Administração do Estresse com Coaching

Administração do Estresse com Coaching

Há anos o Brasil figura nas estatísticas como o segundo país mais estressado do mundo. Esta constatação não é novidade para a maioria dos brasileiros, que diariamente, sentem e vivem, na pele, os reflexos do estresse e de uma vida repleta de compromissos e responsabilidades.

Os motivos para, às vezes, ou, quase sempre, nos sentirmos tão esgotados e a ponto de explodir, são os mais variados. Excesso de trabalho, violência, trânsito caótico, auto cobrança profissional e pessoal, falta de tempo, contas a pagar, falta de dinheiro, desemprego e dificuldades nos relacionamentos: são algumas das razões que nos tiram a paz.

Estresse no trabalho

Além disso, segundo uma recente pesquisa, realizada pelo Stress Management Association (Isma-BR), com profissionais de 25 a 60 anos, das cidades de São Paulo e Porto Alegre; apontou que 89% dos entrevistados sentiam-se estressados por não receberem nenhum reconhecimento de sua empresa ao seu trabalho.

Este resultado, além de alarmante é bastante expressivo, pois demonstra, na prática, que boa parte deste esgotamento e cansaço dos colaboradores se dá pela falta de contrapartida das empresas à sua dedicação. Então, se o funcionário dá o seu melhor e se dedica, com todo afinco, ao seu trabalho e não recebe o reconhecimento que merece, esta insatisfação vai apenas elevando o nível de estresse do profissional.

Isso também vai diminuindo progressivamente sua motivação, produtividade e qualidade de vida, dentro e fora deste ambiente. Consequentemente, nos tornamos pessoas estressadas, menos flexíveis e mais cansadas e infelizes.

O que pode causa o estresse no Trabalho

Antes de abordarmos as formas de lidar com o estresse no ambiente de trabalho acredito que seja importante sabermos o que pode causá-lo, uma vez que identificando a causa, o profissional tem a possibilidade de eliminá-la na raiz.

Pressão exacerbada

Existem empresas e gestores que empregam tanta pressão em cima de seus colaboradores, que os mesmos acabam desenvolvendo quadros de estresse crônico. A pressão geralmente acontece quando a organização estabelece metas, muitas vezes inalcançáveis, obrigando os profissionais que nela atuam a atingi-las. Isso faz com que os mesmos, por se frustrarem, acreditando serem os piores profissionais e indivíduos que existem, acabem se estressando de maneira extrema com as situações ao seu redor.

Competitividade exagerada

Outra grande causa do estresse ocupacional está na cultura que muitas empresas tem de estimular a competitividade de forma exagerada entre seus colaboradores. Em certo nível, a competitividade é importante e incentiva o profissional a busca o seu próprio aperfeiçoamento. Entretanto, se no dia a dia esta competitividade passa a ser mais agressiva, incentivando os colaboradores a usarem qualquer tipo de artifício para se destacarem no ambiente de trabalho, as chances de causar prejuízos e doenças ocupacionais nos funcionários é muito maior, do que de gerar bons resultados.

Sobrecarga de trabalho

Hoje em dia é comum ver profissionais levando trabalho para casa, trabalhando aos finais de semana, de madrugada, em seus momentos de folga e lazer, esquecendo-se que precisam descansar para produzirem melhor. É importante enfatizar, que quando o indivíduo sente-se sobrecarregado de trabalho, ou seja, quando vive com a sensação de que o que ele faz não é o suficiente ou quando não consegue delegar algumas tarefas a seus subordinados, por exemplo, a probabilidade se desenvolver, de maneira silenciosa, um quadro de estresse ocupacional, aumenta de forma significativa.

A tecnologia como principal inimiga

Seguindo adiante com o assunto estresse no trabalho, acredito ser essencial falar sobre um tema que tem causado bastante estresse nos mais diversos tipos de profissionais ao redor do mundo: a tecnologia e suas ferramentas.

Como eu disse no item anterior, atualmente, as pessoas não param de trabalhar nem por um minuto. Nesse contexto, algo que veio agravar ainda mais esta situação, foi o avanço tecnológico, que por meio de suas ferramentas, praticamente mantém indivíduos alertas, quase que 24 horas por dia.

São mensagens de e-mail e de texto, que podem ser lidas e respondidas instantaneamente na palma da mão, por meio dos smartphones, que fazem com que profissionais do mundo inteiro mantenham-se ainda mais conectados ao trabalho, mesmo quando não estão mais dentro da empresa.

Esta alteração na rotina de trabalho de muitas pessoas, tem levado muitos pesquisadores a estudarem os impactos que a tecnologia está gerando sobre colaboradores dos mais diversos tipos de empresas. Porém, uma coisa é certa: já é possível ver que este tipo de mudança tem gerado bastante estresse em indivíduos que não tem conseguido se desligar das empresas em que trabalham.

Como o Coaching Ajuda a Administrar o Estresse

Ao saber de todas estas informações é natural surgir à pergunta – Ainda assim, é possível fazer uma administração do estresse? Com certeza, a resposta é sim! E um método efetivo, que pode ajudar neste caminho, é o Coaching.

Com diversas técnicas e ferramentas, este extraordinário processo de desenvolvimento humano, ajuda a pessoa a identificar as fontes causadoras de seu estresse e, a trabalhar, assertivamente, para eliminá-las. Este apoio é essencial para eliminar a sensação de cansaço e estafa constante.

Assim, se, por exemplo, foi identificado que os problemas de estresse são causados pelo excesso de trabalho, o processo de Coaching irá ajudar o cliente (coachee) a identificar as crenças e comportamentos que estão sabotando seus resultados e sua qualidade de vida e trabalhar para deletá-los.

Em seguida, sempre o auxílio de um coach, o coachee terá todo o suporte para que possa fazer um planejamento profissional efetivo, de modo que isso ajude a pessoa a gerir melhor o seu tempo, atender suas tarefas e conciliar suas necessidades de forma mais equilibrada.

Encontrando Equilíbrio 

Por falar equilíbrio, esta deve ser a palavra de ordem de qualquer indivíduo que queira eliminar o estresse constante de sua vida. Entretanto, para conquistar este estado desejado é preciso aprender a dizer não ao excesso de responsabilidades, ter foco, prioridades bem definidas e saber o momento de parar e simplesmente desligar o pé do acelerador.

Nos dias atuais, tudo isso pode parecer uma tarefa difícil e uma realidade bem distante, porém, com dedicação e força de vontade é totalmente possível vencer os males do estresse. Com isso, é possível ter mais tempo para cuidar da sua saúde; estar com seu cônjuge, filhos, familiares; praticar seus hobbies, sair com seus amigos; descansar, a mente e o corpo, e conquistar maior autossatisfação e paz interior.

Busque o seu melhor, não deixe o estresse dominar os seus dias. Invista em Coaching para eliminar seus efeitos nocivos. Invista em você, no seu bem-estar e conquiste a qualidade de vida que merece ter. Pense nisso, permita-se relaxar e conte com o processo de Coaching para alcançar seu equilíbrio!

Fonte: https://www.jrmcoaching.com.br/blog/administracao-do-estresse-com-coaching/

A importância da gestão do tempo para o bem-estar pessoal e profissional

A importância da gestão do tempo para o bem-estar pessoal e profissional

As pessoas realizam muitas tarefas em um dia. Justamente por conta desse cotidiano agitado é mais difícil dividir o tempo, entre trabalho, lazer, atividade física, estudo, família e casa, realizar refeições, deslocar-se e descansar. Quanta coisa, não é mesmo? Continue lendo o texto para saber mais a respeito desse assunto!

O balanço entre a vida dentro e fora do trabalho

Hoje, buscamos um equilíbrio entre vida pessoal e profissional. O trabalho serve tanto para a realização profissional quanto para ganhar dinheiro e ter condições para viver experiências e comprar bens materiais. O poder econômico paga a mensalidade da academia, uma casa confortável, restaurantes, roupas, viagens, cursos, treinamentos, formações e muito mais.

O mundo funciona à base de dinheiro. Nesse sentido, dá a impressão de que nos ocupamos demais, principalmente trabalhando e estudando, não é mesmo? Pois, é a verdade! Por isso, o dia a dia é tão corrido ao ponto de termos que ajustar nossos compromissos pessoais e até o cuidado com a saúde entre os intervalos da vida profissional.

Os números provam a necessidade por equilíbrio

Uma pesquisa da consultoria Robert Half realizada em 12 países, aponta que os brasileiros são os profissionais mais estressados do mundo. A principal causa desse estresse é o excesso de trabalho. A sugestão dada pelos entrevistados para minimizar esse problema, é o trabalho em equipe, pois isso significa dividir as tarefas com um número maior de pessoas.

Diante disso, é possível perceber que as pessoas não conseguem se organizar adequadamente e isso gera estresse. Além disso, o excesso de trabalho é uma das principais reclamações dos profissionais brasileiros, por isso gastamos maior tempo e energia dedicados às atividades profissionais.

No geral vemos pessoas sem tempo para questões pessoais, como para realizar um curso não relacionado ao cargo que ocupa, manter um hobby, praticar esporte, viajar, reunir com os amigos ou realizar refeições em família.

Mas, é claro, que tudo que fazemos na vida tem consequência. Principalmente as ações que fazem mal à nossa saúde mental e física. Confira os principais pontos de impacto dos excessos a partir de agora.

Consequência da má gestão do tempo na vida profissional

A administração ruim do tempo traz inúmeras consequências negativas para a carreira de um profissional, tais como:

  • Perda de prazos;
  • Projetos inacabados;
  • Queda da produtividade;
  • Incapacidade de definir as prioridades;
  • Aumento das horas extras;
  • Ter que levar trabalho para casa e/ou perder o final de semana;
  • Perca da credibilidade;
  • Problemas de relacionamento com os outros integrantes da equipe;
  • Queda no número de clientes;
  • Reuniões improdutivas;
  • Demissão;
  • Falência.

Consequência da má gestão do tempo na vida pessoal

Gerir de forma incorreta o tempo traz consequências também para a vida pessoal do indivíduo. Conheça quais são as principais:

  • Faltar ou se atrasar aos compromissos importantes com amigos e familiares;
  • Problemas de relacionamento;
  • Procrastinação;
  • Problemas de saúde;
  • Queda na qualidade de vida;
  • Estresse e irritabilidade;
  • Insônia;
  • Distúrbios alimentares;
  • Desentendimentos;
  • Frustração.

Cuidar gerir melhor o seu relógio

A quantidade de tarefas que nos são dadas nos dias atuais, o excesso de trabalho, a concorrência no mercado, as atividades em casa, as obrigações com os filhos, entre outros fatores fazem com que as pessoas acumulem funções e demandas.

Precisamos de técnicas e ferramentas que nos possibilitem organizar o tempo, estabelecer prioridades, ter foco e comprometimento com nossos resultados, com aquilo que desejamos, tanto no âmbito pessoal como no profissional.

O coach é um profissional de coaching que pode auxiliar muito na gestão de tempo. Durante as sessões do método, o coach estabelece metas, objetivos e prazos para que as atividades sejam cumpridas, a fim de se alcançar o que se deseja. Além disso, são eliminados distrações e fatores que parecem importantes, mas não são.

Conheça a tríade do tempo

No coaching, existe uma ferramenta que se chama Tríade do Tempo, que avalia de que forma utilizamos nosso tempo, usando a priorização como indicador.

As importantes se referem àquelas atividades que realizamos e que são relevantes em nossas vidas, que traduzem resultados de curto, médio e longo prazo. Essas são as tarefas importantes e que devem ser feitas em determinado período de tempo e marcadas com antecedência.

As urgentes compreendem as atividades para as quais o tempo está curto ou se esgotou. São as exigências que chegam em cima da hora, que não podem ser previstas e geralmente causam estresse e pressão, como relatórios inesperados, problemas com clientes e esquecimentos.

As circunstanciais representam àquelas atividades desnecessárias ou excessivas, como gastos inúteis de tempo e as tarefas feitas por comodidade ou por serem “socialmente” apropriadas. Esta esfera representa aquele tempo gasto em vão, que não traz nenhum resultado, mas apenas frustrações.

Você já conhecia esse método?

Descubra o roda viva

Na ferramenta Roda da Vida, o coachee (o aprendiz, no caso é você) define notas de 1 a 10 para aspectos da sua vida como: âmbito pessoal, âmbito profissional, relacionamentos e qualidade de vida. Após todos os pontos definidos, o cliente traça um plano de ação no intuito de se dedicar aos pontos com as notas mais baixas. Com a funcionalidade Roda da Vida, é possível que a pessoa consiga identificar as áreas da sua vida que estão em desequilíbrio e assim, aplicar a gestão do tempo nas mesmas.

Balanço entre vida pessoal e profissional

Uma das grandes dificuldades encontradas pelos profissionais atualmente é a conciliação entre vida pessoal e vida profissional. Uma boa dica é se planejar constantemente.

Divida o tempo que destina às atividades profissionais e realize-as com afinco, evite distrações na hora do trabalho, como redes sociais, e-mails pessoais e outras coisas que possam atrapalhar sua produtividade, como se estender nos cafezinhos e na hora de almoço.

Estabeleça horários para entrar e sair, bem como intervalos para refeições. Saiba dizer “não”, não aceite mais demandas do que pode absorver, negar uma solicitação com um argumento verdadeiro, melhora bastante sua produtividade e a qualidade do seu tempo.

Faça o mesmo com as atividades pessoais, não atenda telefonemas e responda e-mails de trabalho nos horários estipulados por você para atividades pessoais, exceto em casos pré-acordados com a empresa. Evite falar de trabalho, mesmo que seja em um happy hour com colegas da empresa. Estabeleça horários para atividades físicas, momentos de lazer e estudo. Lembre-se de reservar momentos com a família, amigos, para realizar programas culturais, entre outros.

Comece agora mesmo

Já terminou o dia com aquela sensação de dever cumprido? Gerir tempo é uma questão de bem estar e saúde. Terminar o dia como se algo ainda está por fazer, não é nada bom. Preocupação com atividades não realizadas pode gerar estresse, perda de sono, distúrbio alimentar e pode acarretar doenças como depressão, síndrome do pânico, ansiedade, entre outras.

Uma boa gestão de tempo é feita por meio de planejamentos, estabelecendo objetivos que podem ser diários, semanais, quinzenais ou mensais. Você pode utilizar uma agenda, caderno, tablet ou smartphone, o que for melhor para o seu uso.

Anote todos os seus compromissos e, assim, ao consultar suas atividades, você terá uma visão de tudo o que tem que realizar e como deve se programar para isso, facilitando a execução das mesmas. Crie rotinas, horário para acordar, dormir, realizar refeições, levar os filhos ao colégio, fazer atividades físicas, estudar, enfim tudo aquilo que você deseja fazer em um dia.

Se for preciso, e possível, peça a seu superior um período para que realize suas atividades de trabalho em casa, o home office vem sendo uma ótima alternativa para profissionais que querem ganhar tempo driblando o trânsito.

E na sua vida, como tem sido a sua gestão do tempo? Existem pontos que podem ser melhorados? Comente e compartilhe o artigo nas redes sociais.

Fonte: https://www.jrmcoaching.com.br/blog/importancia-da-gestao-tempo-para-o-bem-estar-pessoal-e-profissional/

Vencendo o Medo de Trabalhar

Vencendo o Medo de Trabalhar

trabalho é parte fundamental na vida de um indivíduo, não apenas pela questão do sustento, mas também para que se sinta útil e tenha motivação para viver e se desenvolver. Contudo, o que parece natural para muitas pessoas, para aquelas que têm medo de trabalhar se torna um grande desafio. Esse sentimento é originado, principalmente, da insegurança de não conseguir corresponder ao que a empresa espera ou de não se achar bom o suficiente para assumir qualquer tipo de responsabilidade deste tipo.

Se você está passando por isso e sente uma grande ansiedade ao pensar que precisará ir trabalhar no dia seguinte, saiba que não está só. Muitas pessoas passam por essa situação e sofrem por não saberem como lidar com a pressão e o medo. Acredite, você é muito mais forte do que imagina e é capaz de vencer esse sentimento que está te limitando e impedindo o seu crescimento profissional.

 

Dicas Poderosas Para Vencer o Medo de Trabalhar

O medo é algo que todas as pessoas têm, a diferença está na forma com a qual cada um lida com ele. Quando bem dosado, sentir receio no trabalho fará com que se esforce para dar o seu melhor, reduzindo as chances de falhar. Entretanto, quando o medo se torna incontrolável, é sinal de que há algo errado e que precisa ser olhado com atenção. Confira, a seguir, as dicas poderosas que preparei que vão te ajudar a vencer esse desafio!

 

Descubra o Seu Valor

Se você está sentindo medo, provavelmente é porque se julga incapaz de cumprir com as obrigações do seu cargo. É necessário que descubra o seu valor, pois, com certeza, tem muitas qualidades, afinal foi selecionado para a vaga que está ocupando. Através do autoconhecimento conseguirá identificar as habilidades que mais se destacam no seu perfil e aprenderá a valorizá-las.

Quando passar a ter consciência do seu potencial, deixará de se abalar com críticas. Ouvir o que as pessoas dizem a respeito do seu trabalho pode ser interessante para verificar se há algo que realmente pode ser melhorado. Contudo, é fundamental que saiba filtrar os feedbacks positivos, que são aqueles que realmente têm a intenção de promover o seu crescimento, e eliminar os negativos, que servem apenas para te deixar para baixo.

 

Aperfeiçoe Seus Conhecimentos e Habilidades

Enquanto pensa a respeito das suas habilidades, aproveite para verificar se existem pontos que realmente podem ser melhorados. O foco não deve estar em melhorar para agradar aos outros, mas sim a si mesmo, para que tenha mais segurança ao realizar o seu trabalho. Pense nas maiores dificuldades que tem e, se achar necessário, converse com uma pessoa de confiança, para que ela fale de forma sincera e respeitosa o que acredita que possa te ajudar a se tornar ainda melhor.

Ao conhecer os seus pontos de melhoria, poderá definir as estratégias para aperfeiçoá-los. Se for uma questão técnica, poderá buscar livros ou cursos que possam te ajudar. Contudo, se for algo relacionado ao comportamento, como organização e concentração, por exemplo, basta que se empenhe para construir novos hábitos e vá promovendo as mudanças pouco a pouco.

 

Pense no Quanto o Medo Pode Te Limitar

Permitir que o medo te limite e atrapalhe o seu trabalho é o mesmo que não se envolver romanticamente com alguém por não querer sofrer com uma desilusão. Na vida, não temos a certeza de nada, nem de que as coisas darão certo e, muito menos, de que darão errado. Entretanto, ao se esforçar e buscar sempre dar o seu melhor, certamente estará aumentando as chances de sucesso e, consequentemente, reduzindo as falhas.

Evite se tornar refém do medo que sente, pois se continuar assim ele irá tomar conta da sua mente e história. Ainda em relação ao exemplo do relacionamento, imagine quantos momentos de felicidade uma pessoa estará perdendo ao evitar se envolver com alguém por medo. O mesmo vale para a sua vida profissional. Permitir que seus temores bloqueiem seus progressos na carreira e suas ações neste sentido irá tirar de ti inúmeras chances de crescimento, amadurecimento profissional, realizações e conquistas. Mostre que é mais forte do que seus pavores, pois você é!

 

Evite Se Comparar Com Colegas de Trabalho

As pessoas inseguras costumam sempre se comparar aos outros, colocando-se como inferiores. Evite fazer isso, pois é o tipo de coisa que apenas serve para te deixar mal e, além disso, é algo completamente injusto. Nessa comparação, irá pensar em todas as qualidades de outra pessoa em contrapartida a todos os defeitos que acredita ter. Sabe por que isso não é justo? Porque você não a conhece por completo e, assim como qualquer ser humano, ela certamente tem seus medos e inseguranças.

As comparações são negativas porque desconsideram as particularidades de cada indivíduo, características que os tornam únicos. O único tipo de comparação que vale a pena é aquela em que se considera o seu “eu” atual e o passado, que tem como objetivo constatar o quanto evoluiu e é capaz de evoluir. É fundamental que entenda que a sua busca deve ser por se tornar a sua melhor versão e a não de terceiros.

 

Se Necessário, Busque Ajuda!

Se, mesmo após se esforçar, perceber que realmente não está conseguindo superar o medo que sente do trabalho, pense sobre a possibilidade de buscar ajuda. Um coach de vida, profissional de Coaching, poderá te auxiliar no processo de autoconhecimento e autocura em relação seus medos e inseguranças. Através de ferramentas e técnicas poderosas de desenvolvimento pessoal e profissional, você irá conhecer todo o potencial infinito e conquistar o empoderamento que precisa para vencer seus medos e ir além em sua carreira.

Caso perceba que o medo está afetando outras áreas da sua vida de forma muito intensa, é importante que procure ajuda médica, pois isso pode acabar se tornando até mesmo uma síndrome do pânico. Assim, o profissional especializado irá verificar se você está com algum tipo de transtorno psicológico, como depressão ou ansiedade, por exemplo, e indicar o tratamento ideal para o seu caso. Cuidar da sua saúde mental é fundamental para que renove as suas energias e possa voltar ao trabalho com segurança e disposição sem que o medo paralise e limite você e seu sucesso.

Por fim, minha última dica é que evite se considerar inferior por estar sentindo esse medo, pois ele é mais comum do que você pode imaginar. Contudo, tudo tem um limite e é importante que mostre que deseja vencê-lo, esforçando-se e buscando ajuda se for preciso. Ao vencer esse obstáculo, passará a ter uma vida profissional muito mais saudável e positiva, o que irá abrir o caminho para que mostre a si mesmo e ao mundo todo o poder infinito que tem. Acredite em si mesmo e ouse vencer seus medos. O céu é o limite! Coragem e sucesso!

Copyright: 284340029 – https://www.shutterstock.com/pt/g/alphaspirit

 

Fonte: http://www.jrmcoaching.com.br/blog/vencendo-medo-de-trabalhar/

Como Lidar com uma Pessoa Bipolar no Trabalho

Como Lidar com uma Pessoa Bipolar no Trabalho

O cotidiano do ambiente de trabalho não é simples todos os dias. Além das tarefas diárias, dos problemas que chegam repentinamente, ainda há a personalidade diferente de cada um do time. Conviver com as diferenças respeitosamente é conviver bem em sociedade. Ter um colega de trabalho com transtorno bipolar é manter o tratamento de respeito só que com mais atenção, pois é preciso se lembrar que essa pessoa está passando por um problema e não é sua função intensificar isso.

Ao longo do texto, vamos falar mais sobre o transtorno bipolar no ambiente de trabalho. Acompanhe!

 

Identificação, consciência e tratamento

O transtorno bipolar é um distúrbio psiquiátrico causado principalmente pela oscilação constante entre um estado depressivo e um estado maníaco. Entenda como algo a ser investigado somente se essas alternâncias de humor mudanças se tornarem bruscas e excessivas.

estado da depressão tem sintomas como a tristeza, falta de interesse, falta de prazer, falta ou excesso de apetite, nervosismo, tendência para isolamento social. Já no estado maníaco, a pessoa tem pensamentos acelerados, humor mais exaltado e menos vontade de dormir. É importante não confundir esse estado com felicidade. Felicidade é algo bom de se sentir, o estado maníaco não é.

Não há causa definida para pessoas diagnosticadas. Alguns estudos indicam que pode ser hereditário, mas não há consenso entre os especialistas. Situações extremamente tristes como a perda de alguém próximo, abusos físicos e/ou psicológicos, uso de drogas ilícitas, uso de álcool, privação de sono e uso de medicamentos sem prescrição ou acompanhamento médico podem contribuir.

Infelizmente, não há cura para o transtorno bipolar, porém há o controle. Antes de mais nada, é essencial ter a consciência do problema e buscar ajuda médica. Outro ponto importante do estágio da consciência é que a família e os amigos mais próximos compreendam e estejam prontos para dar apoio. Após isso, é preciso seguir corretamente o tratamento indicado pelo profissional da medicina, fazer sessões de psicoterapia e trabalhar constantemente nas mudanças de hábitos de vida.

 

Revelação do diagnóstico no ambiente de trabalho

Contar para o gestor sobre um diagnóstico de bipolaridade é um assunto muito delicado. Imagine a seguinte situação: um colega de trabalho mais próximo de você conta que foi diagnosticado com bipolaridade, porém está com dúvidas se abre o jogo para a gestão ou não. O que você faz? Antes de fingir ser teraputa e fazer uma sessão, é preciso considerar alguns pontos:

  • Antes de considerar qualquer coisa, mostre-se disponível para ajudar a pessoa caso ela precise. É sempre bom poder contar com alguém de confiança.
  • Avalie o ambiente de trabalho como um todo. Reflita se área tem pessoas com a mente aberta e que compreenderiam e ajudariam. Faça a mesma reflexão em relação aos gestores e líderes.
  • O tratamento pode ter impacto significativo no trabalho, alterando o desempenho e o relacionamento com outras pessoas. Seu colega deve discutir isso com o médico dele.
  • Caso a pessoa decida comunicar é preciso que ela esteja pronta para explicar tudo sobre a doença e esclarecer possíveis dúvidas. Infelizmente, muitas pessoas ainda guardam preconceitos e fazem pré-julgamentos em relação a doenças como transtorno bipolar e depressão.
  • Por fim, apoie a decisão de contar se a pessoa se sente confortável e acha necessário compartilhar os problemas da vida pessoal com o gestor.

Como conversar sobre o assunto

Se você desconfiar que alguém no seu ambiente de trabalho tem transtorno bipolar, não saía por aí achando que é formado no assunto.

Primeiro, analise se você realmente tem intimidade para falar sobre isso com a pessoa. Ela pode estar passando por outros problemas que você não sabe, pois não se sente confortável em lhe contar.

Se está sente a vontade para falar é hora de pesquisar sobre o transtorno: o que causa e quais são os sintomas. Só depois disso, escolha um momento privado para poder conversar sobre o assunto. Explique que você estudou sobre o tema e mostre quais são as atitudes do cotidiano que fizeram com que você chegasse nessa conclusão. Também incentive que a pessoa busque auxílio profissional. E, é claro, seja compreensivo e mostre que você está disponível para ajudar no que for preciso.

 

Convivência respeitosa

Pode ser difícil conviver com uma pessoa diagnosticada com transtorno bipolar, porém se lembre de que para ela também não está sendo fácil. As alterações constantes de humor e os efeitos do tratamento tem forte impacto na vida dela.

Por isso, é essencial não considerar a convivência como um desafio. Existe um velho ditado que diz “se você não pode ajudar, também não atrapalhe”. Traduzindo para essa situação: se você não sabe ou não quer lidar com seu colega bipolar, também não alimente crises.

Existem algumas ações que você pode fazer se você quer cooperar para deixar o dia a dia da pessoa e o seu mais agradáveis. Confira alguns pontos importantes que selecionei:

  • Não faça pré-julgamentos: sua opinião não é o comentário profissional que a pessoa precisa ouvir.
  • Aceitação: trate o distúrbio do colega sempre com respeito.
  • Diálogo: converse com a pessoa se ela teve um comportamento bipolar e deseja falar sobre isso com você.
  • Seja empático: tenha bastante paciência, compaixão e seja solidário.
  • Consciência: esteja ciente de que poderá ter que presenciar crises de euforia ou depressão.
  • Atenção: fique atento em relação a possíveis comentários sobre suicídio. Comportamentos desse tipo devem ser informados a família e ao médico.
  • Disposição: esteja disponível para conversar sempre que a pessoa precisar.
  • Incentivo: seja um estimulador para que a pessoa continue o tratamento com remédios e com o psicoterapeuta.
  • Superproteção: é muito bom ajudar ao colega, mas não se esqueça de ser honesto. Não é preciso proteger o colega de críticas construtivas.
  • Autoconhecimento: entender a si mesmo é mais um passo para aprender a entender as pessoas a sua volta.

Agora que você já leu sobre o que é o transtorno bipolar, possíveis causas, tratamentos e como é importante respeitar quem possui essa condição, é hora de fazer sua parte. Trabalhe em você mesmo como melhorar seus comentários e atitudes em relação a esse problema.

Copyright: 683054101 – https://www.shutterstock.com/pt/g/bialasiewicz

Fonte: http://www.jrmcoaching.com.br/blog/como-lidar-com-uma-pessoa-bipolar-no-trabalho/

Os pilares para relações interpessoais no trabalho

Os pilares para relações interpessoais no trabalho

Passamos a maior parte do dia no trabalho, um ambiente geralmente pautado pela pressão, alta competitividade, e necessidade de se relacionar com pessoas de diferentes perfis e formas de enxergar o mundo ao redor. Nesse contexto, é fundamental construir relações interpessoais harmoniosas e produtivas para evitar fadiga e transtornos no futuro.

Fazer comentários maldosos, sobre determinado profissional, falar mal do chefe e da empresa, criticar o modo de alguém se vestir ou falar, desmerecer o empenho do outro e aproveitar-se da boa vontade dos colegas, são alguns exemplos de atitudes que sabotam as boas relações interpessoais. Por isso, é importante sempre evitá-las, para que assim, tanto o sucesso profissional, quanto os objetivos organizacionais sejam alcançados com maestria.

Convido você a me acompanhar nesta leitura e saber a importância de se manter uma relação harmoniosa entre os colegas de trabalho, bem como os pilares fundamentais para criar este clima na empresa. Confira:

A importância das relações interpessoais

Um ambiente de trabalho altamente construtivo e harmonioso, depende quase que exclusivamente dos membros que dele participam, ou seja, dos colaboradores que compõem o quadro de funcionários da empresa. Neste sentido, para que organização como um todo cresça e seus profissionais acompanhem este crescimento e se desenvolvam na mesma velocidade, é importante que todos trabalhem em um clima de perfeita harmonia e união, caso o contrário, os processos vão desandar e será ainda mais difícil alcançar os objetivos planejados.

Digo isso, pois, como sempre faço questão de enfatizar, tanto em meus textos, quanto em minhas palestras e treinamentos, empresas são resultados de pessoas, ou seja, se estas mesmas pessoas que fazem parte de um negócio, vivem em clima de “guerra”, de desunião, de desentendimento, onde um quer ser melhor e se destacar mais do que os outros, a probabilidade de bons resultados sejam alcançados, diminui consideravelmente.

Assim, é importante que todas as empresas tenham estratégias para desenvolver bem as relações interpessoais de seus colaboradores, disseminando esta cultura entre cada um deles, para que assim, seja criado, não só um ambiente de harmonia, mas também de respeito mútuo, em que todos saibam conviver com opiniões e pontos de vista diferentes dos seus.

Como as relações ruins podem comprometer o ambiente como um todo?

Colegas de trabalho que precisam desempenhar suas atividades diárias em conjunto, porém têm problemas de convivência e não conseguem administrar bem suas diferenças, têm o grande poder de comprometer todo o ambiente e o clima organizacional. Isso porque, sua rivalidade acaba sendo compartilhada e contaminando os demais colaboradores da empresa, que tomam por um lado ou pelo outro e assim, criam rixas internas desnecessárias e prejudiciais ao bom andamento dos processos.

O resultado disso é que as pessoas ao invés de realizarem as atividades pertinentes aos seus cargos e funções, e, consequentemente, ajudarem a empresa a atingir suas metas e objetivos, acabam focando em alimentar sentimentos ruins com relação a um ou mais colegas. Com isso, o trabalho fica comprometido, uma vez que o foco é apenas brigar e não resolver os problemas, seguindo em frente, trabalhando para que todos sejam beneficiados no final das contas.

Os pilares para uma boa relação interpessoal

Para respeitar e ser respeitado, é fundamental desenvolver comportamentos positivos e que favoreçam a boa convivência e a cordialidade entre colegas e líderes. Por isso, sempre respeite os pilares das relações interpessoais positivas, que vou compartilhar a seguir:

Honrar e respeitar a história do outro

Cada pessoa tem suas razões para agir de determinada maneira. Isso não quer dizer que ela seja melhor ou pior do que as outras, ou mesmo que justifique seus erros. Porém, do mesmo modo como você gosta de ser respeitado, é importante respeitar o ponto de vista de seus colegas, buscando ter em mente que por trás de todo ser humano, existe uma história que o levou a agir de um jeito ou de outro jeito.

Saiba, que a partir do momento em que você olhar para alguém, seja dentro ou fora do ambiente de trabalho, e fizer o exercício diário de honrar e respeitar a história por trás deste alguém, com certeza convivência entre será muito mais leve do que antes.

Suspensão de julgamentos

Antes de julgar a falha de um colega ou de seu superior, coloque-se no lugar dele e perceba como ninguém está livre de cometer erros — nem mesmo você! Se puder, ajude seu colega a corrigir o erro e ensine o que você sabe.

Faço questão de enfatizar que as pessoas precisam suspender seus julgamentos, seja sobre alguém ou alguma situação, pois assim, será muito mais tranquilo levar a vida, tanto profissional, quanto pessoal.

Invista em autoconhecimento

Muitas vezes, por falta de autoconhecimento e autocrítica, temos comportamentos nocivos no trabalho. Em vez de ser grosseiro ou maldoso, e magoar os colegas, tente compreender as razões de seu próprio comportamento (se são problemas com colegas, insatisfações com a empresa ou de cunho pessoal).

Ao compreender o problema, você tem mais condições de mudar suas atitudes e melhorar os relacionamentos, visto que o autoconhecimento é uma ferramenta poderosa, que nos ajuda a nos entendermos melhor e aplicar as mudanças necessárias, para que hajam melhorias significativas em todas as nossas relações interpessoais.

Desenvolva sua inteligência emocional

Profissionais com a inteligência emocional desenvolvida conseguem se relacionar melhor com seus colegas, pois lidam bem com críticas e usam-nas a seu favor. Assim, em vez de fazer cara feia e reagir impulsivamente, busque soluções amigáveis para os conflitos, que sejam benéficas, tanto para você, quanto para as pessoas ao seu redor, que muitas vezes não sabem lidar com suas próprias emoções e só precisam de alguém para lhe ajudar a orientar neste sentido.

Neste processo de desenvolver boas relações interpessoais, é importante entendermos que não temos de ser melhores amigos de nossos colegas de trabalho. Na verdade, é primordial apenas que os respeitemos assim como são, para que dessa maneira seja possível trabalhar de forma harmônica e encontrar maneiras de, juntos, alcançarem resultados extraordinários, para si e para a empresa como um todo.

E se você deseja aprimorar ainda esta a sua capacidade de desenvolver bem suas relações interpessoais, bem como o seu trabalho em equipe, conte com a ajuda do Professional & Self Coaching – PSC, a formação em Coaching do Instituto Brasileiro de Coaching – IBC, que lhe apoia em seu crescimento pessoal e profissional, uma vez que lhe oferece as ferramentas necessárias, para que você desenvolva o seu autoconhecimento e passe a honrar e respeitar a história das pessoas ao seu redor, suspendendo todo tipo de julgamento que você venha a ter referente a cada uma delas.

Experimente passar por este poderoso treinamento e permita-se transformar a sua própria realidade positivamente!

Agora em conte: em sua opinião, quais são as atitudes e os comportamentos que mais favorecem os bons relacionamentos no ambiente de trabalho? Deixe o seu comentário e lembre-se de compartilhar este conteúdo extraordinário com seus amigos em suas redes sociais, para que eles também saibam como lidar com os colegas de trabalho no dia a dia.

Copyright: 785607049 – https://www.shutterstock.com/pt/g/artdes

BAIXAR O PDF
close-link