Competição no Trabalho – Pontos Positivos e Negativos

Competição no Trabalho – Pontos Positivos e Negativos

Você já sentiu que estava sendo pressionado para ser o(a) melhor em algo? Pode ser no meio acadêmico, no mercado ou até mesmo recordes relacionados a questões pessoais. Enfim, desde cedo todos nós somos condicionados a competir para sermos os(as) melhores em algum tema. 

Por um lado, o fato é positivo, pois a competitividade estimula os profissionais a estarem em constante evolução. Mas, do outro lado da moeda, isso pode ser negativo, pois alguns colaboradores podem extrapolar limites relacionados ao bom senso, criando um clima de falta de respeito.

Para que você consiga enxergar os aspectos positivos e negativos com mais clareza, vou te mostrar quais são as diferenças entre eles ao longo deste texto. Minha intenção é que você possa usar esse conhecimento novo no seu dia a dia, desafiando a si mesmo a ser um profissional mais ambicioso. Acompanhe!

5 pontos positivos da competitividade

Apesar de muitas pessoas relacionam à competição a algo ruim, nem sempre isso é verdade. É essencial analisar o contexto antes de entender se a competitividade está atrapalhando ou ajudando. Confira agora quais são os 5 principais pontos positivos da característica: 

1 – Incentivar para evoluir: a competitividade pode ser o tempero que uma equipe precisa para estimular o desenvolvimento individual de cada um dos integrantes, tanto do lado técnico quanto comportamental. 

Por exemplo, quando um profissional vê que o colega ganha mais destaque por ser mais ambicioso na entrega das atividades, ele passa se esforçar para ter essa relevância também. Porém, para conseguir o espaço, pode ser que ele precise estudar mais ou entregar tarefas com um nível maior de qualidade. 

2 – Compartilhar para criar mais: a competição saudável entre os profissionais pode ser uma ótima forma de construir um ambiente de criatividade, inovação e empreendedorismo. 

Por exemplo, um profissional que é acostumado a entregar somente o “feijão com arroz”, pode se sentir desconfortável quando um novo colaborador entrega mais do que o normal em uma atividade. Para alcançar esse nível, a partir de agora, ele deve começar a estimular a própria criatividade. 

3 – Criar modelos se seguir: os profissionais ficam mais atentos ao trabalho e aos comportamentos dos colegas e buscam nesses algum tipo de inspiração para evoluir sempre.

Vamos ver mais um exemplo? Imagine que uma pessoa entrega uma atividade que atinge a meta e é totalmente fora da curva. Esse fato eleva a régua das próximas entregas das outras pessoas e pode servir como exemplo de boa prática.

4 – Desenvolver para crescer: a competitividade aumenta a produtividade e desenvolve a capacidade do colaborador lidar com crises, de forma rápida e assertiva.

Um bom exemplo disso é quando um profissional passa a mudar a forma como entrega as tarefas, pois aprendeu um caminho melhor ao ver outra pessoa se destacando.

5 – Reconhecer para gerar mais resultados positivos: incentivar a competição saudável no ambiente corporativo demonstra que a empresa tem bons profissionais e que reconhece o trabalho dos melhores.

Por exemplo, é estratégico que a área de recursos humanos (RH) e a gestão saibam como valorizar o profissional que está obtendo melhores resultados, sem humilhar os outros Dessa forma, outros colaboradores vão se esforçar mais para serem reconhecidos também. No fim das contas, essa ação ajuda na criação de um capital humano de alta performance, preparado para atender as necessidades da empresa e mudanças do mercado.

5 pontos negativos da competitividade

Hora de redobrar a atenção para conferir quais são os 5 pontos negativos relacionados a negatividade. 

1 – Quando se torna guerra, no lugar de ser mercado de trabalho: a competitividade exagerada acontece quando os colaboradores se colocam na posição de combate ao outro, que deixa de ser colega de trabalho para ser inimigo.

No dia a dia, é possível perceber esse tipo de comportamento quando um profissional passa a perder a postura profissional com o outro, somente por não ter ganhado o destaque que julgava merecer. Lembrando que não é interessante para ninguém, não usar de métodos éticos e honestos em âmbito profissional.

2 – Quando se torna vingança, no lugar de ser cooperativismo: o revanchismo entre departamentos e clima pesado no ambiente, onde todos querem alcançar os objetivos da empresa, mas trabalham isoladamente para isso.

Um bom exemplo disso é quando um profissional sente que o seu marketing pessoal não está bem por causa de outras pessoas. No lugar de trabalhar o seu autodesenvolvimento, este prefere usar vingança em cima de quem acredita ter estragado sua carreira. Isso pode acontecer quando quem está em desvantagem não tem autoconfiança suficiente para entender onde errou e como melhorar. 

3 – Quando se torna fofoca, no lugar de crítica construtiva: ambiente propício a boatos e fofocas e onde os colaboradores são invejosos e incapazes de reconhecer o bom trabalho dos colegas.

Um exemplo interessante neste caso é quando uma pessoa cria ou dissemina fofocas a respeito do outro, somente para manchar a imagem dele. A intenção é que, aos poucos, isso acabe com o marketing profissional dessa pessoa, acabando com as possibilidades de relevância ou crescimento. Esse tipo de comportamento demonstra excesso de trabalho para destruir os outros, no lugar de se autodesenvolver. 

4 – Quando se torna mediocridade, no lugar alto desempenho: a competitividade não saudável pode criar lideranças inefetivas, ou seja, incapazes de coibir e corrigir os maus comportamentos.

Por exemplo, quando um líder prefere competir para ofuscar outro time, no lugar fazer a gestão detalhada do seu próprio grupo. Isso faz com que os liderados se sintam sem uma boa referência para seguir. Se você é líder e acredita que está caminhando nesse sentido, conte com o coaching para encontrar a melhor forma de corrigir sua postura e se tornar um profissional a quem os outros possam buscar referência.

5 – Quando se torna competição sem senso crítico, no lugar de autodesenvolvimento: pressão exacerbada por resultados que leva os profissionais a deixarem de lado o respeito ao próximo para cumprirem as metas.

A corrida exagerada pelo cumprimento de objetivos pode, por exemplo, cooperar para salientar as características negativas dos profissionais. Por isso, é essencial que o RH esteja atento a esse tipo de movimento para evitar que os colaboradores fiquem engessados e se cansem rápido, diminuindo a produtividade

Como você pode perceber, a competitividade no trabalho tem seu lado positivo e também negativo. Por isso, os gestores devem estar atentos às práticas aplicadas em suas empresas e buscar encontrar um equilíbrio.

Isso permite aos seus profissionais executarem seu trabalho de forma honesta, coesa e produtiva, demonstrar seu potencial, manter sempre um alto desempenho, sem que isso fira a integridade, o trabalho e o espaço do colega.

Fique atento e boa sorte!

Gostou do artigo? Comente abaixo e aproveite para compartilhar em suas redes sociais!

Fonte: https://www.jrmcoaching.com.br/blog/competicao-no-trabalho-pontos-positivos-e-negativos/

O Que é Produtividade?

O Que é Produtividade?

Responda rápido – De 0 a 10 o quanto você realmente é uma pessoa produtiva? Saber o que é produtividade é importante mensurar nosso trabalho de forma objetiva e faz toda diferença para sermos mais efetivos em nossas ações diárias, conquistar crescimento e melhores resultados em todos os sentidos.

Assim, segundo o dicionário informal, produtividade é a qualidade daquilo que é produtivo. Em resumo e de maneira mais prática, refere-se tanto à quantidade como a qualidade das tarefas e atividades que desempenhamos em nosso trabalho e vida pessoal.

O Que é Produtividade na Prática

Um profissional produtivo é aquele que é proativo, engajado, automotivado e assertivo em suas decisões. Sempre entrega suas demandas antes ou dentro dos prazos, uma vez que consegue ser multitarefa, ou seja, desempenhar bem várias atividades ao mesmo tempo.

Este é um exemplo de modelo de colaborador que sempre se destaca nas empresas, pois seu espírito empreendedor lhe faz agir de modo diferenciado, sempre pensando de maneira sistêmica, observando as lacunas e possibilidades ao seu redor , se antecipando, trazendo soluções para os problemas, criando formas de aproveitar as oportunidades e atendendo com maestria suas funções.

No dia a dia é aquele profissional que sabe gerenciar bem o seu tempo, que não espera receber uma ordem para agir e que sempre faz mais do que é esperado. Suas atitudes e comportamentos positivos, no ambiente de trabalho, surpreendem a todos, colegas, líderes e liderados, instaura uma competitividade positiva, o que inspira as pessoas ao ser redor a fazerem o mesmo e ser tão produtivas quanto.

Em nossa vida pessoal não é diferente. Ao longo do dia nos deparamos com uma série de tarefas e responsabilidades que exigem de nós que aproveitemos do melhor modo possível o nosso tempo e sejamos mais produtivos também. Cuidados pessoais, com filhos, casa, família, compromissos, projetos, eventos; é preciso saber lidar, atender e resolver cada situação e fazer as horas renderem.

Em resumo, ser produtivo, no trabalho e em âmbito privado, é fazer mais em menos tempo e ainda ter tempo para não fazer nada se você assim o quiser. Assim, por mais que muitas vezes seja cansativo ter um milhão de coisas para fazer, nada mais recompensador do que chegar a casa, depois de um longo e cheio dia de trabalho, e ter a certeza de que fizemos o nosso melhor e fomos muito produtivos.

Por isso, a produtividade é uma aliada do ser humano, não lhe deixa fica estagnado, cair na zona de conforto e fazer as coisas de qualquer jeito. Ser efetivo é ir além, dar o seu melhor e ter a certeza de que fizemos tudo que era possível e, às vezes, até mesmo o impossível, para construir resultados extraordinários. Permita-se e seja mais produtivo!

Fonte: https://www.jrmcoaching.com.br/blog/o-que-e-produtividade/

O Que é Postergar e Como Evitar Esse Comportamento?

O Que é Postergar e Como Evitar Esse Comportamento?

A palavra postergar é derivada do latim postergare, que significa não dar importância para uma tarefa e adiar sua realização. Fazer isso em casos especiais, deixando de fazer algo para dar preferência a outra coisa mais importante e urgente, é natural. Porém, quando o famoso “deixar para depois” se torna um hábito, é necessário fazer uma reflexão sobre esse comportamento para evitar que se torne prejudicial. Continue acompanhando para entender melhor o que é postergar e conferir dicas de como evitar agir dessa maneira.

Entenda o Que é Postergar e Como Esse Comportamento Pode Ser Prejudicial

Imagine que você tem um relatório a ser entregue no trabalho, porém, recebeu um prazo um tanto quanto longo. Qual seria a sua reação: postergar e deixar para o último dia ou aproveitar o tempo da melhor maneira para realizar a atividade com qualidade, encaixando-a com outras tarefas que tem a cumprir? Como deve imaginar, o ideal é optar pelo segundo caminho, pois, assim, conseguirá usar o tempo com inteligência e evitará ter que trabalhar com pressa, correndo o risco de deixar passar alguma informação importante.

Quando você posterga e deixa para depois algo que precisa ser feito, está abrindo mão de controlar o seu tempo com sabedoria. Afinal, se dedicar a uma tarefa por um dia inteiro e sem a pressão do fim do prazo é bem diferente de fazer correndo em apenas uma hora, por exemplo. Lembrando que a comparação é apenas uma forma de ilustrar, já que não existe uma quantidade fixa de tempo necessária para que uma atividade seja bem feita, cabe a cada um se conhecer e identificar as suas necessidades.

Vale dizer também que a postergação não acontece apenas com situações formais, como as de trabalho, e é ainda mais comum em atividades do âmbito pessoal, como organizar a casa ou iniciar uma dieta, por exemplo, porque nesses casos não há uma cobrança de um terceiro, como um chefe. Assim, cabe a cada indivíduo identificar quais são as suas prioridades e se esforçar para agir e ir em busca delas, afinal ninguém poderá fazer isso em seu lugar.

7 Dicas Para Parar de Postergar e Ir em Busca dos Seus Objetivos Hoje

Se você deseja colocar um ponto final na postergação, agora é a hora! Mostre para si mesmo que é capaz e comece a enxergar cada dia como uma oportunidade para dar o seu melhor, aprender lições poderosas e ir além. As dicas a seguir poderão te ajudar nessa missão, confira!

1 – Classifique os Seus Objetivos de Acordo Com a Importância

A primeira atitude a ser tomada é reconhecer o que é realmente importante para você, o que deve incluir tanto suas atividades pessoais quanto profissionais. É claro que em meio a tantas coisas, algumas serão mais importantes ou urgentes que as outras, e é exatamente neste ponto que a priorização entra em cena. Refletir sobre a ordem com a qual irá se dedicar a cada item da lista é indispensável, para que se prepare para tal.

2 – Aprenda a Controlar o Perfeccionismo

Um dos maiores vilões da postergação é o perfeccionismo excessivo, porque ele leva as pessoas a exigirem demais de si mesmas e em um nível tão elevado, que paralisa. O indivíduo quer algo tão perfeito, que começa a duvidar da própria capacidade de atingir esse nível. Assim, prefere não fazer, passando a postergar cada vez mais esperando as condições perfeitas, que, possivelmente, nunca chegarão. Para vencer isso, é importante adotar como lema de vida que feito é melhor do que perfeito, afinal, uma tarefa pronta vale muito mais do que o simples desejo de que ela tivesse sido realizada.

3 – Divida um Objetivo Maior em Etapas

Muitas vezes, tarefas extensas, que levam mais tempo para serem concluídas, são os principais alvos da postergação. A demora para que o objetivo seja concluído é vista como um fator altamente desanimador, gerando a ideia de: se já vou demorar tanto para chegar ao resultado que desejo, não preciso começar agora. Porém, a verdade é que quanto antes começar, antes irá terminar. E uma ótima maneira de se manter motivado é separando esse objetivo em etapas, para que possa vencer cada uma até chegar lá.

4 – Organize a Sua Rotina e Registre Isso

A organização é uma medida essencial para usar o seu tempo com sabedoria e evitar postergar coisas que precisam ser feitas. Para isso, é interessante que adote um método de gerenciamento, como um aplicativo, uma planilha ou uma agenda tradicional. Assim, poderá planejar os seus dias, contemplando todos os seus objetivos, de acordo com a ordem de prioridade. Além de maior produtividade, essa medida também trará mais motivação.

5 – Comemore a Realização de uma Tarefa

Poucas coisas são mais satisfatórias do que conseguir concluir as tarefas que se propôs a realizar. Para tornar isso ainda mais motivador, você pode definir modos de comemorar as etapas vencidas, como, por exemplo, se permitindo ouvir uma música, saindo para caminhar ou o que preferir. Medidas simples como essas ajudarão o seu cérebro associar a produtividade com as recompensas, fazendo com que se empenhe cada vez mais.

6 – Viva o Momento Presente

A postergação é, em muitos casos, fruto da ansiedade, pois ela leva as pessoas a pensarem demais sobre o passado e o futuro, comprometendo totalmente sua dedicação no presente, que é o momento em que as coisas, de fato, acontecem. Para vencer isso é preciso insistir e perseverar, trazendo a atenção de volta ao aqui e agora quantas vezes forem necessárias, até que isso se torne natural.

7 – Evite Se Culpar ao Cometer um Erro

Ter em mente que erros são naturais e que fazem parte do processo de aprendizado é importante para que ele não se torne um fator desmotivador, que gera a postergação. Assim, sempre que falhar, saberá usar aquela situação de modo construtivo, para aprender lições poderosas e continuar caminhando com mais força e determinação. Vá em frente e não desista até chegar ao seu objetivo.

Postergar é deixar coisas importantes sempre para depois, é abrir mão de desfrutar do hoje em plenitude. Deixe esse comportamento para trás e escolha sempre viver ao máximo cada instante, porque é assim que se constrói uma história poderosa e de evolução.

Fonte: https://www.jrmcoaching.com.br/blog/postergar-como-evitar-esse-comportamento/

7 Técnicas de Treinamento de Negociação para Fechar Vendas

7 Técnicas de Treinamento de Negociação para Fechar Vendas

Quando falamos em treinamento de negociação pensamos automaticamente nas técnicas de negociação que aprenderemos para usar em nosso trabalho e potencializar nossas vendas. Vender é uma arte, a arte de agradar o cliente, de ouvir o que ele tem a dizer e oferecer sempre a solução que melhor atenda as suas necessidades.

Por isso, é importante compreender as diferentes formas de abordagem e comunicação com distintos perfis de consumidores, de modo a dominar os melhores e mais efetivos métodos de conversão e fechamento de vendas. Para ser bem-sucedido é importante investir de forma frequente num bom treinamento de negociação, pois vender é saber apresentar os argumentos certos e, se você como vendedor não os têm, dificilmente conseguirá bater suas metas.

7 Técnicas de Treinamento de Negociação

Pensando em ajudar você a ampliar ainda mais a sua caixa de ferramentas de trabalho, separei sete dicas de técnicas de vendas e negociação que irão ajudar a potencializar seus resultados e maximizar sua habilidade de fechar extraordinárias vendas. Confira:

Spin Selling 

Assim como no Coaching, em vendas as perguntas também são as respostas e a técnica do Spin Selling representa muito bem esta ideia. Consiste em buscar ouvir o cliente e coletar o maior número possível de informações sobre seu perfil e objetivos ao buscar por aquele serviço ou produto. Para isso, o vendedor deve desvendar quatro questões essenciais: situação, problemas, implicações e necessidades. Tudo isso é feito de forma mais direta e sem muitos rodeios, o que otimiza o tempo de ambos.

Cross Selling 

Esta é uma técnica de vendas muito poderosa, pois consiste em oferecer aos seus clientes outros produtos relacionados aqueles que ele comprou anteriormente. Esta abordagem ajuda a aumentar o valor final da venda e, consequentemente, a comissão do profissional de vendas. Por exemplo – um cliente compra um carro e você oferece alguns adicionais como: câmera de ré ou bancos de couro, que possuem um valor que complementam a venda final. Ao fechar esta negociação, você fez um cross selling.

Up Selling 

Este abordagem se diferencia um pouco do modelo acima. Aqui ao invés de oferecer algo que complemente o que foi adquirido, o vendedor vai sugerir outros produtos ou serviços de maior valor. Quando, por exemplo, estamos em sites de vendas e queremos comprar uma geladeira básica geralmente, logo embaixo da mesma página, surgem também geladeiras de maior valor agregado (com dispenser na porta, acabamento em inox, degelo rápido), o que podemos chamar de up selling.

E-learning

É fundamental que todo vendedor conheça o produto que está vendendo. Por isso, a importância do treinamento constante para identificar as necessidades do cliente e conhecer todos as características e detalhes do produto. O e-learning entra nesse momento. Ele faz com que a equipe de vendedores se capacitem e adquire um grande conhecimento do produto que estão vendendo, através de exposições de vídeos e via online. E mais! O líder pode ter acesso, acompanhando todo o desenvolvimento de sua equipe de vendedores. 

Objetivos e recompensas

“Corre nas veias” do vendedor à espera da recompensa por completar seu objetivo. Por isso, estabelecer um programa de treinamento com base em conquistas e objetivos, é muito assertivo. Foco em resultados é a base do treinamento. Validar seu vendedor pelo resultado obtido, é uma técnica extremamente eficaz para um colaborador satisfeito e eficiente. Isso o estimula para obter mais e mais resultados. Por isso, elogie-o sempre que fizer um bom trabalho, fechar uma ótima venda ou contribuir com grandes ideias. 

Técnica A.I.D.A.

Primeiro vamos entender o que significa essa que é uma das mais assertivas técnicas de vendas. Atenção / Interesse / Desejo / Ação. Abordando as 4 fases do processo de venda. Levando em consideração que cada cliente possui necessidades distintas e por isso solicita um estudo individualizado. 

O princípio da técnica A.I.D.A é que se faça um estudo prévio de cada cliente/situação para encontrar um caminho padrão de negociação para ser usado com a maioria de seus clientes, adaptando, quando houver necessidade. 

Fonte: https://www.jrmcoaching.com.br/blog/3-tecnicas-de-treinamento-de-negociacao-para-fechar-vendas/

Comportamento Passivo: como identificar e corrigir a postura no trabalho

Comportamento Passivo: como identificar e corrigir a postura no trabalho

A passividade é uma característica de quem é passivo, ou seja, que não atua ou é indiferente a algo. Se, ter atitudes no trabalho é essencial, o comportamento passivo é a contramão do como deve ser o posicionamento de um colaborador dentro de um ambiente profissional.  

No fim do dia, a passividade não combina com resultados extraordinários em qualquer empresa. Mesmo que em muitos momentos os funcionários tenham realmente que se submeter às ordens de seus líderes, é importante também saber quando ativar o seu lado mais dinâmico e empreendedor para realizar bem suas funções e conquistar suas metas. 

Muitos profissionais são passivos, mas não porque querem ou gostam de ser assim. Na verdade, em alguns casos isso é reflexo da falta de confiança em si mesmo. Por isso, colaboradores como estes não conseguem ter coragem de mostrar o que sabem, de compartilhar suas ideias, experiências, opiniões ou sugerir inovações e soluções mais práticas. Muitos deles acabam apenas aceitando a opinião dos outros e seguindo com as ordens sem nunca questionar ou recomendar algo novo. 

Agindo dessa forma, esses profissionais acabam escondendo seu potencial real e sendo taxados de passivos e acomodados. Porém, muitas deles, na realidade, apenas precisam de ajuda, pois o comportamento passivo é uma consequência de sua dificuldade em se colocar. Esta falta de ação é extremamente prejudicial à sua carreira do profissional, pois o que uma empresa espera de um profissional é que ele seja proativo e tenha atitudes positivas, na maior parte do tempo.

Por outro lado existem aqueles funcionários que são passivos por vontade própria e que, por estarem insatisfeitos com a empresa, preferem se omitir das atividades a participar e colaborar com o seu conhecimento. Entretanto, estes são comportamentos passivos que podem ser mudados com algumas transformações de mentalidade e de atitude. Você vai ficar sabendo quais são elas se continuar lendo este texto. Acompanhe, pessoa querida!

Como mudar o comportamento passivo

Para mudar o comportamento passivo é importante entender se ele é voluntário ou involuntário. Quando é voluntário, é essencial que o profissional reflita sobre as suas razões e avalie cada uma delas, pois não é nada produtivo para ele e nem para a empresa ter alguém que não deseja fazer parte do seu ambiente. Quando se trata da sua carreira, esta atitude é um verdadeiro boicote ao seu desenvolvimento e crescimento. Afinal, sem ação, não há resultado. 

Já quando o profissional é passivo por se sentir oprimido ou inseguro, é importante buscar por ajuda especializada para identificar as causas desta característica excessiva. Dessa forma, é mais fácil desenvolver meios para vencer os pontos sabotadores.  

Tanto para o primeiro caso quanto para o segundo, o coaching pode ser um importante agente de mudança nessa caminhada. O método é uma excelente alternativa para quem está buscando por evoluir enquanto pessoa seja no âmbito pessoal ou profissional.

Para isso, o método, por meio de suas ferramentas e técnicas, traz poderosas oportunidades de desenvolvimento das habilidades e competências emocionais e comportamentais que estão em falta no perfil da pessoa. Também conta um leque perguntas de reflexão e propõe um conjunto de ações no sentido de mudar sua mente, ressignificar momentos negativos e eliminar atitudes que lhe fazem ser omissa no trabalho. 

O coaching possui técnicas eficazes que cooperam com o exercício diário do autoconhecimento, essencial para quem busca por progresso constante. Com essa prática, você é capaz de identificar quais são os seus pontos fortes, que merecem ainda mais força para se destacam mais no mercado. Você também entende quais são as suas características positivas que estão escondidas dentro de você pode medo ou outra razão. Mais do que isso, aprende a trazer cada um desses pontos escondidos para a superfície da sua personalidade. 

Além disso, o autoconhecimento coopera para que você aprenda a lidar com as suas características sabotadoras de forma mais tranquila no dia a dia. Assim, você consegue lidar com diversos tipos de situação com maturidade. 

Para completar, aliado ao autoconhecimento, o coaching também trabalha a inteligência emocional, essencial para qualquer tipo de profissional. Ao gerenciar os seus sentimentos com estratégia, você se livra de grande parte do estresse, além do desgaste das relações interpessoais. Como se não bastasse, essa maturidade, cooperar positivamente com o seu marketing pessoal, essencial para os profissionais que busca um lugar de destaque no mercado.  

A cada mudança, o profissional desenvolve comportamentos novos e mais positivos em relação ao seu posicionamento profissional, o que se reflete em sua forma de agir na empresa e em sua vida. Ficou interessado e quer levar todos os benefícios do coaching para sua carreira e vida pessoal? 

Como começar 

Agora que você já entende melhor o que é um comportamento passivo e quais são as consequências negativas dele para o seu dia a dia profissional e até pessoal, é hora de começar a se mexer. Comece a analisando as suas atitudes para entender se você é passivo ou não. Se estiver na dúvida, converse com pessoas de confiança para ouvir a opinião delas.  

Caso você tenha se identificado como pessoa passiva, é essencial que você já comece um exercício de autorreflexão para acabar com esse ponto da sua personalidade. Passe a olhar para dentro de si para encontrar os seus pontos interessantes e aqueles que você precisa trabalhar para lidar melhor com eles e se tornar um profissional de alto desempenho. 

É possível que nessa caminhada você precise de ajuda, por isso, lembre-se de contar com o coaching. Como eu disse, o método está preparado para ajudar casos específicos e trabalhar da melhor maneira possível com cada pessoa. Assim, todos têm uma chance de melhor e construir o seu próprio processo de autodesenvolvimento. 

Imagine um time em que todos entendem os seus pontos fortes e fracos e conseguem trabalhar em conjunto para entregar um trabalho acima da média. Além de trazer mais qualidade para as entregas, o time ainda aumenta os níveis de produtividade e cria vínculos interpessoais importantíssimos.

Gostou do que leu por aqui? Então, aproveite para compartilhar este artigo nas suas redes sociais. Quem sabe você não incentiva outra pessoa a ser um profissional melhor, não é mesmo? 

Até a próxima, pessoa querida! 

Fonte: https://www.jrmcoaching.com.br/blog/comportamento-passivo-como-identificar-e-corrigir-a-postura-no-trabalho/

40 Dicas Para Vencer o Estresse

40 Dicas Para Vencer o Estresse

Nós sempre sabemos quando estamos sob estresse. Com frequência as pessoas ficam tão acostumadas aos seus efeitos que deixam de percebê-lo conscientemente. Muitos de nós sofremos com as consequências debilitantes do estresse, mesmo que não estejamos nos sentindo tensos.

Mas ele pode alterar a maneira como você trata os outros ou prejudicar o seu corpo, até mesmo na ausência de sentimento de frustração ou ansiedade. O estresse é algo que afeta principalmente aqueles que têm uma vida cheia de pressão.

Muitos indivíduos comuns vivenciam o constante estresse da preocupação, de se viver uma vida insatisfatória, ou de não serem quem eles gostariam de ser. Ele é causado por eventos que acontecem conosco. Parafraseando o filósofo estoico Epíteto, não são os eventos por si só que causam nosso sofrimento, mas antes a percepção que temos deles.

As emoções têm vida própria e em pessoas com altos níveis de estresse, elas dificilmente podem ser controladas. Nós podemos mudar nossos sentimentos, mudando primeiramente nosso comportamento ou mudando nossa forma de pensar.

Por exemplo, terminar um trabalho pode nos poupar de ficarmos nos preocupando a respeito. Desenvolver uma nova compreensão sobre uma situação pode fazer com que ela fique menos ameaçadora ou estressante.

Dicas Para Vencer o Estresse na Vida e no Trabalho

  1. Viva o hoje. Faça-se a pergunta: isso é uma preocupação ou um problema?
  2. Lembre-se de que 95% das nossas preocupações não se transformam em problemas.
  3. Todo problema tem solução.
  4. Prepare-se para aceitar o pior e pense como solucionar.
  5. Lembre-se do preço exorbitante, em termos de saúde, que você pode vir a pagar se não dominar as preocupações.
  6. Pare de sofrer pelo passado.
  7. Tente tirar proveito dos seus erros.
  8. Conte com a ingratidão. Aprenda que todos nós somos diferentes. Dê amor, mas não espere reconhecimento de ninguém. Não cobre nada do que fizer ao próximo.
  9. Nunca tente vingar-se dos seus inimigos.
  10. Acredite em Deus.
  11. Tenha bons hábitos no trabalho.
  12. Saiba descansar durante o dia, nem que sejam 10 minutos. Os intervalos são muito importantes para renovar nossas ideias, relaxar a mente e o nosso corpo.
  13. Aprenda a dizer não, sem sentir culpa ou lástima por ninguém. As vezes queremos agradar à todos e nós esquecemos de nós mesmos.
  14. Procurar agradar a todos é um grande desgaste emocional. Seja você! Fique feliz com o que você tem e é.
  15. Lembre-se, você não é a fonte dos prazeres!
  16. Saiba perdoar a si mesmo e ao outro. Você tem direito de errar e o outro também. Não seja tão exigente com você mesmo. 
  17. Faça uma tarefa por vez. Não canse excessivamente a sua mente. Não confunda ser proativo com multitarefas.
  18. Lembre-se, nem tudo depende de você, esqueça de uma vez por todas que você é indispensável no trabalho, casa ou grupo de amigos. Ainda que não goste, tudo caminha sem sua intervenção.
  19. Tenha e desenvolva critérios de resolução de problemas e tomada de decisões.
  20. Evite reagir à ansiedade dos outros como se fosse sua. Isso não tem nada a ver com não ter empatia. 
  21. Sua família não é você. Só está perto de você, mas não é sua propriedade.
  22. É preciso ter sempre alguém com quem falar abertamente, seja um amigo, um companheiro.
  23. Não deseje saber se alguém fala mal de você. Apenas faça o melhor que puder e tudo se resolverá. 
  24. Competir em momentos de lazer, ou na vida do casal, é o preço para quem quer ficar cansado ou perder a melhor parte. 
  25. A rigidez é boa nas pedras, não nos seres humanos. Seja flexível!
  26. Conheça a hora certa de sair de uma situação ou reunião, mesmo as informais. Isso é sabedoria!
  27. Uma boa hora de diversão é um magnífico bálsamo para as preocupações. Divirta-se. E não se culpe! Você também tem o direito de ser feliz.
  28. Tenha em mente que a intuição, a inocência e a fé podem ser seus melhores amigos.
  29. Ajude as pessoas. A benção passa primeiro por você. Seja solícito.
  30. Adie decisões quando estiver cansado ou nervoso. Evite tomar qualquer decisão nesses momentos. Pode ir para o caminho errado.
  31. Cultive bons pensamentos, leia bons livros, ore, reze, medite, cante. Uma mente com pensamentos negativos, certamente não irá atrair coisas boas.
  32. Você já percebeu que o medo do problema é muitas vezes maior do que o problema?
  33. Pare de se afogar em tigelinhas.
  34. Compreenda de uma vez por todas que: “você é o que faz de si mesmo”.
  35. Ame-se verdadeiramente.
  36. Ouça música! Ouvir música relaxa e distrai sua mente. Só cuidado na hora da escolha das músicas. Dependendo do estilo, pode lhe causar mais estresse.
  37. Tenha gratidão! Ser grato faz bem para o outro e para si mesmo. Agradeça a tudo que você tem recebido. 
  38. Tenha empatia e compaixão. Empatia é um gesto muito acolhedor. Aprender a se colocar no lugar do outro. É bom para você e para o outro também. As pessoas, hoje, costumar evitar problemas acreditando que, se envolver com os problemas de outras pessoas pode fazer com que atraia mais problemas para si mesmo. É um refrigério para a alma quando você ajuda pessoas. Se solidarizar com o outro não fará com que você fique pior que o outro ou atrair sentimentos negativos. 
  39. Pratique exercícios de mentalização, mindfulness ou ioga. Acordar de manhã com o “pé direito” faz com que seu dia seja também muito positivo. Pensamentos positivos geram energia positiva. O contrário atrai o negativo, por isso, tenha o hábito de pensar no bem. 
  40. Faça uma coisa de cada vez. Tenha o hábito de criar uma agenda e alimente sua agenda. Muitas pessoas costumam guardar tudo na memória. Isso causa estresse e faz com que você não tenha disciplina. Imagine começar o dia sem saber o que irá fazer primeiro. Uma bagunça, não é mesmo. Fazer uma coisa de cada vez ajudará você a evitar mais esse estresse. 

Fontes: Instituo Francês para Controle da Ansiedade e Stress e Fundação Gurdjieff.

Fonte: https://www.jrmcoaching.com.br/blog/35-dicas-para-vencer-o-estresse/

BAIXAR O PDF
close-link