Roda das competências: transformando empregos em carreira

Roda das competências: transformando empregos em carreira

Para atender ao mercado, hoje, não basta uma formação acadêmica sólida, tampouco ser apadrinhado por alguém. Esses dois exemplos são critérios que até são usados para entrar em uma empresa. Contudo, mais que conseguir um trabalho, é preciso se estabilizar, conseguir se manter.

Talvez o maior desafio da geração atual seja o de transformar em carreira empregos que, na maioria das vezes, não respondem aos seus anseios. A realidade de muita gente em épocas de crise financeira e desemprego é a de trabalhar em áreas diferentes da sua formação para garantir uma renda. Essa solução, embora seja legítima para momentos de dificuldade, roubam um tempo precioso da construção de uma carreira profissional.

Adquirir expertise e know how exige experiência e solidez, e isso só se consegue desenvolvendo um conjunto de competências, habilidades e atitudes que fazem de cada um profissionais específicos, pessoas lembradas por seus diferenciais.

Só por meio da competência individual, aliada a atualização constante e capacidade de dialogar com a contemporaneidade pode fazer com um emprego se transforme em uma carreira. Por carreira, entendemos uma trajetória profissional, um caminho percorrido e a ser percorrido, ou seja, uma história pregressa e uma história ainda a ser construída.

No sentido de mensurar nossas competências profissionais, em especial nossas competências para a contemporaneidade, há uma ferramenta importante para a autoavaliação profissional que gostaria de apresentar para vocês, ela se chama Roda das Competências.

Essa ferramenta é fundamental nesse momento pois ela nos auxilia a compreender nossas habilidades e competências que serão aplicadas na nossa profissão. As áreas da Roda das Competências podem mostrar a você onde estão as áreas fortes e as áreas que devem ser trabalhadas, ela faz um diagnóstico das suas competências.

Competência é o conjunto de seus conhecimentos, habilidades e atitudes.

Os conhecimentos são os saberes acumulados durante nossa vida, tanto os sistematizados, aqueles que adquirimos na escola, faculdade e todos os cursos, quanto os aprendizados da nossa vida.

As habilidades são as formas como aplicamos os nossos saberes; duas pessoas que fizeram o mesmo curso, por exemplo, podem não aplicar o conhecimento da mesma forma, pois toda aplicação exige uma habilidade.

Já as atitudes são nossos comportamentos, nossas ações, nosso modo de agir, ou de não agir.

A partir disso, vislumbramos nossas competências por meio dessa ferramenta e podemos fazer um balanço de nosso aspecto profissional. As áreas da Roda das Competências são: Empreendedorismo; Desenvolvimento de pessoas; Orientação para resultados; Liderança; Comunicação; Orientação para o cliente; Iniciativa; Criatividade; Relacionamento Interpessoal; Inovação.

Talvez você já esteja acostumado às ferramentas em formato circular, que chamamos de Rodas, mas pode ser que essa seja a primeira vez que você se passará por uma dessas ferramentas.

O procedimento é muito simples. A partir daqui você lerá alguns pequenos textos de reflexão acompanhados de perguntas poderosas para que você se conecte com cada uma das áreas da Roda das Competências. Ao final desse processo você deverá atribuir uma nota de 0 a 10 para cada área de acordo com sua reflexão. Com esse valor em mente, você deve colorir o espaço da roda referente à nota, por exemplo: caso você atribua nota 8 para o campo Inovação, você deve colorir o espaço entre 0 e 8.

Depois de todos os espaços coloridos, você deverá analisar a discrepância entre as áreas, analisando os que campos que mais precisam de sua atenção sem deixar de fortalecer os campos que já somam em suas competências mais desenvolvidas.

Empreendedorismo

Todo profissional é um empreendedor. No significado mais óbvio, empreendedor é aquele que empreende em um negócio próprio, com uma boa ideia e um bom planejamento. Mas mesmo que não seja abrindo um negócio, nós empreendemos o tempo todo, trabalhando nosso marketing pessoal, produzindo nosso networking e construindo nossa carreira.

  • Você se considera um empreendedor de talento?
  • Seus empreendimentos, mesmo os pessoais, costumam ser bem planejados? Eles obtêm sucesso?
  • Você busca se atualizar das informações de onde deseja empreender?

Desenvolvimento de Pessoas

Falamos muito em desenvolvimento pessoal, mas também é de suma importância pensar a sua capacidade em auxiliar outras pessoas a se desenvolverem também. Entre as habilidades que o mercado pede é a capacidade de motivar, de ouvir na essência, de empreender, de ousar, inovar, ter coesão em suas ações e decisões etc. O segredo de grandes líderes está em saber estimular o que há de melhor nas pessoas, auxilia-las na busca em desenvolver os pontos de melhoria.

  • Você se considera uma pessoa que contribui no desenvolvi- mento das pessoas que estão a sua volta?
  • O que você faz para que haja desenvolvimento mútuo no ambiente em que você está inserido?
  • De 0 a 10, quanto você acredita que consegue contribuir para o desenvolvimento das pessoas que se relacionam com você?

Orientação Para Resultados

Quando se trata de competências profissionais, mesmo com todas as características humanísticas de um profissional que trabalha com relações humanas, é importante termos foco nos resultados, pois são eles que garantem nossa sobrevivência no mercado de trabalho, especialmente quando trabalhamos como autônomos/empreendedores.

  • Você se considera uma pessoa capaz de retraçar novas rotas que atinjam as metas e resultados desejados?
  • Você tem foco em resultados e se preocupa com o alcance de metas?
  • Avalie numericamente quanto você acredita que é capaz de planejar, alcançar e avaliar

Trabalho e Liderança de Equipes

O Coaching Business tem o propósito de desenvolver habilidades específicas de liderança que, mesmo inconscientes por aprendizagem do self 2 – acabamos aplicando no nosso cotidiano. Assim, o jeito de um executive coach trabalhar é bastante característico e muito fácil de ser Com certeza, ao entrar em uma empresa, e aplicar a filosófica coaching e também as ferramentas de liderança e desenvolvimento de pessoas as chances de desenvolver um ótimo trabalho em equipe serão maiores.

  • Sobre a sua forma de trabalho e de liderança, você acredita que as pessoas conseguem identificá-lo como um bom líder?
  • Em relação a sua postura no ambiente empresarial, você se considera uma pessoa que estimula a participação de todos nos processos propostos pela organização?
  • De 0 a 10, que nota você atribui às suas habilidades de liderança?

Comunicação

O campo relacional é o foco de toda comunicação no Business Coaching. Nossa principal preocupação é gerar rapport para que a comunicação seja sincera e seja compreendida por todos os colaboradores e também clientes externos. Sem desenvolver uma comunicação assertiva dificilmente você terá sucesso, seja na vida profissional, seja na vida pessoal, pois todas as oportunidades, as realizações, partem de um bom processo de comunicação.

  • Você se considera um bom comunicador? Já recebeu algum feedback (positivo ou negativo) a esse respeito?
  • Você costuma se preocupar com o verdadeiro entendimento das pessoas quando você fala ou escreve algo?
  • Você percebe o impacto da comunicação assertiva nas suas relações?

Orientações Para o Cliente

Quem é a razão da existência de todo profissional? O cliente! Seja ele externo ou interno. Toda pessoa que recebe uma ação profissional sua é seu cliente. Se você está focando em seus lucros, em seu status, em sua carreira, saiba que essas três coisas são resultado do trabalho que você desenvolve com seus clientes. São eles que geram seu lucro, que falam sobre o seu trabalho lhe dando status, e que possibilitam que você crie uma carreira.

  • Você se preocupa verdadeiramente com seus clientes, para além do quesito financeiro?
  • Você tem consciência de qualidade para os serviços que são prestados aos seus clientes?
  • De 0 a 10, o quanto você acredita que está orientado para seus clientes?

Iniciativa

Umas das competências que mais admiradas nos profissionais é a iniciativa. É revigorante trabalhar com pessoas que assumem a responsabilidade de fazer, em vez de deixar todas as decisões nas mãos de outras pessoas. Desenvolver a iniciativa nos empodera e nos faz mais efetivos. Somos mais ativos e confiantes quando tomamos iniciativa.

  • Você costuma decidir e fazer, ou esperar a orientação de alguém?
  • O que te chama mais a atenção: o risco ou a cautela?
  • Se tivesse que atribuir uma nota para sua iniciativa, que nota seria?

Acabativa

Muita gente deixa coisas no meio do caminho, começam e não terminam, desistem, esmorecem. A capacidade acabativa não é meramente fazer por fazer, mas terminar da forma mais efetiva e benéfica aquilo que se começou. A conclusão das coisas também é uma competência profissional, pois não adianta começar e não concluir. Pode ser que você tenha desistido de muitas coisas e acredite que não consegue terminar o que começou.

  • Em relação a ter acabativas, como você se vê nesse cenário?
  • Você se considera uma pessoa que começa e termina as suas metas da melhor forma possível, fazendo uso de todos as ferramentas dispostas a você?
  • De 0 a 10, quanto você acredita que consegue concluir satisfatoriamente as coisas que começa?

Criatividade

Não pense que a criatividade é uma característica exclusiva dos artistas. A criatividade é como um músculo que precisa ser exercitado, desenvolvido e apreciado, pois é inerente a todas as pessoas. Ser criativo é resolver problemas de uma forma completamente nova e particular. É fazer conexões que ainda não foram pensadas, trazer elementos que ainda não foram vistos, é o que as pessoas chamam, hoje, de “pensar fora da caixa”.

  • Você se vê como alguém criativo e inovador? Ou será que você gosta das coisas sempre da mesma forma e tem dificuldade com o novo?
  • Você busca produzir e auxiliar no desenvolvimento de novas ideias de inovação para o ambiente em que vive?
  • Avaliando sua criatividade, que nota você atribui ao seu potencial criativo?

Relacionamento interpessoal

Você certamente já ouviu a seguinte frase alguma vez na vida “mexer com gente é muito difícil”. Essa frase é proferida de forma deliberada por muitos, mas se formos pensar trabalhar com pessoas é maravilhoso. Ter pessoas à nossa volta nos da a oportunidade de aprender algo novo a cada dia, ter acesso a experiências e conhecimentos que jamais poderíamos ter se vivêssemos ou trabalhássemos sozinhos. No entanto, ainda há muito o que se desenvolver no âmbito das relações interpessoais e é importante fazermos uma avaliação sincera a esse respeito e não nos acharmos maravilhosos o tempo todo.

  • Você consegue estabelecer relações saudáveis com as pessoas?
  • No seu trabalho, você considera que as pessoas têm você como alguém querido?
  • Para a sua capacidade de se relacionar com as pessoas, de 0 a 10, que nota você dá?

Inovação

Nenhuma palavra é mais utilizada na era da tecnologia que “inovação”. As marcas e empresas que conseguem inovar estão sempre na ponta dos processos. Dessa forma, também para nós é importante inovar. Hoje, especialmente, inovamos na forma de nos comunicarmos com nossos clientes, inovamos na prestação de nossos serviços, criamos aplicativos e tantas outras formas.

  • Quanto à inovação, você se considera uma pessoa inovadora?
  • Você busca estar atento as inovações do mercado para a sua área de atuação?
  • De 0 a 10, qual a sua capacidade de inovar no ambiente em que você vive e trabalha?

Abaixo segue a Roda das Competências, após responder essas perguntas e refletir sobre todos os campos aqui mencionados, marque na roda de 0 a 10 como você se enxerga em cada um desses campos.

Fonte: https://www.jrmcoaching.com.br/blog/roda-competencias-transformando-empregos-carreira/

BAIXAR O PDF
close-link