20 Dicas Para Fazer seu Dinheiro ser mais Bem Aproveitado

20 Dicas Para Fazer seu Dinheiro ser mais Bem Aproveitado

Quanto vale o seu dinheiro? Já parou para pensar nisso? Refletir sobre estas questões é importante para compreender o valor real dos seus esforços e rendimentos financeiros. Digo isso porque somos remunerados por nosso trabalho e a forma, como gastamos ou aplicamos nossa renda, faz toda diferença para entender se estamos aproveitando ou desperdiçando nosso “dindin”.

Pesando nisso, hoje eu trago 20 dicas dinheiro, ou seja, que vão ajudar você a fazer uma melhor gestão dos seus recursos. Além disso, estes aprendizados poderosos vão apoiá-lo a mudar comportamentos nocivos como o excesso de gastos supérfluos, ter atitudes mais positivas, expandir sua visão e desenvolver sua educação financeira de modo efetivo. Continue lendo e saiba como!

20 Dicas Para Aproveitar Melhor seu Dinheiro

  1. Organize suas Contas – Coloque numa planilha de orçamento todos os seus gastos mensais e tabule todas as saídas e entradas de dinheiro. Mapear suas dívidas e entender sua renda real é o primeiro passo para aproveitar melhor seu dinheiro.
  2. Gaste Menos – Será que você realmente precisa de tudo que compra? Pense nisso e verifique, atentamente, se você não está gastando mais do que precisa. Para isso, busque pesquisar bem antes de fazer compras. Isso vale para alimentação, estudos, lazer, beleza e saúde, por exemplo. Acredite – as diferenças de preços podem ser surpreendentes.
  3. Economize – Economizar é uma palavra-chave importante e deve estar em seus pensamentos e ações. Para isso, defina um montante mensal e separe o que for possível, de seu salário e renda, e guarde. Essa reserva vai trazer benefícios maravilhosos em médio e longo prazo.
  4. Corte Gastos – Diferente de gastar menos, cortar gastos representa identificar aquelas contas e investimentos em produtos e serviços supérfluos. Se, por exemplo, você passa a maior parte do tempo fora de casa, por que ter um telefone fixo ou um plano de 30 gigas de internet? Concentre-se em contratar e ter apenas o que for realmente útil a você. Não desperdice seu dinheiro.
  5. Defina Objetivos – Quando sabemos quais são os nossos objetivos relacionados ao dinheiro (economizar, investir, aplicar) temos mais condições de aproveitá-lo melhor. Por isso, defina suas metas financeiras e trabalhe para alcançá-las.
  6. Aplique Direito– Do que adianta ter dinheiro se você não faz com ele o que realmente gostaria? Conheça a si mesmo, identifique seus sonhos, metas pessoais e profissionais e administre seu dinheiro de modo que se torne viável realizar seus projetos.
  7. Respeite seu Dinheiro – Ou seja, não saia por ai gastando “a torto e adoidado” tudo o que você ganha. Claro que é importante viver o tempo presente, mas lembre-se que o dinheiro gasto sem consciência hoje, também pode lhe faltar e causar dor de cabeça amanhã. Respeite a si mesmo e honre seu esforço para conquistá-lo.
  8. Procure Orientação – Se quer poupar, mas não sabe ao certo quais são os investimentos mais indicados para você, peça ajuda de um especialista no assunto, como o seu gerente do banco ou mesmo umCoaching Financeiro. Deste modo terá todo o suporte para decidir quando e como investir seu dinheiro.
  9. Transforme seu Dinheiro – Se, por exemplo, você tem algum bem como uma casa ou apartamento para alugar, você pode fazer nestes, melhorias pontuais que agreguem valor e melhorem o preço do aluguel do seu imóvel. Por exemplo: pintar as paredes com uma tinha melhor, trocar as lâmpadas por modelos mais econômicos, melhorar a estrutura dos banheiros, colocar redes nas janelas contra o mosquito da dengue.  Isso aumenta o potencial e o valor econômico de sua fonte de renda.
  10. Honre seu Dinheiro – Só você sabe o quanto teve que batalhar para conquistar seu salário e ter uma renda, não é mesmo? Por isso, honre seus esforços e gaste seu dinheiro com consciência, sem impulsos e com responsabilidade. Ter este mindset positivo, com certeza, vai trazer “re$ultado$ extraordinário$” para sua vida.
  11. Anote todos os seus gastos – Crie o hábito de fazer a anotações de tudo o que você gasta numa agenda. Pode ser na agenda tradicional ou em alguma agenda eletrônica, do seu smatphone, por exemplo, muito prática pois está sempre a mão e o risco de você se esquecer é bem menor. Quando for anotar, procure separar todos os seus gastos: o que foi pago com cartão de credito, em dinheiro, cheques, debito e até permutas, se houver. Muitas pessoas descobrem o quanto gastam realmente depois de fazer esse controle. Não perca de vista seus gastos. Crie o hábito!
  12. Festa em casa – crie o hábito de se encontrar com amigos para confraternizar ou mesmo para uma festinha, em casa mesmo, ou na sua ou na de seus amigos. Isso economiza bastante. Além de fugir do estacionamento, do combustível para se deslocar até um restaurante, dos 10% do garçom, vai ficar ainda mais saboroso o jantar e até mesmo mais descontraído. É claro que sair de vez em quando é bom para os “bons ares” mas evite sair com tanta frequência. No final do mês faz uma grande diferença!
  13. Programa de educação financeira – existem hoje, pela internet mesmo, vários e interessantes cursos em educação financeira. Vale a pena investir num desses se você tem dificuldade e não teve o habito de fazer as economias certas. Esses programas ensinam desde onde aplicar seu dinheiro, qual a melhor opção até guardar dinheiro em casa mesmo, em cofrinhos ou caixinhas. O importante é que você crie o hábito e o compromisso de guardar cada percentual orientado em cada “caixinha” ou banco. É uma ótima forma de planejamento financeiro para você e juntamente com toda a família.
  14. Lista de compras – Antes de sair de casa, para o supermercado, ou feira, o que for, faça uma lista do que irá comprar. Isso evita gastos desnecessários. Se você vai preparar um jantar ou almoço de domingo, anote tudo que irá usar nesse almoço, por exemplo, caso contrário, irá comprar produtos além do necessário. Não se esqueça de anotar os gastos na agenda de gastos que comentei anteriormente.
  15. Passeios de graça – Muitas vezes nos esquecemos de pesquisar o que está acontecendo na cidade nos finais de semana. Existem vários eventos que são “free”, por exemplo, espetáculos, alguma feira, shows, etc. Pesquise em sites ou jornais locais para ver a agenda da semana e se organize para ir à alguns desses eventos. Essa é uma maneira de se divertir com gasto quase zero.
  16. Compras desnecessárias – Trocas desnecessárias não são saudáveis para quem está querendo economizar dinheiro. Se o seu carro está em bom estado, por exemplo, não está “pedindo oficina” e nem tampouco com o modelo ultrapassado, tente ficar com ele por mais alguns anos. A troca do carro por um mais novo ou zero km, vai gerar enormes gastos com readequação de seguro, adicionais no carro como alarme, radio, gps, etc. Por isso, saiba qual o momento certo da troca. Não se deixe levar pela vontade de ter um carro novinho.
  17. Use milhas para viagens – Antes de comprar suas passagens aéreas, aprenda a consultar seu programa de milhagem. Muitas passagens estão com preço bem em conta, embora precise de serem compradas com um prazo mais longo que antecede a viagem. Trechos mais longos é melhor usar as milhas. Muitas operadoras trabalham com milhas + dinheiro. Observe qual opção vale mais a pena e fique de olho nas datas das compras para aproveitar os descontos.
  18. Cupons de desconto – Muitas lojas possuem aplicativos que ofertam descontos por fidelidade. Saiba se realmente está pagando um valor baixo e ainda aproveitando o desconto que a loja oferece. Pode estar pagando “gato por lebre”. Fique atento!
  19. Faça compromissos – muitas pessoas gostam de fazer algum compromisso financeiro como: pagar um consórcio entre amigos, um consórcio de imóvel, veículo ou até mesmo uma prestação de uma casa. Tudo isso é importante desde que não vá deixar você apertado todo final de mês. Se você consegue sempre economizar um pouco mais além das suas expectativas, será ótimo para aumentar sua poupança no final de cada mês. Cuidado só para não estourar seu orçamento e as contas não fecharem no final do mês.
  20. Saiba onde quer chegar – Criar uma meta é sempre bom, tanto profissional como pessoalmente. Quem não sabe onde quer chegar não saberá nunca que caminho seguir. Estabeleça metas na sua vida. Foque no resultado dessa meta que os seus sonhos vão se tornar realidade.

Fonte: https://www.jrmcoaching.com.br/blog/10-dicas-para-fazer-seu-dinheiro-ser-mais-bem-aproveitado/

Como posso melhorar as finanças?

Como posso melhorar as finanças?

CLIQUE e inscreva-se no canal:

Confira com Tiago Curcio,  coach da Casule!

Como posso melhorar as finanças?

 

Saiba o que fazer.

Facebook ☛ http://facebook.com/clinicacasule
Instagram ☛ http://instagram.com/clinicacasule

Conheça o nosso site ↴
https://casule.com

Meu Blog ↴
https://casule.com/blog #casule

Whatsapp ↴
https://casule.com/yzap

 

Assine o nosso canal! e saiba como ter mais saúde mental e uma vida mais feliz! Gostou do vídeo?
Curta, compartilha e assine o canal pra não perder o que vem por ai! Ser feliz faz parte da vida!
Sonhe, mude de atitude, cuide da sua felicidade!

Assine o Canal de graça e receba as dicas de coaching, fonoaudiologia, nutrição e psicologia sem frescura toda semana!

Psicologia Financeira – Um Caminho Para Seu Controle

Psicologia Financeira – Um Caminho Para Seu Controle

O dinheiro, por si só, não é capaz de trazer felicidade, porém o uso sem controle do mesmo pode causar o efeito contrário. Afinal, um indivíduo que está com muitas dívidas acumuladas certamente terá a sua tranquilidade prejudicada, pois estará sempre pensando em seus credores e em como fará para pagá-los. Um caminho bastante interessante para evitar esse tipo de problema é a psicologia financeira, que tem como objetivo ajudar as pessoas a construírem uma relação mais saudável e positiva com o dinheiro.

O Que é a Psicologia Financeira?

A psicologia é uma ciência focada no comportamento dos seres humanos e na forma com a qual eles agem em relação ao mundo ao seu redor. Pode ser voltada para a vida, de uma maneira geral, ou tratar de temas específicos, como é o caso da psicologia financeira. Afinal, as nossas escolhas, incluindo as relacionadas ao dinheiro, têm uma forte ligação com o nosso estado emocional.

Como bem disse o grande investidor norte americano Warren Buffet, se você não pode controlar as suas emoções, também não conseguirá controlar o seu próprio dinheiro. Nesse sentido, um indivíduo que se deixa levar pelas emoções e age de maneira impulsiva, certamente irá realizar gastos desnecessários, o que pode vir a prejudicar o seu orçamento e chegar, até mesmo, a comprometer o seu patrimônio.

O objetivo da psicologia financeira, mais do que apenas educar, é tratar a raiz do problema que muitas pessoas têm em relação ao dinheiro. Assim, elas poderão compreender melhor as suas emoções e descobrir a origem de crenças que carregam sobre o assunto, a fim de solucionar todas essas questões internas e passar a fazer escolhas mais seguras e equilibradas.

A Influência das Crenças na Relação Com o Dinheiro

Um dos principais motivos que leva as pessoas a terem problemas para lidar com suas finanças são as suas crenças. Dessa forma, alguém que cresceu ouvindo de seus familiares que ter ambições e desejar ter mais dinheiro era ruim, irá associá-lo a coisas negativas. Outros tipos de crenças e costumes incluem: investimentos são para ricos, quanto mais parcelada uma compra for melhor será, usar o cartão de crédito de forma desenfreada, não ter o hábito de registrar gastos e daí por diante.

Um bom profissional especializado em psicologia financeira tem todas as condições para auxiliar essas pessoas a ressignificarem as suas crenças limitantes e a construírem uma nova relação com o dinheiro, com base em informações reais e em técnicas verdadeiramente eficazes. Trata-se de um processo em que o indivíduo deixará de olhar para a mesma direção e terá uma visão mais ampla a respeito dos seus aspectos financeiros.

Dicas Para Construir uma Relação Positiva Com o Dinheiro

Por mais que o acompanhamento de um profissional seja importante, existem algumas medidas que você pode começar a adotar sozinho para que passe a lidar com o dinheiro de forma cada vez mais positiva. Coloque as dicas a seguir em prática e veja como essa relação irá se transformar.

1 – Analise a Sua Situação Financeira Atual

A primeira atitude a ser tomada é fazer uma análise minuciosa sobre a sua situação financeira atual. Não tenha medo de dar esse passo, pois ele será o início de uma transformação, que pode ser desafiadora, mas irá te proporcionar uma vida mais tranquila. Saiba exatamente quanto ganha e quanto gasta mensalmente, pois essas informações serão fundamentais para os passos seguintes.

2 – Registre Todos os Valores

Agora é hora de eleger um meio para que registre todas as suas entradas e saídas de dinheiro, como se fosse uma empresa. Pode ser um aplicativo, uma planilha ou uma agenda de papel, se achar mais prático. O importante é que seja algo que tenha facilidade para usar, pois isso irá se tornar parte da sua rotina. Poder visualizar todos os seus gastos irá permitir que diferencie o que é necessário do que pode ser eliminado.

3 – Elimine os Gastos Desnecessários

A etapa seguinte envolve verificar quais gastos que tem atualmente e que pode eliminar, como anuidades de cartões de crédito que não usa, taxas que o banco cobra e você não sabe o motivo, a assinatura de uma revista que mal lê, enfim, faça uma verdadeira faxina e verá quanto dinheiro conseguirá salvar cortando custos pequenos e que pareciam inofensivos.

4 – Leve a Sério Sua Relação Com o Dinheiro

É fundamental que você esteja realmente disposto a mudar e leve a sério essa transformação. Afinal, de nada adianta seguir todos os passos por uma ou duas semanas e, logo depois, voltar para a estaca zero. Para ajudar nisso, é importante que tenha um objetivo maior, algo que te motive a continuar firme na mudança de comportamento para que possa realizar, como a compra de um bem, por exemplo.

5 – Pense Com a Razão Antes de Comprar

Muitas pessoas dizem que fazer compras é relaxante e vão ao shopping quando precisam se acalmar. Saiba que esse é um comportamento que deve ser completamente evitado, afinal a compra é um ato que deve acontecer quando se tem uma necessidade, por isso a razão deve vir sempre em primeiro lugar. Acumular objetos em casa que não terão utilidade não é nada saudável, sem contar no risco de se endividar em uma dessas ocasiões.

6 – Utilize as Facilidades Que Seu Banco Oferece

Hoje em dia, os bancos oferecem aos seus clientes inúmeras facilidades, como aplicativos que permitem realizar transações em questão de segundos, utilizando o celular. É interessante utilizar essa praticidade para se organizar e manter os seus pagamentos em dia. Apenas tome o cuidado de seguir todas as recomendações de segurança para que a sua conta fique resguardada.

7 – Pense no Futuro ao Tomar Decisões Financeiras

Por fim, procure sempre considerar o futuro antes de tomar decisões financeiras. É claro que é importante viver o presente e desfrutar de experiências que irão, de alguma forma, agregar em sua vida. Entretanto, é fundamental que haja um equilíbrio, para que construa um amanhã positivo para você e sua família.

Se deseja aliar a esse processo de transformação metodologias que te ajudem a, também, traçar metas para alcançar os seus objetivos, procure por um Coach Financeiro. Esse profissional irá auxiliar você a descobrir todo o potencial que possui para lidar com o seu dinheiro com sabedoria e, assim, conquistar tudo o que deseja.

 

Fonte: https://www.jrmcoaching.com.br/blog/psicologia-financeira-um-caminho-para-seu-controle/

BAIXAR O PDF
close-link