Como a tecnologia pode ser usada para diminuir a ansiedade?

Como a tecnologia pode ser usada para diminuir a ansiedade?

Existem coisas que podem tanto nos proporcionar coisas boas quanto ruins e a tecnologia é uma delas. Cabe a cada um escolher qual o efeito deseja obter e, assim, fazer uso desse recurso com inteligência e equilíbrio. No artigo de hoje, darei dicas de como usar a tecnologia para diminuir a ansiedade e viver com mais leveza. Continue acompanhando e saiba como utilizar ferramentas poderosas para uma vida mais plena que podem ser armazenadas no seu smartphone.

As duas faces da tecnologia em relação à ansiedade

Estudos mostram que as redes sociais deixaram as pessoas mais ansiosas, afinal, são notificações que chegam o tempo todo, sem contar na grande quantidade de informações que o cérebro recebe a cada minuto. Da mesma maneira que esses aplicativos estreitam distâncias, o que é muito bom, encurtam o tempo, porque aqueles que se deixam dominar por eles acabam por não desfrutarem das experiências na essência.

Por outro lado, quando se sabe utilizar tudo o que a tecnologia tem a oferecer de modo positivo, é possível, inclusive, lançar mão de seus recursos para diminuir a ansiedade e ter uma vida mais feliz e plena. Mas, para isso, é preciso que cada um assuma as responsabilidades em relação às suas próprias ações e, assim, faça escolhas inteligentes e conscientes.

10 Aplicativos para diminuir a ansiedade e viver com mais equilíbrio

Imagino que tenha ficado curioso para saber como a tecnologia pode ajudar no controle da ansiedade. Então, confira dez sugestões de app que irão te auxiliar a viver com mais tranquilidade e equilíbrio.

1 – Querida Ansiedade

Sempre falo a respeito da importância do autoconhecimento e esse aplicativo é uma ferramenta bastante interessante nesse sentido. Nele, é possível entender melhor o transtorno de ansiedade, como ele se manifesta no próprio comportamento e, assim, aprender a controlá-lo. Além disso, existe uma área com exercícios que ajudam o usuário a controlar os sintomas durante uma crise.

2 – Zen

Quando uma pessoa está ansiosa, sua mente fica inquieta, o que pode acabar gerando também sintomas físicos, como dores de cabeça e estômago, falta de ar, entre outros. A meditação se mostra como uma excelente prática para aprender a controlar esses pensamentos e é exatamente o que o aplicativo Zen oferece: meditações guiadas, além de músicas terapêuticas e relaxantes, citações para reflexão, entre outros conteúdos.

3 – Gratidão

A ansiedade leva o indivíduo a se preocupar tanto com o futuro, que ele acaba deixando de desfrutar do seu presente em plenitude. E o app Gratidão é uma forma bastante interessante de voltar o foco para o agora, forçando a mente a identificar motivos para se sentir grato e registrá-los. Vale lembrar que que adotar o hábito de se sentir grato pelas coisas boas que nos cercam tem benefícios cientificamente comprovados.VOCÊ É FELIZ?

4 – Be Okay

O Be Okay é um aplicativo voltado para aqueles que sofrem com crises de ansiedade e de pânico. Conta com diversos recursos que auxiliam no controle desses momentos, como: configurar contato de emergência, armazenar fotos que transmitam paz, fundo musical relaxante, timer para praticar exercícios de respiração, além de registro de datas em que ocorreram crises, o que é bastante interessante para mostrar ao profissional que estiver acompanhando o caso.

5 – 5 Minutos, eu medito

O aplicativo “5 Minutos Eu Medito”, além de facilitar a prática da meditação, conta com uma campanha que tem como objetivo incentivar mais pessoas a adquirirem esse hábito. Ao abrir o app é possível ver o que eles nomearam como “meditômetro”, um timer que contabiliza quantas horas os usuários do mundo todo, juntos, já passaram meditando.

6 – Happify: contra estresse e preocupação

Como o próprio nome sugere, o app Happify tem como objetivo auxiliar as pessoas a se sentirem felizes, libertando-se do estresse e da preocupação. Para isso, disponibiliza recursos, como: áudios para meditação guiada, gráficos para registrar os próprios níveis de felicidade, treinamentos para o cérebro eliminar pensamentos negativos, atividades para estimular a positividade, entre outros.

7 – Headspace

Um aplicativo voltado especificamente para a prática da meditação e que conta com o diferencial de atender o usuário em diferentes tipos de situação, como: dormir melhor, ser mais produtivo, aprender a usar a tecnologia de modo equilibrado, controlar a respiração. E tudo isso ajuda, e muito, no controle da ansiedade e na busca da paz interior.

8 – Rootd

Voltado para aliviar os sintomas da ansiedade, o aplicativo Rootd conta com ferramentas que funcionam tanto para o curto prazo, ou seja, controle de crises pontuais, quanto para longo prazo, contribuindo para uma melhora efetiva. O app conta com diversas funcionalidades úteis, como contato de emergência, área com estatísticas pessoais para acompanhar a evolução ou ligar o sinal de alerta em casos de piora, informações sobre o transtorno de ansiedade e muito mais.

9 – Sleep Time

Quem sofre com ansiedade sabe que o sono é uma grande questão, porque o excesso de pensamentos muitas vezes impede a mente de relaxar para dormir. Como consequência, a falta de repouso gera ainda mais sintomas desagradáveis. Assim, o aplicativo Sleep Time se mostra uma ferramenta bastante interessante para se ter noites mais tranquilas, com recursos para relaxar, além de gráficos que ajudam a entender os próprios hábitos de sono.

10 – Trello

O último app da lista não tem nenhuma ligação direta com a ansiedade, porém, tem muito a contribuir com o controle de seus sintomas. O Trello é um aplicativo gerenciador de tarefas, que permite organizar as atividades a serem realizadas. Assim, aqueles que se sentem ansiosos quando têm muitas tarefas a fazer, conseguirão direcionar o seu foco para uma de cada vez. Isso sem contar no fato de que a mente se sente mais tranquila quando sabe que não existe o perigo de nenhuma informação importante ser esquecida, já que está tudo registrado.

E, então, se convenceu de que a tecnologia realmente pode ser usada para diminuir a ansiedade? Apenas é importante deixar claro que nenhum aplicativo é capaz de curar o transtorno, para isso é fundamental buscar ajuda médica, são apenas recursos auxiliares que podem ajudar a tornar o dia a dia mais tranquilo.

Fonte: https://www.jrmcoaching.com.br/blog/como-tecnologia-pode-ser-usada-diminuir-ansiedade/

Coaching e Comunicação – Como elevar e aprimorar suas habilidades

Coaching e Comunicação – Como elevar e aprimorar suas habilidades

comunicação é uma habilidade essencial para o desenvolvimento em todas as áreas da vida, afinal, é através dela que transmitimos os nossos sentimentos, valores e convicções. Se comunicar bem envolve muito mais do que apenas falar, inclui ouvir, observar, sentir. O Coaching, com suas ferramentas poderosas, se mostra como um ótimo aliado daqueles que buscam se comunicar melhor e, assim, construir conexões com pessoas com os mais diversos objetivos.

A importância da comunicação

Somos seres únicos, cada um com suas características, pensamentos e valores. Para que os relacionamentos aconteçam, é preciso que um conheça e entenda o mundo do outro, mesmo que de modo superficial em alguns casos, e é através da comunicação que isso se torna possível.

Logo que chegam ao mundo, os bebês demonstram que estão com fome ou têm algum outro tipo de necessidade através do choro, essa é a forma de se comunicar deles. Com o tempo, aprendem a falar algumas palavras e a gesticular, facilitando o entendimento por parte dos pais e cuidadores. Através da comunicação, conseguimos expressar nossos desejos, opiniões, pensamentos, permitindo que outras pessoas nos conheçam melhor, e, claro, fazendo o mesmo em relação a elas, ouvindo-as e observando-as. Assim, por meio dessa troca, temos a oportunidade de aprender, ensinar, compartilhar, enfim, de evoluir juntos.

Também é importante destacar o quanto a comunicação está presente em nossas vidas das mais diferentes formas. Hoje, além dos métodos tradicionais, como os gestos e a fala, nos comunicamos muito através da internet, por meio de e-mails, mensagens curtas, comentários em redes sociais, áudios, vídeos. Estar em dia com essa habilidade é fundamental para quem deseja construir relacionamentos sólidos e se destacar no mercado de trabalho.

7 Dicas de Coaching para melhorar sua capacidade de comunicação

O Coaching é uma metodologia voltada para o desenvolvimento humano e a comunicação é uma habilidade de grande importância dentro do processo, pois é através dela que o profissional e o cliente irão se conectar e, assim, alcançar os objetivos pretendidos. Veja, a seguir, dicas que te ajudarão a aperfeiçoar a sua forma de se comunicar para expressar suas ideias e, também, aprender com as ideias dos outros.

1 – Pratique a escuta ativa

Ouvir é tão importante quanto falar, inclusive, essa ação deve vir em primeiro lugar, pois é ouvindo que poderá entender o contexto no qual está inserido e, assim, formular a sua fala com mais assertividade, aumentando as chances de ser compreendido. Aqui também se aplica o ler e o interpretar, habilidades tão necessárias nos tempos atuais, em que a internet faz parte da vida de uma grande parcela da população.

2 – Pense antes de falar e escrever

Parece óbvio sugerir que uma pessoa reflita antes de falar e escrever (no caso das redes sociais), entretanto, basta observar o comportamento da sociedade para identificar muitas situações em que coisas são ditas sem qualquer critério. Pensar para formular o que irá expressar, seja falando ou enviando uma mensagem, permitirá que considere alguns pontos, como empatia, respeito e, claro, o seu objetivo ao transmitir aquele recado.VOCÊ É FELIZ?

3 – Saiba fazer boas perguntas

A técnica de fazer perguntas poderosas é bastante importante dentro do processo de Coaching, pois através dos questionamentos certos conseguimos direcionar o interlocutor para que forneça as respostas que buscamos. Sendo assim, procure fazer perguntas interessantes, que deem brecha para respostas completas e precisas. Caso a outra pessoa responda de forma curta e evasiva, complete com um “e o que mais?” e prepare-se para obter as informações que deseja.

4 – Dê mais daquilo que deseja receber

Se acha que as pessoas com as quais convive não se comunicam bem, experimente dar mais daquilo que deseja receber, ou seja, comunicando-se de modo efetivo com elas. Evite permanecer inerte quando se vê perante uma insatisfação, faça a sua parte e veja como a sua postura pode inspirar a todos ao seu redor. Se as pessoas apenas querem falar e não te escutam, ouça-as na essência e mostre o quanto esse gesto é positivo. O exemplo é o modo mais poderoso de ensinar, pense nisso!

5 – Adapte-se de acordo com o comportamento do interlocutor

Uma técnica de Coaching bastante eficaz que é utilizada pelos profissionais para se conectarem aos seus clientes chama-se rapport, uma expressão de origem francesa que significa “trazer de volta”. Consiste em se basear no comportamento do interlocutor para se comportar, como os movimentos com as mãos, o tom de voz, ser mais objetivo ou detalhista e assim por diante. Lembrando que a ideia não é fingir ser algo que não é e sim adaptar a sua verdade ao perfil da outra pessoa, a fim de trazê-la para perto através de um laço de afinidade.

6 – Busque informação e amplie sua bagagem comunicativa

As pessoas expressam aquilo que carregam dentro delas, desse modo, é importante que esteja sempre em busca de ampliar a sua bagagem de conhecimento. Quanto mais conteúdo tiver, mais interessantes serão as suas conversas, o que irá te beneficiar tanto na carreira quanto na vida pessoal. E você pode fazer isso sempre que tiver um tempo livre, gratuitamente, usando a internet. Seja uma pessoa interessada, curiosa, que gosta de descobrir coisas novas, isso te proporcionará muitos benefícios.

7 – Reconheça que não sabe tudo

Por fim, é preciso que reconheça que, mesmo buscando conhecimento, nunca saberá tudo. Assumir uma postura de humildade em relação a isso, te trará sabedoria e evitará, por exemplo, que saia por aí falando coisas sobre as quais não tem certeza. Tenha orgulho do que aprendeu, compartilhe suas descobertas, mas sempre com cautela ao abordar temas que não domina totalmente. Pesquise e se informe primeiro, e deixe para falar depois.

Peter Drucker tem uma citação bastante interessante que diz que o mais importante na comunicação é ouvir aquilo que não foi dito. Portanto, amplie sua visão, observe, ouça além das palavras e, assim, conseguirá se conectar verdadeiramente com as pessoas, aproximando-se do mundo delas, compartilhando informações e conhecimento.

Depois de ler todas essas informações, responda: em uma escala de 0 a 10, o quanto se considera um bom comunicador? Deixe sua resposta abaixo e compartilhe o artigo em suas redes sociais!

Fonte: https://www.jrmcoaching.com.br/blog/coaching-comunicacao-como-elevar-aprimorar-suas-habilidades/

Mitos sobre Empreendedorismo

Mitos sobre Empreendedorismo

A figura do empreendedor é carregada de estereótipos, criando no ideário da população que ter um comportamento empreendedor é algo para poucos, quase um lance de sorte de ter nascido com esse comportamento ou de uma oportunidade ter surgido do nada e mudado a vida da pessoa.

A partir da minha experiência de vida e também do contato que tive com as milhares de pessoas as quais tive a oportunidade de conviver, ensinar e também ser ensinado que não há nada na vida que não podemos aprender se tivermos verdadeiro foco e determinação. Eu aprendi a ser empreendedor, aprendi a quebrar com antigas crenças limitantes que me barravam e hoje sou considerado um dos grandes empreendedores do ramo Coaching.

Essas crenças limitantes ou como popularmente são chamadas esses mitos não foram capazes de me barrar rumo ao sucesso, e eu desejo que eles também não tenham essa força sobre a sua vida profissional e/ou sua empresa.

Para isso eu quero apresentar aqui os principais mitos sobre empreendedorismo que devem ser superados:

1. Empreendedor já nasce sabendo

Um dos maiores mitos sobre a arte de empreender é que a pessoa já nasce sabendo como as coisas funciona, o caminho a ser seguido. Essa é uma grande inverdade. Embora exista traços comportamentais, como falado anteriormente, que ajudem no processo de empreender eles não dão uma garantia de sucesso, muito menos invalida todo o arcabouço teórico existente sobre empreender. A busca por informações e pesquisas são fundamentais para ser um empreendedor de sucesso, ninguém nasce sabendo de tudo, é importante ter em mente que estamos em processo contínuo de formação.

2. Sem muito dinheiro não dá!

Um dos pontos que mais impedem as pessoas a se tornarem empreendedoras é sobre o capital. Conheço diversas pessoas que postergam ou até anulam a ideia de abrir seu próprio negócio ou de inovar em algum negócio já existente por não ter todo o capital necessário. O segredo para fazer um negócio dar certo está na criatividade de conseguir fazer mais com menos, garantindo a qualidade. Ser inovador, buscar soluções mais baratas e, principalmente, não ter vergonha de ir atrás de quem pode te ajudar é fundamental para empreender.

3. Ter uma ideia genial

Muitos pensam que só quando se tem uma ideia genial é que podemos empreender, e que sem essa ideia você está fadado a ficar preso trabalhando para uma empresa. Isso é um grande mito, um mito que precisa ser superado rapidamente. Hoje com todo o acesso a informação que temos não é muito difícil fazer uma análise de mercado, observar quais são as áreas do mercado que estão em crescimento. Pesquisar é fundamental, pois ela possibilita a abertura de olhos para novas ideias e oportunidades de empreendedorismo.VOCÊ É FELIZ?

4. Empreendedores são independentes e não dão satisfação a ninguém

Eu não conseguiria mensurar aqui a quantidade de vezes que já ouvi a frase “está na hora de abrir meu próprio negócio, trabalhar para mim e nunca mais ter que dar satisfação a ninguém! ”. Essa é uma das maiores ilusões que alguém pode ter sobre empreendedorismo e ter sua própria empresa. Quando se decide empreender o trabalho quase, ouso dizer que nunca, é feito sozinho sempre há o envolvimento de mais pessoas para fazer um negócio dar certo, fora a relação estabelecida com os clientes. Isso quer dizer que os empreendedores dão sim satisfação para muitas pessoas.

5. Se falhar quer dizer que não sabe empreender

Ao apostarmos em uma ideia, consequentemente, assumimos o risco dessa ideia não dar certo. O caminho para o sucesso na maioria das vezes é cheio de trechos difíceis e armadilhas, um negócio pode falir; o comportamento empreendedor, não! A falência pode ser como combustível da experiência e do aprendizado do empreendedor. Saber aprender com os erros é uma das maiores virtudes que uma pessoa pode ter.

6. Empreender é coisa de rico

Outra crença totalmente errada é que empreendedorismo é coisa de gente rica. A verdade é que muitas pessoas se tornaram ricas como consequência de atitudes empreendedoras, mas não há nenhuma lei que garanta que pessoas ricas terão esse comportamento e isso será garantia de sucesso. Como já disse algumas vezes empreender é um comportamento que pode ser desenvolvido com a ajuda de muito estudo, dedicação e orientação de profissionais.

7. É preciso ser jovem para empreender

Não existe uma idade certa para empreender, hoje podemos ver crianças, jovens e adultos na terceira idade empreendendo e tendo sucesso. A idade não deve ser vista como barreira, pois o que realmente importa é o know-how, a experiência e a forma como as relações são estabelecidas. Independentemente da idade, o empreendedor deve buscar construir uma empresa tendo como foco a realização de um bom trabalho, não na conquista imediata de um grande salário.

8. Abrir uma empresa no Brasil é difícil

Voltando nosso olhar para o cenário nacional, há esse grande mito que no Brasil é muito difícil abrir uma empresa, que demora muito, que é muito burocrático etc. Não é só no Brasil que há uma burocracia para abrir uma empresa e nem por isso outros países deixam de abrir novos negócios. No Brasil há uma variação em relação ao tempo estimado para arrumar toda a documentação de uma empresa, há lugares que podem demorar até 100 dias, em contraposição, há lugares que todo esse processo se dá em 7 dias. Quando um negócio é bem pensado e elaborado a burocracia deve ser encarada como mais um passo a ser percorrido, não como um empecilho.

9. Para ter sucesso é necessário apenas fazer o que gosta

Realmente quando estamos trabalhando em algo que nos dá prazer nos sentimos mais motivados a aprender mais sobre o assunto, nos sentimos mais engajados em fazer dar certo são maiores. Mas isso não é tudo. Fazer análises de mercado, verificar a viabilidade do negócio também são determinantes. Outro fato que é importante saber é que podemos aprender a gostar de algo que jamais pensamos em gostar ou trabalhar. Esteja aberto a novidades, a ser surpreendido e se surpreender com o universo de possibilidades que temos a nossa volta.

Fonte: https://www.jrmcoaching.com.br/blog/mitos-sobre-empreendedorismo/

Gestão da criatividade e inovação: planejamento criativo

Gestão da criatividade e inovação: planejamento criativo

Há no imaginário popular a ideia que uma pessoa criativa está diretamente ligada a desorganização. Ouso dizer que quase todas as pessoas quando pensam em alguém ou uma situação de criatividade ela traz a memória um cenário desorganizado. Essa ideia precisa ser urgentemente superada, a criatividade não dispensa a organização. Trouxe o exemplo da Apple, uma das maiores empresas de tecnologia do mundo, e é em cima desse exemplo que podemos ver como a gestão e o planejamento aliado a criatividade gera um grande impacto em uma empresa. A Apple utiliza o método de criação voltada a resultados, ou seja, as ideias criativas são submetidas a partir de um planejamento metódico visando resultados concretos.

planejamento deve ser compreendido como uma das linhas centrais corporativas, é a partir do planejamento que são estabelecidos todos os alicerces da empresa, inclusive o criativo. O planejamento é a ancora do negócio, juntamente com o elemento da criatividade coordenada e aplicada. É evidente que a grande carta na manga que uma empresa pode ter é uma equipe comprometida com a criatividade, inovação, planejamento e aplicabilidade. Equipes que contam com profissionais criativos conseguem ter um melhor desempenho na execução de suas tarefas diárias, bem como na construção de projetos que exigem uma visão ampliada do negócio.

Ainda assim, os colaboradores mais criativos devem estar atentos para não perderem o bom senso e, por conta de sua criatividade latente, acabar se perdendo em seu amontoado de ideias. Ter foco é essencial em qualquer carreira e, em se tratando dos profissionais com forte mente imaginativa, a linha entre a criatividade e dispersão pode ser muito tênue.

O ideal é sempre buscar um equilíbrio que permita criar, inovar, inventar, mas de forma coesa, ou seja, de modo que as ideias possam ser viáveis e transformadas em realidade. Do contrário, além da frustração pelas sugestões não executadas, o profissional criativo pode perder seu tempo e o tempo dos demais ao apresentar soluções criativas, mas impraticáveis. Mas então o que fazer para criar um ambiente propício para que esses fatores sejam colocados em prática?

A resposta está no investimento de tempo para que seus profissionais possam criar e inovar. Para as pessoas que já trabalham em áreas diretamente ligadas a inovação e criatividade há uma ferramenta comumente utilizada e quando bem aplicada gera resultados positivos que é o Brainstorming.

Brainstorming tem origem na língua inglesa e significa “tempestade cerebral” ou “tempestade de ideias”. Aplicando este conceito ao ambiente de trabalho, o Brainstorming nada mais é que um momento para trocar e compartilhar ideias que estimulem o processo criativo ou que apontem soluções inovadoras para as mais diversas questões.VOCÊ É FELIZ?

O método foi criado pelo publicitário estadunidense Alex Osborn na década de 1930. As ideias que surgem no brainstorming não devem ser descartadas tampouco julgadas de maneira errada ou pejorativa. Esse método foi adotado em diversas universidades américas, cursos de exatas, humanas e biológicas, em diversas repartições públicas, nas indústrias e até mesmo nas forças armadas, ou seja, esse método se aplica a todas as áreas que necessitam de criatividade.

Sabendo da importância dessa ferramenta quero aqui compartilhar com vocês alguns ensinamentos de como conduzir de maneira eficiente um Brainstorming.

Reunião não é Brainstorming

Se você quer se reunir com sua equipe para falar sobre questões ligadas a gestão da empresa ou até mesmo para dar feedbacks, isso não é brainstorming. Ao criar este método, Alex Osborn criou quatro importantes regras que devem ser seguidas na hora de fazer um brainstorming. São elas:

Quantidade é importante;

Quanto mais ideias surgirem, melhor é. Quando várias ideias são apresentadas as possibilidades de achar uma boa ideia serão maiores. É importante salientar que nesse ambiente os julgamentos devem ser suspensos para que a liberdade criativa fique mais aflorada.

Faça combinações entre ideias ou melhore as ideias sugeridas;

Não basta apenas apresentar a ideia, é importante também aprofundar nela, verificar as possibilidades de colocá-la em ação. As combinações entre as ideias também funcionam como combustível para que gerarem mais ideias de qualidade.

Incentive as ideias criativas;

Quando temos um ambiente seguro consequentemente as pessoas se sentem mais seguras para apresentarem as ideias que estiverem em suas cabeças sem preconceitos e medo de ser julgado ou ridicularizado. Incentive sua equipe a ter ideias criativas, respeitando o tema proposto, tenho certeza que a partir dessas ideias várias soluções aparecerão.

Críticas não são bem-vindas.

Essa é uma das regras mais importantes para que seja feito um brainstorming efetivo. O princípio de julgamento quando operado ele afeta toda a equipe pois retira a liberdade criativa e de expressão das pessoas. Portanto, se a reunião não segue nenhuma destas regras, ela não pode ser chamada de brainstorming.

Ambiente seguro para receber todas as ideias

Para garantir que todos estejam encorajados para falar suas ideias, é importante que o grupo se sinta confortável e esteja relaxado para que o brainstorming alcance o seu propósito. Retire do local que acontecerá o brainstorming o que possa causar constrangimento para quem vai participar do processo. Assim, as ideias terão uma melhor fluidez.

Defina o tema antes de começar o brainstormingPara que o brainstorming seja eficaz, é importante que todos saibam o porquê que estão ali. Portanto, defina o tema antes. Caso seja algo de maior complexidade, é importante enviar informações sobre o tema com antecedência, para que todos possam ter ideias que contribuam de modo eficaz com o brainstorming.

Tenha um tempo máximo estabelecido

Por uma questão de manter o foco no objetivo, é importante que o brainstorming tenha um tempo previamente estabelecido. Na hora de definir o tempo, leve em consideração a complexidade do tema e até mesmo o tamanho do grupo que participará do brainstorming.

Fonte: https://www.jrmcoaching.com.br/blog/gestao-criatividade-inovacao-planejamento-criativo/

Conhecimento é investimento, não gasto

Conhecimento é investimento, não gasto

Treinamento não é única e, muitas vezes, nem a melhor forma de gerar conhecimento em uma empresa, mas vale o exemplo: quem, coach, consultor ou gerente de RH, nunca ouviu a frase “esse treinamento custa muito caro.” Custa… Custar x valer…

Não obstante, quando uma empresa se vê em crise a primeira área a sofrer corte é a de treinamento. Afinal, esse gasto “não faz diferença no resultado da empresa”, acreditam alguns. De fato, a não ser que uma empresa atue diretamente com geração de conhecimento, como uma editora ou uma empresa de tecnologia, as demais áreas tendem a ver treinamentos e plataformas de gestão do conhecimento como despesas.

Esse olhar desfavorece a construção do capital intelectual da organização colocando-a na contramão do processo de crescimento. Uma despesa é um gasto que, embora seja necessário, não é diretamente revertido em retorno financeiro, por exemplo, compras de materiais de escritório, limpeza, etc. Um investimento, por sua vez, é um gasto que será diretamente revertido em uma vantagem competitiva, seja ela um retorno financeiro, uma melhoria de performance ou a redução de algum custo.

Dessa forma, fica difícil entender a cabeça de quem vê conhecimento como um custo desnecessário e supérfluo. Veja bem: todo conhecimento que uma empresa consegue agregar impacta diretamente em sua performance. Um bom exemplo é o momento em que uma empresa está contratando alguém. Muitas vezes o RH busca um profissional já com uma boa descrição do cargo e a previsão do salário.VOCÊ É FELIZ?

Ocorre que muitas vezes o RH se depara com a grata surpresa de um profissional que tem um holl de conhecimentos bastante maior que a vaga exige. Esse profissional, talvez, conte com uma experiência internacional, já desenvolveu projetos bem sucedidos ou simplesmente tem uma formação acadêmica maior que o esperado. Contudo, ele não aceita a vaga pelo salário que está sendo ofertado.

O que a empresa faz: aceita negociar o salário pelo plus de conhecimentos do candidato ou simplesmente dispensa e busca um perfil dentro do esperado? Não vamos julgar nenhuma empresa. Pode ser que o candidato esteja realmente fora do perfil e os diretores achem melhor buscar alguém dentro do que se pede.

Porém, quanto custaria para a empresa investir em um colaborador para acumular um conhecimento equiparado ao do candidato dispensado? Um outro exemplo é o custo de plataformas de gerenciamento do conhecimento. Há uma série de softwares no mercado que fazem o papel de arquivo e compartilhamento de produção dentro de uma empresa.

Essas tecnologias são caras, tanto para serem adquiridas quanto para serem desenvolvidas. Muitas empresas acham que o gasto não vale a pena. Mas: quanto custa para a empresa o retrabalho na produção de conteúdos e os problemas de informação? Conhecimento é um capital.

Capital é algo valoroso. Um Bussiness coach precisa conhecer diversos sistemas de gestão do conhecimento para orientar suas empresas clientes às melhores práticas de formação de seus colaboradores e disponibilização de material informativo e formativo. Talvez, esse seja exatamente o gargalo que a empresa não conseguiu identificar.

Fonte: https://www.jrmcoaching.com.br/blog/conhecimento-e-investimento-nao-gasto/

BAIXAR O PDF
close-link