Do Zero ao Ápice – Acredite em suas Potencialidades!

Do Zero ao Ápice – Acredite em suas Potencialidades!

Onde estou e onde quero chegar? Estamos em um momento que podemos chamar de “salto evolutivo”. Já é possível afirmar que estamos transformando a “era da informação” na era da “psicotecnologia”, que é um novo tempo, onde as pessoas estão preocupadas em aprimorar suas capacidades internas, aumentar o seu autoconhecimento, conhecer melhor a própria mente e elevar o seu potencial ao máximo.

Nosso mundo está em constante evolução, mudanças tecnológicas e científicas, informações chegam rapidamente e se multiplicam, existe uma conexão instantânea para diminuir a distância e os acontecimentos são vistos em tempo real, e tudo isso impacta diretamente na nossa vida.

Tenho certeza que você já decorou a frase “o passado e o futuro não existem”, e quando falo em estado desejado, vivo repetindo isso para que todos entendam que a vida só existe no tempo presente – Só existimos no tempo presente. Tudo é projeção, percepção e memória, por isso temos a possibilidade de nos vermos tanto no passado – e ressignificá-los – como no futuro.

Mas, se o futuro não existe na realidade, como podemos alcançar o estado desejado se ele está no amanhã e não no hoje? Como manter o foco em algo tão intangível? As respostas para estas perguntas residem na ação de trazer o futuro para o presente, ou seja, de agir na direção de transformar aquilo que ainda não é concreto em algo visível e real do ponto de vista das realizações pessoais e profissionais.

Pense sempre que o tempo deve ser otimizado, ou corremos o risco de perder um dos nossos grandes diferenciais. Viver o tempo presente é o maior aprendizado que uma pessoa pode ter na vida. Esse é um aprendizado que promove cura e projeta felicidade. Dessa forma, valorizar o tempo presente é também não distanciar demais o estado desejado.

Acredite em suas Potencialidades e Acelere seus Resultados

Se você deseja muito alguma coisa e acreditava que isso só aconteceria daqui um ano, dois anos, quando ganhasse na loteria, quando terminasse a pós-graduação… E passar a acreditar que isso pode acontecer hoje, você estará indo do Zero ao ápice.

É preciso tomar atitudes, inclusive parar de protelar coisas que precisamos fazer, pessoas que precisamos visitar, filmes que precisamos ver. Tudo que você disser a si mesmo para não fazer algo agora é uma autossabotagem. É seu inconsciente determinando a si mesmo o não alcance de uma meta. Agir é uma decisão que rompe com o sistema de autossabotagem e autodestruição.

Será que você é capaz de trazer à sua memória alguma vez, ou talvez a ultima vez, que você esperou demais para fazer algo e perdeu uma oportunidade? A última vez que você disse que passaria na casa de alguém ou de algum familiar e nunca retornou? Ou a última vez que você disse que assistiria a um filme e, quando percebeu, ele já tinha saído de cartaz?

Talvez você tenha sentido algumas dores e disse para si mesma que iria ao médico. Pode ser que você tenha esperado demais e agora precise fazer algum tipo de tratamento que poderia ter sido evitado. Quando  nós protelamos seguidamente nossos sonhos, objetivos e metas, deixamos de honrar quem somos e de nos realizar por dentro e por fora.  Portanto, honrar o tempo presente, é saber aproveitar os momentos atuais e fazer deste um verdadeiro presente em nossa vida em todos os sentidos. Neste sentido, como você aproveitou seu dia de hoje? reflita!

Pense em como você vive seu tempo. Pense em como você dá significado às suas memórias, aquilo que representa seu passado. Reflita sobre como você idealiza suas realizações futuras . Quando nos permitimos ressignificar os momentos, crescer com eles, acabamos também dando novo significado ao nosso tempo presente. Permita-se viver seu tempo atual, receba suas experiências como oportunidades de amadurecimento e honre seu caminho até aqui. Faça valer a pena! Faça valer sua história!

Fonte: https://www.jrmcoaching.com.br/blog/do-zero-ao-apice-acredite-em-suas-potencialidades/

Razão e Fé – Uma Depende da Outra? Ou São Traços Individuais?

Razão e Fé – Uma Depende da Outra? Ou São Traços Individuais?

Ter fé significa acreditar mesmo sem poder ver, enquanto a razão é um raciocínio que busca entender algo através dos fatos. Em um primeiro momento, pode até parecer que razão e fé são traços completamente opostos e individuais, contudo, muitos acreditam que elas podem e devem andar lado a lado. Digo muitos porque não há uma resposta pronta para esse questionamento, que vem desde o tempo dos filósofos gregos e divide opiniões.

Se deseja formar a sua opinião e decidir se razão é fé são completamente opostas ou se dependem uma da outra, o primeiro passo é buscar informações sobre ambas. Assim, poderá entender todo o contexto desse debate e chegar à conclusão que mais fizer sentido para ti. Continue acompanhando este artigo e confira informações que irão te ajudar a formular a sua própria resposta.

A Relação Entre Razão e Fé

Como se trata de um debate bastante antigo, é de se esperar que sejam realizados diversos estudos sobre o tema, não é mesmo? Há alguns anos, uma equipe de psicólogos da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, resolveu fazer um experimento com cerca de 800 pessoas, incluindo nesse grupo religiosos e não-religiosos. Cada uma delas recebeu uma folha de papel com problemas matemáticos do tipo que quebramos a cabeça para resolver.

Ao analisar as respostas dos participantes, os pesquisadores constataram que a maioria daqueles que afirmavam ter fé erraram as questões. Enquanto os que se diziam céticos e racionais tiveram um maior número de acertos. É importante deixar claro que, em nenhum momento, os religiosos forem considerados menos inteligentes do que os demais, principalmente porque não era essa a intenção do estudo.

O que os pesquisadores puderam concluir através do experimento é que os religiosos erraram mais porque tendem a ser mais intuitivos e confiar mais nos seus instintos. Já os que são mais voltados para a razão querem entender todos os pormenores da questão e, por isso, leram os enunciados com maior cautela, o que fez com que as chances de erro, dentro do contexto do teste matemático, fossem reduzidas.

Em hipótese alguma se deve julgar a inteligência de alguém por conta de suas crenças. Além de ser uma atitude preconceituosa, é algo que não tem nenhum tipo de fundamento, já que é possível encontrar pessoas de todos os níveis intelectuais com e sem fé. Por isso, se existe uma questão em que razão e fé precisam depender uma da outra e se manter lado a lado é em relação ao respeito que se deve ter às diferenças. Afinal, o diferente sempre é capaz de nos ensinar lições poderosas.

Atitudes Positivas Para Conciliar Razão e Fé

Alguns afirmam que não seja possível conciliar razão e fé e, talvez, abraçar os dois conceitos em sua totalidade seja realmente delicado. Entretanto, se deseja desfrutar do que de melhor cada um desses lados tem a oferecer, existem atitudes que irão te ajudar nessa missão, veja quais são elas.

1 – Manter o Equilíbrio

equilíbrio é o caminho do meio, aquele que não se excede nem para um lado e nem para o outro, e é positivo em qualquer tipo de situação. Em se tratando da relação entre razão e fé, manter uma postura equilibrada irá permitir que mantenha as suas crenças sem deixar de considerar os fatos. Assim, poderá ter um relacionamento mais saudável consigo mesmo e com as pessoas ao seu redor.

2 – Escolher o Que Irá Acreditar

Para muitos religiosos, a fé sem razão é vazia, porque faz com que um indivíduo decida acreditar em algo não por si mesmo, mas para ser aceito por um grupo específico ou pela sociedade de maneira geral. Nesse sentido, é importante que procure refletir a respeito das suas crenças, para se certificar de que elas realmente são parte da sua identidade e não de uma imposição que seguiu sem pensar.

3 – Buscar Informação Sempre

A melhor maneira de se certificar do que acredita e ter argumentos quando alguém lhe questionar sobre o assunto é buscando informação. Isso é importante não para provar nada a ninguém, mas sim para que prove a si mesmo e tenha a certeza de suas ideias. Quanto mais conhecimento adquirir, mais irá se desenvolver, aprender e evoluir, o que não precisa significar perder a fé, mas, quem sabe, até torná-la mais forte.

4 – Respeitar Quem Pensa Diferente

Independente se você é ou não uma pessoa de fé, é fundamental que saiba respeitar aqueles que pensam diferente de ti. Afinal de contas, todos nós somos seres humanos e, por isso, somos iguais, com pensamentos e ideias que se divergem em muitos casos, mas essencialmente iguais. Quando se tem respeito é possível construir relações sadias e aprendermos uns com os outros, e isso é fantástico!

5 – Não Ter Medo de Ser Diferente

Da mesma forma que é importante respeitar quem pensa diferente, é fundamental que não tenha medo de ser diferente dos demais. Se todos ao seu redor têm uma determinada opinião e você não concorda com ela, tudo bem. Não permita que qualquer tipo de pressão faça com que sufoque a sua verdadeira essência, tenha orgulho de ser quem é.

6 – Evitar Discussões Improdutivas

Dialogar com indivíduos que pensam de maneira diferente de você, em relação à fé ou qualquer outro assunto, pode ser uma experiência extremamente enriquecedora, para ambos os lados. Contudo, quando um dos envolvidos se mostra desrespeitoso, o melhor a fazer é não insistir, porque esse embate certamente não levará ninguém a parte alguma.

7 – Permitir-se Mudar de Opinião

A vida é feita de ciclos e dentro deles existem elementos que nos acompanham e outros que se transformam com o passar do tempo. Assim, se uma opinião que tinha sobre a sua fé começar a mudar, não tenha medo. Mudar de ideia é algo completamente normal e que faz parte do processo de desenvolvimento humano. Portanto, não se culpe e veja a transformação como algo positivo.

Espero que este artigo tenha te ajudado a encontrar a sua própria resposta sobre a relação entre a razão e a fé e que, através dessa reflexão, possa se descobrir e conhecer melhor. Desejo a você um caminho de paz e luz, independente de suas crenças e opiniões.

Fonte: https://www.jrmcoaching.com.br/blog/razao-e-fe-uma-depende-da-outra-ou-sao-tracos-individuais/

BAIXAR O PDF
close-link