Como Começar a Entender a Mente Humana e os Nossos Comportamentos Que Não Gostamos

Como Começar a Entender a Mente Humana e os Nossos Comportamentos Que Não Gostamos

A mente humana é fantástica e desvendá-la é dar um passo importante na busca pelo autoconhecimento e desenvolvimento da inteligência emocional. Assim, é possível descobrir a origem de sentimentos, pensamentos, crenças limitantes, enfim, reconhecer a sua própria essência. Se quer saber como entender a mente humana e, assim, transformar comportamentos que estão comprometendo o seu sucesso e a sua felicidade, continue acompanhando este artigo.

Entenda a Sua Mente e Ouse Ir Além!

Nenhum ser humano é perfeito a ponto de não ter nenhum tipo de comportamento que possa melhorar. A evolução consiste exatamente nisso, estar sempre em busca de algo que possa ser aperfeiçoado. O seu estilo de vida, sua alimentação, a forma de se relacionar, seu senso de organização, disciplina, controle emocional, são vários os aspectos que podem ser trabalhados para que se torne uma pessoa e um profissional cada vez melhor.

Quanto mais buscar entender a sua mente e os seus padrões de comportamento, mais facilmente saberá como agir para transformá-los. Nesse sentido, entender a origem da sua desorganização, por exemplo, é um grande passo na busca pela mudança dessa atitude, pois saberá o que inicia esse padrão e, então, saberá como evitá-lo. Buscar a raiz de um hábito que considera ruim é fundamental para transformá-lo de forma definitiva.

7 Dicas Poderosas de Como a Entender a Mente Humana e Evoluir

Confira, a seguir, sete dicas poderosas de como entender a mente humana e identificar os comportamentos que considera inadequados para que possa transformá-los.

1 – Atente-se aos Seus Diálogos Internos

Os chamados diálogos internos acontecem quando refletimos antes de tomar uma decisão ou depois que algo aconteceu. Se atentar a eles é necessário para que se torne consciente em relação aos pensamentos que geram os comportamentos que deseja mudar. Essa é uma etapa de grande importância, pois irá permitir que identifique, também, a ação de crenças limitantes e outros tipos de ideias que comprometem o seu desenvolvimento.

2 – Comece a Se Observar

Complementando o passo anterior, procure também se observar, da mesma maneira que faria com uma pessoa que deseja conhecer. Descubra o que te deixa feliz, triste, calmo, irritado, inseguro. Para tornar esse exercício ainda mais eficaz, anote essas informações, pois manter essa espécie de diário emocional, além de ser excelente para ter uma visão ampla do seu comportamento, é uma forma de assimilar melhor as coisas que lhe acontecem.

3 – Reconheça os Comportamentos Inadequados

Ao se atentar aos seus diálogos internos e observar seu próprio comportamento, conseguirá reconhecer todos os comportamentos prejudiciais e outros que deseja mudar. É fundamental que essa seja uma etapa de descoberta, por isso evite os julgamentos, pois a intenção aqui é a de se aceitar para melhorar e não de se culpar e se sentir inferior. Lembre-se que todos os seres humanos possuem pontos a serem aperfeiçoados, portanto isso não te torna pior do que ninguém.VOCÊ É FELIZ?

4 – Encontre Atitudes Positivas Para Substituí-los

Depois de entender a sua mente e a origem dos comportamentos inadequados, chega o momento de definir quais são as atitudes positivas que irá utilizar para substituí-los. Se costuma ter reações exageradas quando sente raiva, por exemplo, encontre formas de extravasar antes de agir, como fazer exercícios de respiração, pensar em coisas positivas ou sair para caminhar ou correr. As possibilidades são inúmeras e, para escolher a melhor para o seu caso, é necessário considerar o que te ajuda a lidar positivamente com a situação que está te incomodando.

5 – Defina Metas Para Transformar Hábitos

Quando se tem um objetivo, é necessário transformá-los em uma meta, assim irá manter o foco em direção a ele e se motivar para alcançá-lo. Lembre-se de defini-lo com clareza e considerar, também, que precisa ser algo possível e que realmente traga benefícios para a sua vida. Quanto mais claro estiver em sua mente o que deseja mudar e o que irá fazer para conseguir, mais rapidamente chegará onde deseja. Entretanto, quando se trata de hábitos, é fundamental ter a consciência de que o esforço deve ser diário, até que aquela atitude se torne parte do seu comportamento.

6 – Imagine Sua Vida Após Essa Mudança

O método de visualização é extraordinário para se motivar a realizar os seus objetivos. Consiste em dedicar alguns minutos do seu dia para imaginar a sua vida após realizar a mudança de comportamento que deseja. Vá para um lugar tranquilo da sua casa onde não será interrompido, fique em uma posição confortável e comece criar cenas na sua mente, quanto mais detalhes, melhor. Ao experimentar os resultados dos seus esforços, mesmo que de forma imaginária, se sentirá muito mais forte para prosseguir.

7 – Seja Gentil Com Você

Durante um processo de mudança de comportamento, é natural passar por alguns tropeços. Se isso acontecer contigo, evite se culpar ou se sentir um fracasso, simplesmente porque você não é, e o seu esforço já faz de ti um vencedor. Uma falha não precisa significar voltar para a estaca zero, pois já caminhou muito para chegar até aqui. Portanto, pare, reflita a respeito do que te levou a agir de tal forma e continue caminhando, pois cada experiência vivida será crucial para que alcance o seu objetivo.

Acredite no Seu Poder de Transformação!

Ninguém precisa passar anos repetindo um padrão negativo de comportamento por achar que aquele é o seu destino, até porque cada um é responsável por construir a própria história. Nesse sentido, independente de quanto tempo da sua vida tenha passado repetindo uma atitude que te prejudica de alguma forma, você tem total capacidade de transformá-la. A partir do momento em que decidir assumir o controle sobre as suas ações, descobrirá o poder extraordinário que possui para se tornar a melhor versão de si mesmo.

Espero que as dicas e informações que compartilhei te ajudem a entender melhor a sua mente e a mudar o que deseja em seu comportamento. Evite adiar isso, comece se observando para identificar o que precisa trabalhar em seu interior e, então, vá fazendo pequenas mudanças, pois é através de pequenos passos que conseguirá chegar ao destino que deseja. Acredite em si e descobrirá toda a sua capacidade de ir além!

Fonte: https://www.jrmcoaching.com.br/blog/como-entender-mente-humana-comportamentos-que-nao-gostamos/

Rivalidade – Pontos positivos e negativos

Rivalidade – Pontos positivos e negativos

Dependendo do contexto, a palavra rivalidade pode ter significados diferentes. No âmbito esportivo, por exemplo, é algo natural, principalmente entre duas equipes que são igualmente fortes. Contudo, se formos falar de ambiente de trabalho ou de uma família, o conceito parece algo negativo, visto que, para muitos, denota falta de união e cooperação entre os envolvidos.

No artigo de hoje falarei sobre os aspectos negativos e positivos da rivalidade, sim, por mais estranho que pareça, é possível utilizar o desejo de competir de forma saudável, mas, para isso, é fundamental que se tenha equilíbrio. Continue acompanhando e saiba mais a respeito do assunto.

A rivalidade e os dois lados da moeda

A rivalidade é uma oposição existente entre pessoas que visam um mesmo objetivo. No futebol brasileiro, por exemplo, temos Corinthians e Palmeiras, Vasco e Flamengo, Inter e Grêmio que são clubes conhecidos pela rivalidade. Dentro de campo, isso é positivo porque torna a competição mais interessante e instiga os jogadores a se esforçarem ainda mais para vencerem o time rival. Contudo, quando os torcedores se excedem, o antagonismo se torna motivo para brigas e discussões, que podem chegar até a lamentáveis casos de violência.

No âmbito empresarial, podemos citar como exemplo de rivalidade companhias que atuam no mesmo segmento, como: Coca Cola e Pepsi, Apple e Samsung, Adidas e Puma, Fiat x Volkswagen, entre tantas outras. Nesses casos, o desejo dessas empresas de vencer a concorrência faz com que os consumidores saiam ganhando, porque têm acesso a produtos cada vez melhores. Apenas é necessário que se tome cuidado para evitar que o foco esteja mais em criar algo melhor que o concorrente, do que naquilo que realmente importa, que é suprir as necessidades dos clientes.

Como se pode ver, a rivalidade pode ser positiva, e funcionar como uma mola propulsora para o sucesso, ou negativa, fazendo com que superar o concorrente seja mais importante do que qualquer outra coisa. Cabe a cada indivíduo e organização cuidar para se basear apenas no lado bom, assim, a competitividade é motivada principalmente pelo desejo de evoluir e não de apenas ser melhor do que o outro.

5 Passos para usar a rivalidade de modo positivo

É possível usar a rivalidade de modo positivo e fazer dela uma motivação para, mais do que superar os outros, se superar e evoluir. Veja, a seguir, cinco passos para conseguir isso.

1 – Entenda o motivo por trás da rivalidade

Antes de qualquer coisa, é preciso que entenda qual é o motivo que gerou a rivalidade entre você e seus colegas de trabalho, amigos ou seja lá quem for. Questione-se para buscar essa resposta, se for por alguma carência ou para ser aceito por determinado grupo, é melhor resolver essas questões por si mesmo, porque nada do que fizer externamente irá te preencher se o vazio vier de dentro. Se, por outro lado, for porque todos os envolvidos desejam alcançar a mesma meta, tudo bem, siga em frente e use isso como motivação para se superar a cada dia.

2 – Tenha um objetivo além da rivalidade

A rivalidade, quando tem apenas como motivação ser melhor do que um terceiro, torna-se vazia. No âmbito empresarial, como citei anteriormente, perde totalmente o seu valor quando o foco se direciona em ser melhor do que outra companhia, ignorando o que realmente importa, que é a satisfação dos clientes. Portanto, cuide para que o seu esforço tenha um objetivo maior e que a rivalidade seja apenas uma força extra para que dê o seu melhor.

3 – Evite levar a competitividade para o lado pessoal

Você provavelmente já viu imagens de grandes rivais políticos e de outras áreas sentados em volta de uma mesa para um jantar ou outros tipos de eventos. E isso é totalmente natural e saudável, afinal de contas, não é porque duas ou mais pessoas competem em determinado campo que precisam se digladiar a cada encontro. Se você e um colega de trabalho rivalizam para saber quem vai alcançar a meta mais alta de vendas, isso não significa que não possam se sentar juntos para tomar um café.

4 – Entenda que o sucesso do outro não precisa ser o seu fracasso

É claro que em uma competição há apenas um vencedor, a menos, claro, que haja um empate. Assim, se a equipe de vendedores de uma companhia está competindo para ver quem alcança o valor mais alto em vendas, apenas um conseguirá. Porém, é importante lembrar que o sucesso do outro não precisa ser o seu fracasso. Talvez, não tenha conseguido vender tanto quanto um colega, mas vendeu mais do que conseguiu no mês passado, por exemplo. Enxergar todo o contexto é importante para evitar que a rivalidade resulte em desmotivação.

5 – Saiba separar rivalidade de desunião

Geralmente, em uma empresa, existem momentos em que o esforço individual é o mais importante e, outros, em que o trabalho em equipe se mostra necessário. Saber reconhecer esses dois tipos de situação é fundamental para não se tornar aquele tipo de pessoa que quer competir a todo o momento, mesmo quando não há a mínima necessidade. É sempre importante cuidar para que a rivalidade não se torne sinônimo de desunião, porque, aí sim, ela pode se tornar negativa e prejudicial.

A rivalidade pode tanto ser positiva quanto negativa, cabe a cada um escolher como irá usá-la. Se optar por utilizá-la de modo positivo, poderá fazer como os atletas e se preparar com ainda mais afinco para superar as suas limitações em primeiro lugar e, então, conseguir vencer o adversário.

Vale dizer que nem sempre a vitória virá, o que é totalmente natural, já que não dá para vencer sempre. O importante é saber utilizar as derrotas para evoluir, reconhecendo os pontos em que errou e trabalhando cada um deles para acertar em uma próxima oportunidade. Afinal de contas, essas experiências nos ensinam muito mais do que qualquer outra e é através delas que podemos crescer.

Lembre-se sempre que a vida é uma eterna competição, não com os outros, mas consigo mesmo. Procure todos os dias vencer alguma fraqueza, reparar algum erro e, assim, se tornar a melhor versão de si mesmo.

Se as palavras que compartilhei até aqui fizeram sentido para você, envie este artigo para os seus amigos e incentive-os a serem cada vez melhores!

Fonte: https://www.jrmcoaching.com.br/blog/rivalidade-pontos-positivos-negativos/

BAIXAR O PDF
close-link