A Força da Catarse

A Força da Catarse

Talvez catarse não seja uma palavra muito familiar para você, mas tenho certeza que conhecê-la fará muito sentido na sua vida, além do que, você reconhecerá muitos momentos em que viveu um processo de catarse.

Trata-se de um conceito que nasce em Aristóteles, ou seja, e´, antes de tudo, uma reflexão filosófica. Mas ultrapassa a filosofia alcançando as artes, a psicologia e até a medicina. Há uma diversidade de situações catárticas que nos alcançam em nossas vidas e elas constituem momentos de grande relevância na nossa história.

A catarse acontece dentro da gente. É desencadeada por uma ação humana, como quando pedimos perdão ou perdoamosalguém; ou pela arte, como quando assistimos uma peça de teatro ou filme que mexe com alguma coisa dentro de nós; ou também em situações terapêuticas e espirituais, como durante o processo de constelação ou em uma reunião religiosa.

A catarse como quando nossos sentidos despertam alguma emoção em nós. Um evento catártico ele é sentido e não compreendido. Ou seja: é preciso usar mais que a razão e a cognição. Muitas vezes é preciso inclusive neutralizar essa razão.

Esse sentimento muito forte pode se manifestar externamente ou não. Muitas pessoas acreditam que o choro é o único sinal de emotividade, mas não se engane, há coisas extraordinárias que acontecem dentro de nós que não necessariamente se manifestam em forma de choro.

Contudo a catarse não é uma emoção apenas. A catarse acontece como um possível resultado dessa emoção desencadeada. Ela se caracteriza por um profundo sentimento de libertação, de absolvição, de purgação. Nós carregamos pesos que nem ao menos conhecemos. Temos muitas “bolas de ferros” em nossos pés e acabamos naturalizando esses excessos. As situações catárticas nos livram dessas bolas.

Na filosofia a catarse aparece mesmo com o sentido de uma purificação após uma situação de muita força emocional. As tragédias gregas eram consideradas profundamente catárticas: tanto as catarses aconteciam nos personagens que eram encenados, quanto no público que assistia as peças.

Na visão aristotélica, a literatura, o teatro e a música provocam no homem uma sensação de alívio e de reflexão sobre si e sobre a vida, também desencadeiam o remorso e a alegria. A arte, revelar os conflitos humanos, escancarando-os, desperta no expectador o terror, a piedade, o ódio e todos os demais sentimentos que, ao final, leva-os à expiação de suas próprias emoções.

A elevação espiritual catártica não tem diretamente ligação com a espiritualidade, mas sem dúvida podemos afirmar que a espiritualidade também provoca a catarse nas pessoas. A expiação de nossas faltas e os sentimentos de expurgo são muito próprios dos discursos religiosos, dos mais diversos. Na tradição católica, por exemplo, há o momento da confissão dos pecados ao sacerdote.

Uma pessoa que aguarda sua confissão está em sofrimento, tensa por dizer coisas que gostaria de guardar e esquecer, nervosa e ansiosa pelo que irá ouvir do sacerdote, e constitui uma situação de angústia. Contudo, depois de passar pelo constrangimento de ter dito seus pecados, ao sair do confessionário, a sensação é de perdão, alívio e elevação espiritual.

Os processos sistêmicos, como a Constelação e o Psicodrama são fortes promotores de catarse. Há pessoas que defendem que, durante a constelação, as pessoas sofrem, uma vez que observam e vivenciam conteúdos muito dolorosos, mortes, rompimentos familiares, agressões, abortos, muita coisa que, revivida, causa dor, sofrimento e angústia. Isso é verdade. Mas o que a constelação promove não é sofrimento, mas catarse.

Quando uma pessoa visualiza seu mapa familiar no campo quântico, ela reavive as sensações, e isso pode causar um aparente sofrimento. Mas ao final o sentimento não é de uma continuação da dor, mas de uma libertação dessa dor.

A catarse é um sofrimento acompanhado de alívio, como se as prováveis dívidas tivessem sido pagas, a culpa tivesse sido apagada, e, por isso, o sofrimento cessasse. Definitivamente.

Moreno, criador do psicodrama, criou o termo “catarse de integração”. Esse termo vem da observação de que as situações dramáticas, em situação de tratamento psicanalítico em grupos, constituem-se em uma

série de situações de catarse, até dias depois da realização do grupo. Essa catarse acompanha a integração pessoa/grupo; corpo/mente; mente/ espírito; interno/externo; realidade/fantasia.

Catarse de integração também define um processo de catarse em que a catarse de um indivíduo está ligada à do outro. Num processo sistêmico por excelência. É uma ação catártica coletiva, em conjunto. O grupo acolhe, reconhece e potencializa a libertação de cada. O grupo funciona como um potencializador, como um megafone que amplifica os efeitos do fenômeno.

Não se espante, nem tenha medo. Da mesma forma que o Coaching nos revela nossa face e somos obrigados a olhar para nossas sombras, os processos sistêmicos nos provocam esse choque com nossa história. O medo nos impede de caminharmos rumo à libertação do medo.

O psicoterapeuta Wilsson Castelo de Almeida, compilando estudos sobre o termo catarse de integração, sistematizou três formas de catarse em grupo que constam no livro “Psicoterapia Aberta”:

Catarse de integração revolutiva

Nesta forma, o paciente e o grupo passam pelo acontecimento catártico que os revoluciona interiormente, sensibilizando-os e mobilizando-os para novos e oportunos aprofundamentos.

Catarse de integração resolutiva

Nesta forma, o grupo e o paciente têm vivência e consciência de todo material psicológico-existencial

recalcado, reprimido e oprimido. Como um relâmpago, gravam-se-lhes no espírito as possibilidades de um novo universo e um novo crescimento, dos indivíduos e do grupo. São catarses de grande força dramática e estas, sim, são de ocorrência rara e responsáveis por sessões esteticamente belas e emocionalmente significativas.

Catarse de integração evolutiva

Nesta forma, o paciente e o grupo vão somando gradativamente elementos catárticos parciais, surgidos no decorrer do processo. Vão também encampando elementos vivenciados em outros modos de ação, tais como o insight, insight psicodramático, feedbacks, love- backs, confrontos, encontros etc. De sessão a sessão, de dramatização a dramatização, a quantidade e a qualidade dos afetos e da compreensão da dinâmica interrelacional vão se modificando, até que um dia finaliza-se o processo.

As experiências de coletiva são sempre muito mais poderosas, no sentido de transformação, porque precisamos do coletivo, para sermos amados, sentidos, ouvidos e respeitados. O coletivo envolve todo o grupo e depende de uma sólida formação do coach/constelador.

Fonte: https://www.jrmcoaching.com.br/blog/a-forca-da-catarse/

O poder das emoções (Vídeo Completo)

O poder das emoções (Vídeo Completo)

CLIQUE e inscreva-se no canal:

Confira com Tiago Curcio,  coach da Casule!

 

O poder das emoções

 

Saiba o que fazer.

Facebook ☛ http://facebook.com/clinicacasule
Instagram ☛ http://instagram.com/clinicacasule

Conheça o nosso site ↴
https://casule.com

Meu Blog ↴
https://casule.com/blog #casule

Whatsapp ↴
https://casule.com/yzap

 

Assine o nosso canal! e saiba como ter mais saúde mental e uma vida mais feliz! Gostou do vídeo?
Curta, compartilha e assine o canal pra não perder o que vem por ai! Ser feliz faz parte da vida!
Sonhe, mude de atitude, cuide da sua felicidade!

Assine o Canal de graça e receba as dicas de coaching, fonoaudiologia, nutrição e psicologia sem frescura toda semana!

Não sei o que eu quero

Não sei o que eu quero

CLIQUE e inscreva-se no canal:

Confira com Tiago Curcio,  coach da Casule!

 

Não sei o que eu quero

 

Saiba o que fazer.

Facebook ☛ http://facebook.com/clinicacasule
Instagram ☛ http://instagram.com/clinicacasule

Conheça o nosso site ↴
https://casule.com

Meu Blog ↴
https://casule.com/blog #casule

Whatsapp ↴
https://casule.com/yzap

 

Assine o nosso canal! e saiba como ter mais saúde mental e uma vida mais feliz! Gostou do vídeo?
Curta, compartilha e assine o canal pra não perder o que vem por ai! Ser feliz faz parte da vida!
Sonhe, mude de atitude, cuide da sua felicidade!

Assine o Canal de graça e receba as dicas de coaching, fonoaudiologia, nutrição e psicologia sem frescura toda semana!

O que significa Coach?

O que significa Coach?

Atualmente, existe a estimativa de que mais de 45 mil pessoas no mundo são coaches. Mas, você sabe o que é um coach? E se já sabe, você entende exatamente o que esse profissional faz? Para entender mais sobre o assunto é só continuar lendo o texto!

A definição e a história do termo

Se você vê muitos filmes de esportes, provavelmente, já deve ter visto esta palavra escrita na camisa ou no boné de algum técnico. Este termo em inglês representa exatamente a figura do treinador, aquele que leva seus jogadores para conquistarem a tão desejada vitória com suas técnicas, ferramentas, conhecimentos e experiências.

A origem da palavra vem de “coacher”, que ilustra como os condutores de carroças, que levavam os estudantes para os centros de educação, eram chamados no século XVIII. Essa movimentação de levar o aluno de um local para o outro com o objetivo de adquirir mais conhecimento foi usada como referência para que os alunos da Universidade de Oxford, na Inglaterra, chamassem seus tutores particulares. Estes eram responsáveis por ajudar os estudantes a passarem nas provas finais.

O termo ficou tão famoso que passou a ser usado em outras áreas. A universidade, por exemplo, deu o nome de coach aos técnicos de equipes esportivas.  Nos anos 50, a palavra coach foi utilizada pela primeira vez na literatura de negócios.

Vamos trazer esta analogia para o contexto atual. O processo de coaching tem um papel um pouco diferente do seu antecessor nos séculos passados. Um coach é aquele profissional que auxilia seu cliente, o coachee, a sair de seu estado atual e a chegar ao estado desejado por meio da condução a reflexões poderosas que levam a mudanças de comportamento, ressignificação de crenças negativas, aprimoramento técnico e emocional e a atitudes mais positivas e bem-sucedidas.

O que um coach faz

Agora que você entendeu o que é um coach é hora de entender como ele faz seu trabalho. O coach faz uma seleção de perguntas poderosas em sessões (semanais, quinzenais ou mensais) com duração de 1h a 1h30 para o seu coachee. A lista de questões é baseada em conversas prévias em que o profissional deve entender quais são as metas do coachee e o que este acredita que pode estar atrapalhando. O coach cria um verdadeiro ambiente de troca e sinergia, em que ambos se comunicam na mesma frequência e possuem os mesmos objetivos, que é chegar ao resultado desejado do cliente.

O coach é um expert em coaching que usa técnicas, ferramentas e métodos para ajudar seus clientes a definirem qual é o objetivo e a construir e seguir um plano de ações efetivo. Seus questionamentos produzem insights e reflexões que ajudam o coachee no seu processo de crescimento e amadurecimento pessoal e profissional. A partir disso, o questionado consegue exercitar o autoconhecimento e o autodesenvolvimento.

Além de oferecer a possibilidade de um profissional utilizar suas experiências conhecimentos e habilidades para fomentar o crescimento de pessoas e empresas, o coach também configura como uma atuação altamente rentável, tanto no sentido financeiro como nas possibilidades de evolução como ser humano. Para você ter uma ideia: só nos últimos 5 anos, o mercado brasileiro de coaching cresceu em mais de 300%.

Como se tornar um profissional do coaching

Todo profissional pode tornar-se um coach e utilizar seus conhecimentos para ajudar outras pessoas. Para isso, entretanto, é preciso fazer uma formação em uma instituição certificada e reconhecida internacionalmente, a exemplo do Instituto Brasileiro de Coaching (IBC), do qual sou fundador e presidente.

Como eu trabalho diretamente e diariamente no IBC tenho plena certeza de que as formações são construídas com o máximo de estudo e planejamento possível para que o coachee realmente passe por um processo transformador e empoderador. Os resultados são positivos tanto para aqueles que desejam evoluir nas próprias carreiras como para aqueles que estão começando no mercado de coaching.

Nichos de atuação do coach

Conheça quais são os principais nichos de atuação do coach:

  • Coach de Carreira: quem é especializado nesta área atua auxiliando os profissionais na definição dos seus planos de carreira, no desenvolvimento de competências e habilidades técnicas e emocionais, na melhoria ou mudança de comportamentos e no desenvolvimento/aperfeiçoamento da liderança.
  • Life Coach: o trabalho do coach de vida consiste em ajudar seu cliente a melhorar aspectos de sua vida pessoal que necessitam de atenção e maior equilíbrio. Aqui o profissional pode trabalhar em diversas esferas: em âmbito afetivo com o Coaching de Relacionamento; em algo mais pessoal como o autoconhecimento; na área familiar; na área da saúde, por exemplo, com o Coaching de Emagrecimento; na área financeira, contribuindo para a criação de uma consciência economia.
  • Coach Executivo: aqui o coach atua com empresas e executivos para o desenvolvimento dos processos decisórios; no aprimoramento das habilidades de gestão dos profissionais em posições estratégicas; no progresso dos relacionamentos interpessoais; no entendimento da inteligência emocional; na construção de ações para melhorar o clima organizacional e aumentar a taxa de retenção de talentos; na evolução dos processos de criação e sustentação da cultura organizacional; e muito mais.
  • Leader Coach: nesse item o profissional é capacitado com as ferramentas de coaching e apto a implantar esta cultura nas empresas e na melhoria dos processos de liderança de pessoas. Assim, todos os colaboradores podem aproveitar os benefícios da metodologia. Com o tempo, esse trabalho contribui fortemente para o alcance e até superação de metas.

A formação Professional & Self Coaching (PSC) é a mais completa e moderna do Brasil no assunto. O IBC promove um curso de 180 com um conteúdo exclusivo e super rico em informações. Após passar por esse aprendizado, você será um profissional de alto desempenho, não importando o cargo que o ocupa. E, é claro, se quiser também será um coach.

São conteúdos teóricos e práticos que ensinam sobre: a história e conceitos do coaching; o que são crenças limitadoras e como evitá-las; o que é e como aplicar o patrocínio positivo, autofeedback e feedback 360°; o que são auxiliares linguísticos; como fazer a aprendizagem acelerada: quais são os princípios da psicologia positiva e da programação neurolinguística; como liderar com sabedoria; quais são as regras do código de ética; como fazer o gerenciamento de pessoas, atividades e do tempo; e muito mais. Incrível, não é mesmo? Não perca mais tempo e invista em você mesmo!

Compartilhe esse conteúdo nas suas redes sociais e espalhe conhecimento.

Fonte: https://www.jrmcoaching.com.br/blog/o-que-significa-coach/

Como um Coach ou o Coaching Vai Te Ajudar em Sua Educação Alimentar

Como um Coach ou o Coaching Vai Te Ajudar em Sua Educação Alimentar

A busca por uma vida mais saudável tem sido um assunto bastante discutido atualmente e uma das principais questões relacionadas a isso diz respeito à alimentação. Então, aproveito para te perguntar, numa escala de 0 a 10, como está a sua educação alimentar e a sua relação com a comida? Saiba que a metodologia do Coaching, com suas técnicas e ferramentas poderosas, pode te ajudar a reeducar sua mente e conquistar os seus objetivos também relacionados à saúde.

 

A Importância da Educação Alimentar

 

Diferente de uma dieta cheia de restrições e sacrifícios, a educação alimentar tem como principal objetivo transformar hábitos e levar os indivíduos a conhecerem melhor os alimentos e, assim,  naturalmente fazer boas escolhas em seu dia a dia. Perceba que a perda de peso não é uma prioridade nesse processo, pois ela é uma consequência das mudanças adotadas no estilo de vida.

A educação ou, como outros preferem chamar, reeducação alimentar é importante porque leva as pessoas a terem uma relação mais positiva com os alimentos e com seu próprio corpo. Nesse sentido, a culpa que muitos sentem ao comer algo mais calórico é substituída pelo equilíbrio de compensar esse momento com uma rotina alimentar mais leve do ponto de vista físico, mental e emocional. Não é sobre comer ou deixar de comer, mas sim sobre criar uma relação mais saudável com aquilo que você come, entende? Ao trabalhar estes aspectos, o sentimento de ansiedade dá espaço para a tranquilidade, algo que é fundamental para estar pleno: antes, durante e depois de comer qualquer coisa.

Nas dietas tradicionais, é seguido um cardápio com alimentos específicos e as quantidades que devem ser consumidas. Ao segui-lo à risca, certamente o peso será perdido, entretanto, a dificuldade maior está em manter esses resultados, pois geralmente existem muitas restrições com as quais a pessoa tem que lidar. Daí, ela fica um tempo sem comer algumas coisas e depois volta ao comportamento compulsivo novamente.

E sabe por que isso acontece com tanta frequência? Porque não basta apenas tirar ou inserir alimentos do seu cardápio por um tempo, é preciso trabalhar, acima de tudo, a mente, os sentimentos, emoções e os comportamentos que sabotam a manutenção de uma relação mais saudável com a comida.

Assim, não será preciso entrar e sair de dietas o tempo todo, pois será possível criar atitudes melhores em relação ao que você come e também melhorar a sensação de como se sente ao fazer isso. Por isso mesmo, no caso da educação alimentar, como são hábitos que vão sendo gradativamente modificados; a chance de você conquistar paz com a balança é muito maior.

 

O Papel do Coaching na Educação Alimentar

 

Um coach nutricional, profissional de Coaching com foco na alimentação, pode ser uma pessoa com formação em nutrição ou atuar em conjunto com um nutricionista, auxiliando o coachee, cliente, a mudar hábitos, mentalidade e desenvolver uma relação mais positiva com os alimentos. Veja, a seguir, alguns dos aspectos em que o Coaching Nutricional poderá te ajudar nesse momento de transformação.

 

Autoconhecimento Para Iniciar o Processo de Transformação

 

autoconhecimento é um dos pilares do Coaching, pois é através dele que o processo de transformação se inicia. No caso da educação alimentar, esse será o momento em que o coach fará perguntas-chave para o coachee, a fim de entender como está a relação atual dele com os alimentos, com seu corpo e autoimagem e definir os pontos que precisam ser trabalhados.

Muitas pessoas descontam suas dores emocionais na comida. Quando se sentem tristes, ansiosas ou frustradas, acabam ingerindo mais alimentos do que o necessário como uma forma de buscar conforto. Por isso, é muito importante iniciar o processo de mudança com o autoconhecimento, para descobrir a raiz do problema e tratá-lo com assertividade e atenção.

 

Desenvolvimento da Atenção Plena ao Comer

 

A ansiedade é um dos principais motivos que leva uma pessoa a comer mais do que o necessário. Nesse sentido, se torna necessário desenvolver a chamada atenção plena, que nada mais é do que aprender a viver o aqui e o agora, sem ficar pensando sempre no momento seguinte. Assim, será possível começar a saborear os alimentos, ingerindo apenas o que o corpo realmente precisa.

Desenvolver a atenção plena é possível através de diversas ferramentas, como é o caso dos exercícios de mindfullness, que são um convite a desfrutar do presente com tranquilidade e sem ansiar pelo futuro. Essa é uma das maneiras mais eficientes de combater a gula e aprender a ter uma relação positiva com os alimentos, sentido seu corpo e entendendo os sinais de saciedade com mais clareza.

 

Motivação Para Mudar

 

O coach irá entender quais são as mudanças desejadas pelo coachee e, juntos, irão traçar as estratégias necessárias para que as metas sejam alcançadas, o que pode incluir, além da mudança na alimentação, à prática de exercícios físicos. Dessa forma, aqueles desejos que pareciam distantes de começar a se alimentar de forma mais saudável, começarão a se tornar objetivos tangíveis, parte de um propósito real de transformação.

Quando uma pessoa tem algo que a motiva a se levantar da cama todos os dias, optar por alimentos saudáveis e se exercitar, a mudança realmente acontece. Ter alguém que mostre que seus sonhos podem se concretizar porque você tem capacidade para isso, é algo altamente motivador. Esse o papel do coach, ajudar as pessoas a descobrirem o poder que elas têm dentro de si.

 

Desenvolvimento da Inteligência Emocional

 

O ato de comer vai além de apenas ingerir alimentos para nutrir o corpo, pois envolve, também, as emoções e a realidade no qual se está inserido. Dessa forma, pessoas que estão com desequilíbrio emocional tendem a descontar na comida suas frustrações. E um indivíduo que está triste, dificilmente irá afogar suas mágoas em um prato de salada, geralmente o foco está em alimentos ricos em gorduras e açúcar, substâncias que, quando em excesso, podem causar danos graves à saúde.

Através do desenvolvimento da inteligência emocional, é possível aprender a controlar melhor os sentimentos e não deixar que emoções negativas sabotem suas escolhas alimentares. Assim, ao se sentir triste ou ansioso, por exemplo, irá recorrer a formas positivas de extravasar esses sentimentos, como através da prática de esportes ou fazendo um exercício de respiração. Ter controle sobre as emoções dá autonomia e evita que se recorra a formas prejudiciais de buscar conforto.

 

Reprogramação da Mente

 

Sabe aquela velha história de dizer para si que na segunda-feira irá começar uma dieta e mudar o seu estilo de vida? Todos nós sabemos que são poucas as pessoas que, de fato, a levam isso a sério. Contudo, quem pensa assim realmente acredita nisso, pois o cérebro humano não consegue distinguir aquilo que é real do que é apenas imaginário. Assim, o indivíduo segue em um círculo vicioso, sempre protelando as mudanças e sofrendo com isso.

Através de técnicas de Coaching é possível alterar essas ideias que tanto atrapalham o processo de mudança em relação à alimentação, e adotar um mindset com foco nos objetivos desejados. Dessa forma, o pensamento de “Isso está delicioso, preciso comer mais porque depois não sei quando terei outra oportunidade” será substituído por “Isso está delicioso, então vou saborear ao máximo esse pequeno pedaço, que é o suficiente para mim”.

Se sente que precisa mudar seu comportamento em relação à alimentação, siga em frente, faça isso por você. Liberte-se do pensamento sabotador de que não é capaz de conquistar o que deseja. Assuma o controle da sua relação com os alimentos e veja a transformação acontecer. E caso sinta que precisa de um apoio mais específico e especializado para acelerar seu desenvolvimento mental e os resultados da sua mudança, procure um coach nutricional para auxiliá-lo em seu processo de autodescoberta, autocompaixão, autovalorização, autoconhecimento e de amadurecimento no que tange a questão alimentar. Boa sorte!

Copyright: 531119023 – https://www.shutterstock.com/pt/g/rawpixel

BAIXAR O PDF
close-link