desenvolvida por mim, José Roberto Marques, master coach senior, fundador e presidente do IBC. O método fala sobre a necessidade de se aprender novos conceitos para que você pense e possa descobrir novidades; sobre a importância de aprender novas habilidades para que você possa sentir-se empoderador e vivenciar a novidade; e obter novas capacidades para praticá-las quando precisar e se tornar um uma pessoa mais evoluída tanto em âmbito pessoal quanto profissional.

O conteúdo exclusivo do curso ensina sobre os principais pilares do coaching, tais como ferramentas, principais conceitos, ferramentas de destaque, o que são roteiros estruturados, qual é o processo de identidade, o que é processo evolutivo, o que são crenças limitadoras, o que são formulários de atendimento entre outros temas.

Além disso, você irá aprender sobre os princípios da psicologia positiva e da programação neurolinguística e ainda irá usar o Coaching Assessment, que é uma ferramenta exclusiva que mapeia tendências comportamentais, e que tem a validação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

O aprendizado ainda permite que você participe de métodos como a Roda da Vida, Rapport, Tríade do Tempo, Teste de Sistemas Representacionais, Roda das Competências, Roda da Inteligência Emocional e outros. Todos eles que buscam pelo seu melhor aproveitamento das sessões de coaching e evolução pessoal,

Ao final da formação, você terá desenvolvido habilidades importantes relacionadas ao gerenciamento do tempo e das atividades; patrocínio positivo; autofeedback; auxiliares linguísticos; exercício do autoconhecimento e da inteligência emocional; aprendizagem acelerada e muito mais!

O autoconhecimento é um dos itens mais importantes, pois é com ele que você será capaz de entender profundamente quais são suas características que precisam ser transformadas para que deixem de ser ou não se tornem sabotadoras. Mais do que isso: esse exercício será essencial para você compreender também como evoluir ainda mais as suas virtudes e ainda encontrar algumas que podem estar escondidas em meio à correria do dia a dia.

Para completar, O PSC tem certificação e reconhecimento internacional de 5 renomados institutos de coaching internacionais, que são: Internacional Association of Coaching, Global Coaching Community, European Coaching Association, International Coaching Council e Behavioral Coaching Institute.

Com certeza, esse curso será excelente na sua trilha pela administração dos seus pontos de melhoria! Compartilhe esse artigo nas suas redes sociais e espalhe o conhecimento.

Fonte: https://www.jrmcoaching.com.br/blog/5-estrategias-para-administrar-seus-pontos-de-melhoria/

Endomarketing como Estratégia de Gestão

Endomarketing como Estratégia de Gestão

Em minhas formações e em meus artigos sobre gestão costumo dizer que empresas são resultados de pessoas. São as pessoas que fazem a organização empresarial ter razão de existir. Em todas as etapas da cadeia de produção, as pessoas são fundamentais para garantir o funcionamento de uma empresa. Além disso, são elas que consomem o produto final (ou o serviço) oferecido pela empresa.

Mas, muito mais que criar estratégias para conquistar e encantar clientes, é fundamental que as empresas pensem em estratégias voltadas para um outro cliente: o interno. E é nesse contexto que é importante conversar sobre endomarketing. Se você deseja saber mais sobre esta poderosa estratégia de gestão, confira!

O que é Endomarketing?

Para entender o conceito de Endomarketing é importante conhecer suas origens etimológicas. Enquanto o prefixo “endo” deriva da língua grega e significa “dentro”, a palavra marketing vem de origem inglesa e significa “mercado”. Partindo do princípio etimológico, Endomarketing pode ser compreendido como um conjunto de ações internas voltadas tanto para a qualidade de vida dos colaboradores dentro da empresa quanto para fomentar o consumo e o engajamento dos mesmos dentro da organização.

Um dos principais objetivos do endomarketing é garantir a motivação dos colaboradores e assim, contribuir com a redução do turnover. Vale destacar que o endomarketing é uma poderosa estratégia de marketing institucional que promove a melhoria da imagem da empresa junto aos colaboradores – também chamado de público interno. Mas porque é importante investir em estratégias de endomarketing?

Assim como o público externo, os colaboradores também são representantes da marca em potencial. Por conhecer o produto e toda a cadeia de produção, os colaboradores podem se tornar poderosos advogados da marca – dentro e fora da empresa. As estratégias de endomarketing visam tornar os colaboradores em representantes e defensores não só dos produtos, mas da organização empresarial. Mas, para isso é importante que os colaboradores estejam cientes e envolvidos e com as políticas internas de trabalho, missão, visão, valores e estratégias da empresa.

RH ou Marketing: quem é o responsável pelo endomarketing?

Essa é uma dúvida frequente, querida pessoa! Afinal, no ambiente corporativo muitas vezes as demandas internas são de responsabilidade do departamento de Recursos Humanos ou Gestão de Pessoas. Mas em muitas corporações, o endomarketing está sob a gestão do departamento de marketing. Fica a pergunta: quem deve assumir o endomarketing de uma empresa?

A resposta para esta pergunta é: todos são responsáveis. Trabalhar com endomarketing requer o envolvimento destes departamentos já que cada um possui contribuições importantes para o sucesso das estratégias de endomarketing. Enquanto o departamento de Recursos Humanos busca atender as necessidades dos colaboradores, o departamento de marketing possui as habilidades e competências necessárias para elaborar ações que atendam estas demandas. É um trabalho que deve ser feito à muitas mãos.

O ideal é que estes departamentos – Recursos Humanos e Marketing – trabalhem juntos. Assim, as estratégias de endomarketing serão mais eficazes e alcançarão seus principais objetivos.

Conheça os Três Pontos Centrais do Endomarketing

Para entender melhor toda a estrutura do endomarketing, listei aqui os pontos centrais para que você veja como esta estratégia pode ser aplicada em sua empresa de maneira eficiente e segura. Confira!

1-    Estratégico

Este ponto tão importante do endomarketing tem como base o cumprimento das metas e objetivos definidos a partir das estratégias e planos de ações da empresa. Por isso que é fundamental que Recursos Humanos e Marketing trabalhem juntos. Isso garante a coerência das ações que serão executadas dentro da empresa.

2-    Motivacional

Este ponto está voltado para a qualidade de vida no trabalho (QVT) na satisfação profissional, produtividade – tanto individual quanto coletiva -, relações interpessoais e a própria motivação de cada colaborador. Se for preciso, reúna com a equipe responsável pelo endomarketing e elabore pesquisas para identificar o que motiva e o que precisa ser melhorado para que a motivação e a satisfação dos colaboradores cresça gradativamente.

3-    Gestão

Muito se engana quem pensa que os trabalhos de endomarketing não envolvem a gestão das empresas. Rever os processos de gestão e demais processos internos de trabalho fazem parte dos pilares do endomarketing. Várias organizações empresariais elaboram novos processos internos, suas respectivas normas e até mesmo  modo e ferramentas utilizadas para realizar tarefas através das ações de endomarketing. Por isso, é fundamental que a gestão esteja envolvida e seja encarada como um ponto de extrema importância para o endomarketing.

Conheça algumas ações de endomarketing

Para te inspirar neste processo, separei aqui algumas ações de endomarketing que podem ser implementadas em sua organização empresarial. E que ações são estas, querida pessoa? Confira a seguir e inspire-se!

1 – Pesquisa de satisfação

Esta pode ser considerada o primeiro passo para a elaboração de futuras ações de endomarketing. Além disso, tal iniciativa mostra aos colaboradores que a opinião de cada um é importante para a organização. Existem ferramentas gratuitas disponíveis na internet para pesquisas e mensuração dos resultados. A partir das informações obtidas com a pesquisa, será possível pensar e traçar estratégias de endomarketing que atendam os anseios tanto da organização quanto dos colaboradores.

2 – Ofereça benefícios para os colaboradores

Existem uma vasta gama de benefícios que podem ser oferecidos aos colaboradores. Planos de saúde, descontos em estabelecimentos – academias, farmácias, faculdades e universidades, por exemplo – são alguns dos muitos benefícios que podem ser ofertados para os colaboradores. Programas de benefícios são importantes para que o colaborador entenda que seu trabalho tem valor e é reconhecido pela empresa. Além disso, demonstra que a empresa tem cuidado não só com o colaborador como também com as pessoas importantes para ele – como os familiares.

3 – Planos de carreira

A criação e implementação de um plano de carreira dentro da organização é uma eficiente maneira de motivar os colaboradores. Afinal, o plano de carreira é uma valorosa oportunidade de reconhecer talentos e promover o crescimento profissional dos colaboradores. Empresas com planos de carreira mostram aos colaboradores e ao mercado de trabalho que os talentos profissionais são valorizados e devidamente reconhecidos.

4 – Invista na capacitação dos colaboradores

Com base nas pesquisas e feedbacks, será possível identificar quais habilidades precisam ser desenvolvidas pelos colaboradores. É importante investir na capacitação dos colaboradores pois o conhecimento é fundamental para o êxito dos processos internos. Além disso, oferecer oportunidades de capacitação é uma forma de reconhecer o potencial dos colaboradores e também demonstrar gratidão pela dedicação do mesmo.

5 – Integração é importante

Tão importante quanto promover oportunidades de crescimento é também promover momentos de descontração. Afinal, as relações interpessoais também são necessárias no cotidiano dos colaboradores. Momentos para um happy hour, comemoração de aniversariantes do mês ou de datas importantes para a organização – como o aniversário da empresa, por exemplo – contribuem de maneira positiva para estreitar laços entre os colaboradores e gestores, além de permitir novas experiências dentro e fora do ambiente de trabalho. Aproveite também as datas comemorativas para promover a integração entre as pessoas que fazem parte da empresa.

Espero que este conteúdo contribua de maneira positiva com o sucesso da sua empresa, querida pessoa. Utilize o espaço abaixo para contar a sua experiência com o endomarketing. Se quiser, conte os resultados obtidos com esta poderosa estratégia. Se você acredita que este conteúdo pode ajudar outras pessoas e organizações, curta e compartilhe em suas redes sociais.

Fonte: https://www.jrmcoaching.com.br/blog/endomarketing-como-estrategia-de-gestao/

BAIXAR O PDF
close-link