20 Técnicas Essenciais de Liderança

20 Técnicas Essenciais de Liderança

Ser líder é inspirar as pessoas ao redor, identificar e gerenciar talentos de forma a alcançar objetivos. Apenas através dessa curta descrição já se pode constatar que a liderança vai muito além de ocupar cargos de chefia e dar ordens, pois envolve conquistar o respeito e a confiança dos liderados. Continue acompanhando e confira vinte técnicas de liderança que os grandes líderes dominam e utilizam para alcançar o potencial máximo de suas equipes.

20 Técnicas de Liderança Que os Grandes Líderes Dominam

Se deseja se tornar um expert em liderança, é fundamental que esteja disposto a estar sempre em busca de aperfeiçoar suas habilidades, pois um grande líder é, também, um eterno aprendiz. Veja, a seguir, vinte técnicas essenciais para gerenciar uma equipe de sucesso.

1 – Ter Visão de Futuro

Defina uma visão para o futuro da equipe, pois as pessoas precisam ter um alvo para mirar. Lembre-se da velha expressão que diz: “Se você não sabe para onde está indo, qualquer estrada irá servir”. Mantenha sempre o grupo informado sobre para onde vocês estão indo e qual a melhor maneira de chegar lá.

2 – Ser Verdadeiro

Um líder é, acima de tudo, um ser humano que, como qualquer outro, tem suas vulnerabilidades, erros e acertos. É claro que é importante passar confiança para os liderados, entretanto, deve ser algo genuíno, pois ninguém é perfeito durante toda parte do tempo.

3 – Fazer Perguntas Poderosas

Uma das melhores maneiras de promover o desenvolvimento de um indivíduo é fazendo a ele perguntas que o levem a refletir. Além disso, através dos questionamentos certos, é possível conhecer melhor uma pessoa e extrair dela todo o seu potencial.

4 – Manter uma Comunicação Aberta

Um bom líder é aquele que mantém uma comunicação aberta com a sua equipe e incentiva todos a agirem da mesma maneira. Assim, mesmo assuntos mais delicados são abordados, porque apenas dessa maneira os problemas poderão ser resolvidos.

5 – Ouvir os Liderados

Por mais que os líderes geralmente tenham cargos mais elevados dentro de uma organização, eles não são detentores de todo o conhecimento. Por esse motivo, é muito importante saber ouvir o que os colaboradores têm a dizer e considerar a opinião deles ao tomar decisões.

6 – Saber Identificar Talentos

O primeiro passo para ter uma equipe forte é selecionar as pessoas certas para fazerem parte dela. Para isso, é necessário identificar os tipos de talentos, que podem vir prontos ou seres lapidados com o tempo. Cabe ao líder saber os perfis que ele precisa para montar um grupo coeso e pronto para enfrentar os desafios que surgirem.

7 – Incentivar o Trabalho em Equipe

Em uma equipe heterogênea, é natural que alguns se destaquem mais do que os outros. Entretanto, o tratamento deve ser sempre igual e, por mais que os esforços de cada um possam ser valorizados, é necessário manter o trabalho coletivo.

8 – Utilizar de Dados Concretos

A tecnologia possibilita que um líder tenha acesso a uma série de dados extremamente valiosos. Através dessas informações é possível mostrar para os liderados quais são os melhores caminhos a serem seguidos e, claro, tomar decisões mais assertivas.VOCÊ É FELIZ?

9 – Saber Ouvir Críticas e Sugestões

Quando os liderados ouvem tudo o que o líder diz sem questionar é necessário entender o que está acontecendo. Independente se estiverem acomodados ou confiando cegamente no supervisor, é necessário quebrar esse padrão, pois as críticas e sugestões são fundamentais para o crescimento de todo o grupo.

10 – Motivar Cada Liderado Individualmente

A motivação é uma questão pessoal, pois o que pode ser extremamente motivador para mim pode não ser para você e vice-versa. Por esse motivo, é necessário que o líder conheça seus liderados e encontre o fator motivador de cada um.

11 – Capacitar os Membros da Equipe

Mesmo que um profissional seja extremamente qualificado, sempre há algo novo a aprender. Investir na capacitação dos membros da equipe é dar a ele ferramentas necessárias para que faça a diferença na organização.

12 – Ter Flexibilidade

Para lidar com pessoas e extrair delas seu potencial máximo é importante saber ser flexível. Regras rígidas demais podem ser desestimulantes e comprometer o desenvolvimento dos profissionais.

13 – Confiar nos Liderados

Determinadas tarefas realmente devem ser realizadas pelo líder, entretanto, é preciso que ele confie nos seus liderados para evitar centralizar todo o poder. A delegação é uma ação indispensável para o bom andamento do trabalho do grupo e da empresa.

14 – Dar Feedbacks Individualmente

Dar feedbacks é indispensável para que os colaboradores se desenvolvam e aprendam com suas falhas. Contudo, é importante tomar alguns cuidados, como escolher as palavras certas e fazer isso individualmente, sem expor ou constranger o profissional.

15 – Reconhecer os Esforços dos Liderados

Todo ser humano precisa de reconhecimento, pois é através disso que cada um pode confirmar se está ou não no caminho certo. Então, lembre-se de reconhecer os esforços dos seus liderados, através de elogios ou utilizando outros meios adotados pela empresa para tal.

16 – Conhecer as Expectativas dos Liderados

Saber o que os seus liderados esperam de você como líder é essencial para que afinem os ponteiros e possam construir uma relação positiva. Desse modo, mantenha um diálogo aberto ou realize uma pesquisa perguntando como eles gostariam que fossem os feedbacks, as reuniões e o relacionamento de vocês como um todo.

17 – Manter o Equilíbrio Entre a Seriedade e a Falta Dela

Para impor respeito não é necessário manter uma postura sisuda e séria demais, por outro lado, exagerar nas brincadeiras também não é indicado. O ideal é encontrar o equilíbrio entre esses dois perfis e inspirar respeito ao invés de impô-lo.

18 – Saber Agir Perante Erros

Imagine que delegou uma tarefa a um colaborador que não a executou como deveria. Nesse caso, evite simplesmente fazer por ele, converse e ajude-o a encontrar a falha, para que aquilo sirva de aprendizado e a situação não volte a acontecer.

19 – Definir Prioridades

Quando tudo é considerado urgente, nada é realmente visto como importante. Nesse sentido, cabe ao líder definir a lista de prioridades e apresentá-las à equipe, para que os colaboradores não se sintam perdidos e saibam quais tarefas devem realizar primeiro.

20 – Ser um Bom Planejador

Um bom líder é aquele que sabe se planejar com antecedência, facilitando o seu próprio trabalho e, também, dos seus liderados. Quando tudo é feito em cima da hora e com prazos curtos corre-se o risco de a qualidade não ser a mesma.

Gostou das dicas? Quais considera as mais importantes? Contribua deixando sua opinião nos comentários!

Fonte: https://www.jrmcoaching.com.br/blog/20-tecnicas-essenciais-de-lideranca/

Administração do Estresse com Coaching

Administração do Estresse com Coaching

Há anos o Brasil figura nas estatísticas como o segundo país mais estressado do mundo. Esta constatação não é novidade para a maioria dos brasileiros, que diariamente, sentem e vivem, na pele, os reflexos do estresse e de uma vida repleta de compromissos e responsabilidades.

Os motivos para, às vezes, ou, quase sempre, nos sentirmos tão esgotados e a ponto de explodir, são os mais variados. Excesso de trabalho, violência, trânsito caótico, auto cobrança profissional e pessoal, falta de tempo, contas a pagar, falta de dinheiro, desemprego e dificuldades nos relacionamentos: são algumas das razões que nos tiram a paz.

Estresse no trabalho

Além disso, segundo uma recente pesquisa, realizada pelo Stress Management Association (Isma-BR), com profissionais de 25 a 60 anos, das cidades de São Paulo e Porto Alegre; apontou que 89% dos entrevistados sentiam-se estressados por não receberem nenhum reconhecimento de sua empresa ao seu trabalho.

Este resultado, além de alarmante é bastante expressivo, pois demonstra, na prática, que boa parte deste esgotamento e cansaço dos colaboradores se dá pela falta de contrapartida das empresas à sua dedicação. Então, se o funcionário dá o seu melhor e se dedica, com todo afinco, ao seu trabalho e não recebe o reconhecimento que merece, esta insatisfação vai apenas elevando o nível de estresse do profissional.

Isso também vai diminuindo progressivamente sua motivação, produtividade e qualidade de vida, dentro e fora deste ambiente. Consequentemente, nos tornamos pessoas estressadas, menos flexíveis e mais cansadas e infelizes.

O que pode causa o estresse no Trabalho

Antes de abordarmos as formas de lidar com o estresse no ambiente de trabalho acredito que seja importante sabermos o que pode causá-lo, uma vez que identificando a causa, o profissional tem a possibilidade de eliminá-la na raiz.

Pressão exacerbada

Existem empresas e gestores que empregam tanta pressão em cima de seus colaboradores, que os mesmos acabam desenvolvendo quadros de estresse crônico. A pressão geralmente acontece quando a organização estabelece metas, muitas vezes inalcançáveis, obrigando os profissionais que nela atuam a atingi-las. Isso faz com que os mesmos, por se frustrarem, acreditando serem os piores profissionais e indivíduos que existem, acabem se estressando de maneira extrema com as situações ao seu redor.

Competitividade exagerada

Outra grande causa do estresse ocupacional está na cultura que muitas empresas tem de estimular a competitividade de forma exagerada entre seus colaboradores. Em certo nível, a competitividade é importante e incentiva o profissional a busca o seu próprio aperfeiçoamento. Entretanto, se no dia a dia esta competitividade passa a ser mais agressiva, incentivando os colaboradores a usarem qualquer tipo de artifício para se destacarem no ambiente de trabalho, as chances de causar prejuízos e doenças ocupacionais nos funcionários é muito maior, do que de gerar bons resultados.

Sobrecarga de trabalho

Hoje em dia é comum ver profissionais levando trabalho para casa, trabalhando aos finais de semana, de madrugada, em seus momentos de folga e lazer, esquecendo-se que precisam descansar para produzirem melhor. É importante enfatizar, que quando o indivíduo sente-se sobrecarregado de trabalho, ou seja, quando vive com a sensação de que o que ele faz não é o suficiente ou quando não consegue delegar algumas tarefas a seus subordinados, por exemplo, a probabilidade se desenvolver, de maneira silenciosa, um quadro de estresse ocupacional, aumenta de forma significativa.

A tecnologia como principal inimiga

Seguindo adiante com o assunto estresse no trabalho, acredito ser essencial falar sobre um tema que tem causado bastante estresse nos mais diversos tipos de profissionais ao redor do mundo: a tecnologia e suas ferramentas.

Como eu disse no item anterior, atualmente, as pessoas não param de trabalhar nem por um minuto. Nesse contexto, algo que veio agravar ainda mais esta situação, foi o avanço tecnológico, que por meio de suas ferramentas, praticamente mantém indivíduos alertas, quase que 24 horas por dia.

São mensagens de e-mail e de texto, que podem ser lidas e respondidas instantaneamente na palma da mão, por meio dos smartphones, que fazem com que profissionais do mundo inteiro mantenham-se ainda mais conectados ao trabalho, mesmo quando não estão mais dentro da empresa.

Esta alteração na rotina de trabalho de muitas pessoas, tem levado muitos pesquisadores a estudarem os impactos que a tecnologia está gerando sobre colaboradores dos mais diversos tipos de empresas. Porém, uma coisa é certa: já é possível ver que este tipo de mudança tem gerado bastante estresse em indivíduos que não tem conseguido se desligar das empresas em que trabalham.

Como o Coaching Ajuda a Administrar o Estresse

Ao saber de todas estas informações é natural surgir à pergunta – Ainda assim, é possível fazer uma administração do estresse? Com certeza, a resposta é sim! E um método efetivo, que pode ajudar neste caminho, é o Coaching.

Com diversas técnicas e ferramentas, este extraordinário processo de desenvolvimento humano, ajuda a pessoa a identificar as fontes causadoras de seu estresse e, a trabalhar, assertivamente, para eliminá-las. Este apoio é essencial para eliminar a sensação de cansaço e estafa constante.

Assim, se, por exemplo, foi identificado que os problemas de estresse são causados pelo excesso de trabalho, o processo de Coaching irá ajudar o cliente (coachee) a identificar as crenças e comportamentos que estão sabotando seus resultados e sua qualidade de vida e trabalhar para deletá-los.

Em seguida, sempre o auxílio de um coach, o coachee terá todo o suporte para que possa fazer um planejamento profissional efetivo, de modo que isso ajude a pessoa a gerir melhor o seu tempo, atender suas tarefas e conciliar suas necessidades de forma mais equilibrada.

Encontrando Equilíbrio 

Por falar equilíbrio, esta deve ser a palavra de ordem de qualquer indivíduo que queira eliminar o estresse constante de sua vida. Entretanto, para conquistar este estado desejado é preciso aprender a dizer não ao excesso de responsabilidades, ter foco, prioridades bem definidas e saber o momento de parar e simplesmente desligar o pé do acelerador.

Nos dias atuais, tudo isso pode parecer uma tarefa difícil e uma realidade bem distante, porém, com dedicação e força de vontade é totalmente possível vencer os males do estresse. Com isso, é possível ter mais tempo para cuidar da sua saúde; estar com seu cônjuge, filhos, familiares; praticar seus hobbies, sair com seus amigos; descansar, a mente e o corpo, e conquistar maior autossatisfação e paz interior.

Busque o seu melhor, não deixe o estresse dominar os seus dias. Invista em Coaching para eliminar seus efeitos nocivos. Invista em você, no seu bem-estar e conquiste a qualidade de vida que merece ter. Pense nisso, permita-se relaxar e conte com o processo de Coaching para alcançar seu equilíbrio!

Fonte: https://www.jrmcoaching.com.br/blog/administracao-do-estresse-com-coaching/

Roda das competências: transformando empregos em carreira

Roda das competências: transformando empregos em carreira

Para atender ao mercado, hoje, não basta uma formação acadêmica sólida, tampouco ser apadrinhado por alguém. Esses dois exemplos são critérios que até são usados para entrar em uma empresa. Contudo, mais que conseguir um trabalho, é preciso se estabilizar, conseguir se manter.

Talvez o maior desafio da geração atual seja o de transformar em carreira empregos que, na maioria das vezes, não respondem aos seus anseios. A realidade de muita gente em épocas de crise financeira e desemprego é a de trabalhar em áreas diferentes da sua formação para garantir uma renda. Essa solução, embora seja legítima para momentos de dificuldade, roubam um tempo precioso da construção de uma carreira profissional.

Adquirir expertise e know how exige experiência e solidez, e isso só se consegue desenvolvendo um conjunto de competências, habilidades e atitudes que fazem de cada um profissionais específicos, pessoas lembradas por seus diferenciais.

Só por meio da competência individual, aliada a atualização constante e capacidade de dialogar com a contemporaneidade pode fazer com um emprego se transforme em uma carreira. Por carreira, entendemos uma trajetória profissional, um caminho percorrido e a ser percorrido, ou seja, uma história pregressa e uma história ainda a ser construída.

No sentido de mensurar nossas competências profissionais, em especial nossas competências para a contemporaneidade, há uma ferramenta importante para a autoavaliação profissional que gostaria de apresentar para vocês, ela se chama Roda das Competências.

Essa ferramenta é fundamental nesse momento pois ela nos auxilia a compreender nossas habilidades e competências que serão aplicadas na nossa profissão. As áreas da Roda das Competências podem mostrar a você onde estão as áreas fortes e as áreas que devem ser trabalhadas, ela faz um diagnóstico das suas competências.

Competência é o conjunto de seus conhecimentos, habilidades e atitudes.

Os conhecimentos são os saberes acumulados durante nossa vida, tanto os sistematizados, aqueles que adquirimos na escola, faculdade e todos os cursos, quanto os aprendizados da nossa vida.

As habilidades são as formas como aplicamos os nossos saberes; duas pessoas que fizeram o mesmo curso, por exemplo, podem não aplicar o conhecimento da mesma forma, pois toda aplicação exige uma habilidade.

Já as atitudes são nossos comportamentos, nossas ações, nosso modo de agir, ou de não agir.

A partir disso, vislumbramos nossas competências por meio dessa ferramenta e podemos fazer um balanço de nosso aspecto profissional. As áreas da Roda das Competências são: Empreendedorismo; Desenvolvimento de pessoas; Orientação para resultados; Liderança; Comunicação; Orientação para o cliente; Iniciativa; Criatividade; Relacionamento Interpessoal; Inovação.

Talvez você já esteja acostumado às ferramentas em formato circular, que chamamos de Rodas, mas pode ser que essa seja a primeira vez que você se passará por uma dessas ferramentas.

O procedimento é muito simples. A partir daqui você lerá alguns pequenos textos de reflexão acompanhados de perguntas poderosas para que você se conecte com cada uma das áreas da Roda das Competências. Ao final desse processo você deverá atribuir uma nota de 0 a 10 para cada área de acordo com sua reflexão. Com esse valor em mente, você deve colorir o espaço da roda referente à nota, por exemplo: caso você atribua nota 8 para o campo Inovação, você deve colorir o espaço entre 0 e 8.

Depois de todos os espaços coloridos, você deverá analisar a discrepância entre as áreas, analisando os que campos que mais precisam de sua atenção sem deixar de fortalecer os campos que já somam em suas competências mais desenvolvidas.

Empreendedorismo

Todo profissional é um empreendedor. No significado mais óbvio, empreendedor é aquele que empreende em um negócio próprio, com uma boa ideia e um bom planejamento. Mas mesmo que não seja abrindo um negócio, nós empreendemos o tempo todo, trabalhando nosso marketing pessoal, produzindo nosso networking e construindo nossa carreira.

  • Você se considera um empreendedor de talento?
  • Seus empreendimentos, mesmo os pessoais, costumam ser bem planejados? Eles obtêm sucesso?
  • Você busca se atualizar das informações de onde deseja empreender?

Desenvolvimento de Pessoas

Falamos muito em desenvolvimento pessoal, mas também é de suma importância pensar a sua capacidade em auxiliar outras pessoas a se desenvolverem também. Entre as habilidades que o mercado pede é a capacidade de motivar, de ouvir na essência, de empreender, de ousar, inovar, ter coesão em suas ações e decisões etc. O segredo de grandes líderes está em saber estimular o que há de melhor nas pessoas, auxilia-las na busca em desenvolver os pontos de melhoria.

  • Você se considera uma pessoa que contribui no desenvolvi- mento das pessoas que estão a sua volta?
  • O que você faz para que haja desenvolvimento mútuo no ambiente em que você está inserido?
  • De 0 a 10, quanto você acredita que consegue contribuir para o desenvolvimento das pessoas que se relacionam com você?

Orientação Para Resultados

Quando se trata de competências profissionais, mesmo com todas as características humanísticas de um profissional que trabalha com relações humanas, é importante termos foco nos resultados, pois são eles que garantem nossa sobrevivência no mercado de trabalho, especialmente quando trabalhamos como autônomos/empreendedores.

  • Você se considera uma pessoa capaz de retraçar novas rotas que atinjam as metas e resultados desejados?
  • Você tem foco em resultados e se preocupa com o alcance de metas?
  • Avalie numericamente quanto você acredita que é capaz de planejar, alcançar e avaliar

Trabalho e Liderança de Equipes

O Coaching Business tem o propósito de desenvolver habilidades específicas de liderança que, mesmo inconscientes por aprendizagem do self 2 – acabamos aplicando no nosso cotidiano. Assim, o jeito de um executive coach trabalhar é bastante característico e muito fácil de ser Com certeza, ao entrar em uma empresa, e aplicar a filosófica coaching e também as ferramentas de liderança e desenvolvimento de pessoas as chances de desenvolver um ótimo trabalho em equipe serão maiores.

  • Sobre a sua forma de trabalho e de liderança, você acredita que as pessoas conseguem identificá-lo como um bom líder?
  • Em relação a sua postura no ambiente empresarial, você se considera uma pessoa que estimula a participação de todos nos processos propostos pela organização?
  • De 0 a 10, que nota você atribui às suas habilidades de liderança?

Comunicação

O campo relacional é o foco de toda comunicação no Business Coaching. Nossa principal preocupação é gerar rapport para que a comunicação seja sincera e seja compreendida por todos os colaboradores e também clientes externos. Sem desenvolver uma comunicação assertiva dificilmente você terá sucesso, seja na vida profissional, seja na vida pessoal, pois todas as oportunidades, as realizações, partem de um bom processo de comunicação.

  • Você se considera um bom comunicador? Já recebeu algum feedback (positivo ou negativo) a esse respeito?
  • Você costuma se preocupar com o verdadeiro entendimento das pessoas quando você fala ou escreve algo?
  • Você percebe o impacto da comunicação assertiva nas suas relações?

Orientações Para o Cliente

Quem é a razão da existência de todo profissional? O cliente! Seja ele externo ou interno. Toda pessoa que recebe uma ação profissional sua é seu cliente. Se você está focando em seus lucros, em seu status, em sua carreira, saiba que essas três coisas são resultado do trabalho que você desenvolve com seus clientes. São eles que geram seu lucro, que falam sobre o seu trabalho lhe dando status, e que possibilitam que você crie uma carreira.

  • Você se preocupa verdadeiramente com seus clientes, para além do quesito financeiro?
  • Você tem consciência de qualidade para os serviços que são prestados aos seus clientes?
  • De 0 a 10, o quanto você acredita que está orientado para seus clientes?

Iniciativa

Umas das competências que mais admiradas nos profissionais é a iniciativa. É revigorante trabalhar com pessoas que assumem a responsabilidade de fazer, em vez de deixar todas as decisões nas mãos de outras pessoas. Desenvolver a iniciativa nos empodera e nos faz mais efetivos. Somos mais ativos e confiantes quando tomamos iniciativa.

  • Você costuma decidir e fazer, ou esperar a orientação de alguém?
  • O que te chama mais a atenção: o risco ou a cautela?
  • Se tivesse que atribuir uma nota para sua iniciativa, que nota seria?

Acabativa

Muita gente deixa coisas no meio do caminho, começam e não terminam, desistem, esmorecem. A capacidade acabativa não é meramente fazer por fazer, mas terminar da forma mais efetiva e benéfica aquilo que se começou. A conclusão das coisas também é uma competência profissional, pois não adianta começar e não concluir. Pode ser que você tenha desistido de muitas coisas e acredite que não consegue terminar o que começou.

  • Em relação a ter acabativas, como você se vê nesse cenário?
  • Você se considera uma pessoa que começa e termina as suas metas da melhor forma possível, fazendo uso de todos as ferramentas dispostas a você?
  • De 0 a 10, quanto você acredita que consegue concluir satisfatoriamente as coisas que começa?

Criatividade

Não pense que a criatividade é uma característica exclusiva dos artistas. A criatividade é como um músculo que precisa ser exercitado, desenvolvido e apreciado, pois é inerente a todas as pessoas. Ser criativo é resolver problemas de uma forma completamente nova e particular. É fazer conexões que ainda não foram pensadas, trazer elementos que ainda não foram vistos, é o que as pessoas chamam, hoje, de “pensar fora da caixa”.

  • Você se vê como alguém criativo e inovador? Ou será que você gosta das coisas sempre da mesma forma e tem dificuldade com o novo?
  • Você busca produzir e auxiliar no desenvolvimento de novas ideias de inovação para o ambiente em que vive?
  • Avaliando sua criatividade, que nota você atribui ao seu potencial criativo?

Relacionamento interpessoal

Você certamente já ouviu a seguinte frase alguma vez na vida “mexer com gente é muito difícil”. Essa frase é proferida de forma deliberada por muitos, mas se formos pensar trabalhar com pessoas é maravilhoso. Ter pessoas à nossa volta nos da a oportunidade de aprender algo novo a cada dia, ter acesso a experiências e conhecimentos que jamais poderíamos ter se vivêssemos ou trabalhássemos sozinhos. No entanto, ainda há muito o que se desenvolver no âmbito das relações interpessoais e é importante fazermos uma avaliação sincera a esse respeito e não nos acharmos maravilhosos o tempo todo.

  • Você consegue estabelecer relações saudáveis com as pessoas?
  • No seu trabalho, você considera que as pessoas têm você como alguém querido?
  • Para a sua capacidade de se relacionar com as pessoas, de 0 a 10, que nota você dá?

Inovação

Nenhuma palavra é mais utilizada na era da tecnologia que “inovação”. As marcas e empresas que conseguem inovar estão sempre na ponta dos processos. Dessa forma, também para nós é importante inovar. Hoje, especialmente, inovamos na forma de nos comunicarmos com nossos clientes, inovamos na prestação de nossos serviços, criamos aplicativos e tantas outras formas.

  • Quanto à inovação, você se considera uma pessoa inovadora?
  • Você busca estar atento as inovações do mercado para a sua área de atuação?
  • De 0 a 10, qual a sua capacidade de inovar no ambiente em que você vive e trabalha?

Abaixo segue a Roda das Competências, após responder essas perguntas e refletir sobre todos os campos aqui mencionados, marque na roda de 0 a 10 como você se enxerga em cada um desses campos.

Fonte: https://www.jrmcoaching.com.br/blog/roda-competencias-transformando-empregos-carreira/

O que significa Coach?

O que significa Coach?

Atualmente, existe a estimativa de que mais de 45 mil pessoas no mundo são coaches. Mas, você sabe o que é um coach? E se já sabe, você entende exatamente o que esse profissional faz? Para entender mais sobre o assunto é só continuar lendo o texto!

A definição e a história do termo

Se você vê muitos filmes de esportes, provavelmente, já deve ter visto esta palavra escrita na camisa ou no boné de algum técnico. Este termo em inglês representa exatamente a figura do treinador, aquele que leva seus jogadores para conquistarem a tão desejada vitória com suas técnicas, ferramentas, conhecimentos e experiências.

A origem da palavra vem de “coacher”, que ilustra como os condutores de carroças, que levavam os estudantes para os centros de educação, eram chamados no século XVIII. Essa movimentação de levar o aluno de um local para o outro com o objetivo de adquirir mais conhecimento foi usada como referência para que os alunos da Universidade de Oxford, na Inglaterra, chamassem seus tutores particulares. Estes eram responsáveis por ajudar os estudantes a passarem nas provas finais.

O termo ficou tão famoso que passou a ser usado em outras áreas. A universidade, por exemplo, deu o nome de coach aos técnicos de equipes esportivas.  Nos anos 50, a palavra coach foi utilizada pela primeira vez na literatura de negócios.

Vamos trazer esta analogia para o contexto atual. O processo de coaching tem um papel um pouco diferente do seu antecessor nos séculos passados. Um coach é aquele profissional que auxilia seu cliente, o coachee, a sair de seu estado atual e a chegar ao estado desejado por meio da condução a reflexões poderosas que levam a mudanças de comportamento, ressignificação de crenças negativas, aprimoramento técnico e emocional e a atitudes mais positivas e bem-sucedidas.

O que um coach faz

Agora que você entendeu o que é um coach é hora de entender como ele faz seu trabalho. O coach faz uma seleção de perguntas poderosas em sessões (semanais, quinzenais ou mensais) com duração de 1h a 1h30 para o seu coachee. A lista de questões é baseada em conversas prévias em que o profissional deve entender quais são as metas do coachee e o que este acredita que pode estar atrapalhando. O coach cria um verdadeiro ambiente de troca e sinergia, em que ambos se comunicam na mesma frequência e possuem os mesmos objetivos, que é chegar ao resultado desejado do cliente.

O coach é um expert em coaching que usa técnicas, ferramentas e métodos para ajudar seus clientes a definirem qual é o objetivo e a construir e seguir um plano de ações efetivo. Seus questionamentos produzem insights e reflexões que ajudam o coachee no seu processo de crescimento e amadurecimento pessoal e profissional. A partir disso, o questionado consegue exercitar o autoconhecimento e o autodesenvolvimento.

Além de oferecer a possibilidade de um profissional utilizar suas experiências conhecimentos e habilidades para fomentar o crescimento de pessoas e empresas, o coach também configura como uma atuação altamente rentável, tanto no sentido financeiro como nas possibilidades de evolução como ser humano. Para você ter uma ideia: só nos últimos 5 anos, o mercado brasileiro de coaching cresceu em mais de 300%.

Como se tornar um profissional do coaching

Todo profissional pode tornar-se um coach e utilizar seus conhecimentos para ajudar outras pessoas. Para isso, entretanto, é preciso fazer uma formação em uma instituição certificada e reconhecida internacionalmente, a exemplo do Instituto Brasileiro de Coaching (IBC), do qual sou fundador e presidente.

Como eu trabalho diretamente e diariamente no IBC tenho plena certeza de que as formações são construídas com o máximo de estudo e planejamento possível para que o coachee realmente passe por um processo transformador e empoderador. Os resultados são positivos tanto para aqueles que desejam evoluir nas próprias carreiras como para aqueles que estão começando no mercado de coaching.

Nichos de atuação do coach

Conheça quais são os principais nichos de atuação do coach:

  • Coach de Carreira: quem é especializado nesta área atua auxiliando os profissionais na definição dos seus planos de carreira, no desenvolvimento de competências e habilidades técnicas e emocionais, na melhoria ou mudança de comportamentos e no desenvolvimento/aperfeiçoamento da liderança.
  • Life Coach: o trabalho do coach de vida consiste em ajudar seu cliente a melhorar aspectos de sua vida pessoal que necessitam de atenção e maior equilíbrio. Aqui o profissional pode trabalhar em diversas esferas: em âmbito afetivo com o Coaching de Relacionamento; em algo mais pessoal como o autoconhecimento; na área familiar; na área da saúde, por exemplo, com o Coaching de Emagrecimento; na área financeira, contribuindo para a criação de uma consciência economia.
  • Coach Executivo: aqui o coach atua com empresas e executivos para o desenvolvimento dos processos decisórios; no aprimoramento das habilidades de gestão dos profissionais em posições estratégicas; no progresso dos relacionamentos interpessoais; no entendimento da inteligência emocional; na construção de ações para melhorar o clima organizacional e aumentar a taxa de retenção de talentos; na evolução dos processos de criação e sustentação da cultura organizacional; e muito mais.
  • Leader Coach: nesse item o profissional é capacitado com as ferramentas de coaching e apto a implantar esta cultura nas empresas e na melhoria dos processos de liderança de pessoas. Assim, todos os colaboradores podem aproveitar os benefícios da metodologia. Com o tempo, esse trabalho contribui fortemente para o alcance e até superação de metas.

A formação Professional & Self Coaching (PSC) é a mais completa e moderna do Brasil no assunto. O IBC promove um curso de 180 com um conteúdo exclusivo e super rico em informações. Após passar por esse aprendizado, você será um profissional de alto desempenho, não importando o cargo que o ocupa. E, é claro, se quiser também será um coach.

São conteúdos teóricos e práticos que ensinam sobre: a história e conceitos do coaching; o que são crenças limitadoras e como evitá-las; o que é e como aplicar o patrocínio positivo, autofeedback e feedback 360°; o que são auxiliares linguísticos; como fazer a aprendizagem acelerada: quais são os princípios da psicologia positiva e da programação neurolinguística; como liderar com sabedoria; quais são as regras do código de ética; como fazer o gerenciamento de pessoas, atividades e do tempo; e muito mais. Incrível, não é mesmo? Não perca mais tempo e invista em você mesmo!

Compartilhe esse conteúdo nas suas redes sociais e espalhe conhecimento.

Fonte: https://www.jrmcoaching.com.br/blog/o-que-significa-coach/

BAIXAR O PDF
close-link