Você se distrai facilmente? Confira algumas dicas que vão te ajudar a manter o foco

Você se distrai facilmente? Confira algumas dicas que vão te ajudar a manter o foco

Saber manter o foco é muito importante para conseguir realizar tarefas com qualidade e chegando aos resultados esperados. Isso vale para o trabalho, os estudos, projetos pessoais e, até mesmo, tarefas do dia a dia, como cozinhar e organizar a casa. Quando uma pessoa se concentra na atividade que está executando consegue se atentar aos detalhes, encontrar novas possibilidades, além de concluir com muito mais agilidade.

Se você é uma pessoa que tem tendência a se distrair com facilidade, vai gostar das dicas que irei compartilhar ao longo do artigo. Elas te ajudarão a manter a mente focada e livre de distrações.

O foco é imprescidível para realização eficaz das tarefas diárias.

10 Dicas para quem se distrai facilmente manter o foco

Você começa uma tarefa, então, seu celular recebe uma notificação, o telefone toca, um novo e-mail chega. Estamos o tempo todo rodeados por distrações e devemos saber como lidar com elas para evitar que roubem nosso tempo, que é um recurso tão precioso e que, quando perdido, não pode ser recuperado. Veja, a seguir, dez dicas práticas para manter o foco e se concentrar.

1 – Desligue as notificações

A primeira atitude a ser tomada para manter o foco é desligar todas as notificações, o que inclui redes sociais, aplicativos de mensagens, e-mails e até ligações, caso não esteja esperando nenhuma chamada urgente. Fazer isso é necessário para evitar que seus ciclos de concentração sejam interrompidos, além do mais, se for parar o que está fazendo a cada vez que seu celular apitar, irá levar muito mais tempo do que deveria para realizar até mesmo as tarefas mais simples.

2 – Definir momentos do dia para responder mensagens e e-mails

Mesmo que dentro da sua rotina de trabalho precise responder mensagens e e-mails, o melhor a fazer é definir horários específicos do dia para isso. Essa organização tornará essa atividade muito mais prática e dinâmica. Se serão cinco, dez ou quinze minutos destinados às respostas, vai depender do volume que costuma receber. Por isso, é interessante que vá conhecendo sua rotina e se adaptando de acordo com suas necessidades.

3 – Faça pausas curtas

Evite querer manter o foco por duas, três ou até cinco horas seguidas, pois até mesmo as pessoas que têm facilidade para se concentrar não ficam tanto tempo assim fazendo a mesma coisa. Fazer pausas a cada uma ou duas horas é importante para recuperar as energias e voltar ainda mais focado. O método pomodoro é bastante interessante para quem está começando, consiste em intercalar vinte e cinco minutos de trabalho com cinco de descanso. Assim, você vai treinando seu cérebro e acostumando-o a se manter concentrado.

4 – Se for ouvir música, prefira as instrumentais

Muitas vezes, os fones de ouvidos se tornam a única saída para abafar os barulhos externos e evitar que eles tirem a atenção. Se for esse o seu caso, evite ouvir músicas com letra, prefira as instrumentais, porque elas induzem o cérebro a se concentrar. Faça uma busca na internet por músicas para concentração e irá encontrar diversas opções que tornarão seus dias de trabalho mais agradáveis.VOCÊ É FELIZ?

5 – Escolha locais tranquilos para realizar suas tarefas

Sempre que precisar realizar alguma atividade em casa que necessite de foco, escolha um local tranquilo para isso. Evite, por exemplo, ambientes em que outras pessoas estejam falando, assistindo TV, ouvindo música. Mesmo que coloque fones de ouvido para abafar os ruídos, vê-las já será o suficiente para que se distraia. Prefira se isolar em um outro cômodo, para direcionar toda a sua atenção, concluir a tarefa mais rapidamente e, depois, ficar com a sua família.

6 – Identifique os seus pontos de distração

Cada pessoa tem os agentes que mais lhe causam distração. Tem aquelas que saem do foco com qualquer tipo de barulho, outras que entram nas redes sociais e se esquecem do tempo, aquelas que começam a conversar com um familiar e não param mais. Reconhecer quais são os seus maiores funis de atenção é muito importante, porque assim poderá se preparar para evitá-los nos momentos em que precisar de foco.

7 – Crie prazos mais curtos para si mesmo

Você já ouviu falar a respeito da Lei de Parkinson? Trata-se de uma explicação para aquela sensação que muitas pessoas experimentam de não terem tempo para nada. De acordo com Cyril Northcote Parkinson, seu criador, uma tarefa se expande de modo a preencher todo o tempo disponível para sua realização. Assim, se você precisa fazer um relatório e tem a tarde livre para isso, provavelmente levar todas essas horas para conclui-lo, mesmo que fosse capaz de conseguir o mesmo em apenas uma hora.

Para evitar que isso aconteça, é interessante criar seus próprios prazos, que deverão ser mais curtos que os oficiais. Se precisa entregar um projeto para o seu chefe às 17 horas, programe-se para concluir às 15. Isso permitirá que faça um uso mais inteligente do seu tempo e evite desperdiçá-lo.

8 – Faça afirmações positivas

Mesmo que tenha uma tarefa longa para realizar, evite alimentar pensamentos ruins do tipo: “isso vai demorar” e “não vou conseguir”. Prefira fazer afirmações positivas, que te estimulem a seguir firme e se dedicar com foco para realizar um bom trabalho e, em seguida, poder descansar. Seu estado de espírito conta muito na hora de se concentrar, lembre-se disso!

9 – Defina três objetivos principais todos os dias

Ter metas a cumprir é sempre muito bom, porque isso funciona como estímulo para que se dedique e se concentre. Sendo assim, procure definir todos os dias três objetivos principais, considerando as tarefas mais importantes que precisa realizar. Faça listas em uma agenda tradicional ou aplicativo, poder riscar cada item será extremamente satisfatório e motivador.

10 – Visualize a tarefa concluída

Por fim, sempre que tiver uma tarefa longa e que exija mais tempo e concentração para ser realizada, visualize-a sendo concluída. Capriche nos detalhes, imagine a satisfação que estará sentindo, o alívio, o orgulho de si mesmo. Esse exercício irá te motivar a fazer a sua parte e realmente experimentar tudo aquilo ao final.

Vencer as distrações é desafiador, mas fazer esse esforço e ver que é capaz de manter o foco irá te motivar a se tornar cada vez melhor nisso. Quanto mais concentração, mais qualidade suas tarefas terão, o que te abrirá muitas portas e fará com que se mantenha em constante evolução.

Se este conteúdo te ajudou de alguma maneira, passe-o adiante, compartilhando em suas redes sociais!

Fonte: https://www.jrmcoaching.com.br/blog/

Home Office – Dicas para aumentar a produtividade

Home Office – Dicas para aumentar a produtividade

O chamado home office, que nada mais é do que o profissional trabalhar a partir de sua casa, já é realidade para uma parcela significativa da população mundial. Existem aqueles que optam por essa modalidade por serem autônomos e outros que são contratados por empresas e se dividem entre o escritório e o home office, em determinados dias da semana, ou permanecem fixos em suas casas.

Os profissionais que já estão habituados ao home office, possivelmente já têm suas estratégias para se manterem produtivos em casa. Contudo, outros que estejam precisando lidar com essa realidade pela primeira vez, podem se sentir um pouco confusos sobre como se adaptar ao trabalho sem terem que ir até outro local. Se esse é o seu caso, continue acompanhando para conferir dicas que te ajudarão a aumentar a produtividade nessa nova modalidade.

10 Dicas para se manter produtivo no home office

Acordar, se arrumar, tomar o café da manhã e sair para ir ao trabalho, essa é a rotina de grande parte dos profissionais. Porém, existem aqueles que seguem praticamente os mesmos passos, com o diferencial de não precisarem sair de casa e sim irem até o cômodo que destinaram para ser seu home office.

Por se tratar de uma rotina e um ambiente totalmente diferente de uma empresa, é importante adotar algumas medidas para evitar que as distrações do lar comprometam a produtividade, como as que verá a seguir.

1 – Mantenha a mesma disciplina com horários de quando ia até a empresa

Existem pessoas que pensam que trabalhar em casa é viver sem regras, mas a realidade é totalmente diferente, pois, se não houver uma disciplina em relação aos horários, a produtividade vai por água abaixo. Nesse sentido, procure ter o mesmo cuidado que tinha quando precisava enfrentar o trânsito para ir trabalhar. Coloque o despertador para tocar com tempo suficiente para que acorde, tome seu café da manhã e se prepare para iniciar o expediente.

2 – Peça a colaboração das pessoas que moram na mesma casa que você

Se você mora com mais pessoas, precisará conversar com elas e explicar que precisa que colaborem e evitem te chamar todo o tempo ou realizar atividades que gerem muitos ruídos. Colocar esses limites é preciso porque, se começar a abrir exceções, quando chegar o final do dia irá perceber que não conseguiu fazer quase nada do que precisava. Explique que, quando terminar seu trabalho, poderá dar toda a atenção que desejarem.

3 – Determine horários para fazer pausas ao longo do dia

Existem pessoas que acabam extrapolando os horários e, simplesmente, não sabem a hora de parar de trabalhar. Fazer isso em ocasiões específicas, como quando realmente há uma grande demanda a ser cumprida em um curto espaço de tempo, é até compreensível. Contudo, é preciso tomar cuidado para que isso não se torne um hábito, pois pode prejudicar gravemente a sua saúde. Fazer pausas ao longo do dia é essencial para renovar as energias e manter a mente produtiva.

4 – Torne o ambiente propício ao trabalho

O local em que irá trabalhar precisa ser preparado para tal. Se for possível, defina um cômodo para isso, em que possa fechar a porta e isolar o barulho gerado pelos outros moradores da casa. Atente-se à iluminação, organização e todos os detalhes que possam influenciar no seu conforto ao longo do dia. Acredite, um ambiente desorganizado e escuro pode comprometer sua produtividade e bem-estar.VOCÊ É FELIZ?

5 – Atente-se à ergonomia no espaço de trabalho

Um fator que não pode ser deixado de lado no home office é a ergonomia, ou seja, o conforto para que possa se concentrar sem causar danos ao corpo. Verifique se tem cadeiras e mesas com as especificações corretas. Improvisar usando cadeiras da cozinha não é o ideal, já que são assentos que não foram feitos para que uma pessoa permaneça horas sentada. O mesmo vale para a mesa, que precisa ter uma altura que permita que seus olhos fiquem de frente para a tela do computador.

6 – Evite permanecer de pijama

Parece tentador sair da cama e ir direto para a mesa de trabalho sem tirar o pijama. Porém, essa não é uma ideia muito indicada, visto que pode comprometer o ânimo e a produtividade. Prefira acordar, tomar um banho e vestir roupas adequadas para o trabalho, dá para fazer isso sem comprometer o conforto. Isso se torna ainda mais necessário no caso de profissões que envolvem videoconferências com colegas de trabalho e clientes.

7 – Faça suas refeições nos horários corretos

Da mesma forma que quando está na empresa tem horários para tomar café e almoçar, isso também precisa ser mantido no home office. Afinal, seu corpo continua tendo as mesmas necessidades. Portanto, respeite os horários das refeições, aproveite que está em casa para cozinhar e se alimentar de modo saudável e equilibrado.

8 – Elimine as distrações

Uma coisa é fato: em casa existem mais distrações do que em um escritório. Entretanto, isso não precisa ser motivo de preocupação, desde que saiba eliminá-las do seu ambiente de trabalho. Televisão, rádio e notificações das redes sociais devem ser mantidos desligados. O único tipo de som que não atrapalha são aqueles criados especificamente para ajudar na concentração.

9 – Tenha acesso à internet de alta velocidade

Não existe home office sem internet, pois é através dela que profissionais de todas as áreas conseguem se comunicar com seus pares de trabalho, clientes, parceiros de negócios, além de realizarem mais uma série de tarefas. Desse modo, é muito importante que verifique a conexão que tem em casa e veja se a velocidade atual é capaz de suprir suas necessidades.

10 – Utilize aplicativos de gerenciamento de projetos

Uma ótima maneira de se manter organizado em relação às tarefas que precisa cumprir e seus prazos é usar aplicativos de gerenciamento de projetos. Trello, Asana, KanbanFlow e Bitrix24 são alguns exemplos. Grande parte deles oferece versões gratuitas, que são mais básicas, e pagas, com mais funcionalidades. Verifique qual está mais de acordo com o que precisa e mantenha a organização no trabalho.

É totalmente possível manter a produtividade no home office. Inclusive, se tiver disciplina, pode ser ainda mais produtivo em casa do que dentro de uma empresa, já que se trata de um ambiente em que você pode controlar as distrações, além de se cansar menos por não precisar se deslocar todos os dias.

Aproveite para compartilhar essas dicas com amigos que também estejam em busca de meios de aumentarem a produtividade no home office!

Fonte: https://www.jrmcoaching.com.br/blog/home-office-dicas-aumentar-produtividade/

Mapa Mental – Aumente sua produtividade

Mapa Mental – Aumente sua produtividade

Já percebeu que a desorganização pode ser um grande problema na realização de nossas tarefas diárias? Essa desorganização, que tanto nos atrapalha no dia a dia, pode ser do ambiente ou mesmo mental. 

Quando ela é física, ou seja, faz parte do ambiente, é fácil de dar um jeito, já que existem inúmeras ferramentas que podem ser utilizadas para melhorar o espaço, como caixas organizadoras, pastas de arquivo, ter um sistema de digitalizar documentos, devolver os itens para seus devidos lugares, entre outras técnicas.

Agora em se tratando de desorganização mental, você sabe o que fazer para lidar com isso? Você já reparou como isso afeta a nossa produtividade no dia a dia? Se repararmos bem, a desorganização mental pode ser percebida através da desorganização física dos ambientes em que vivemos. Quando ela se manifesta, um de seus reflexos será a bagunça mesmo do espaço em que estamos inseridos. 

Nesse sentido, se organizar mentalmente vai te ajudar também a ter espaços físicos mais organizados e vice-versa. Como falei, existem diversas técnicas para te auxiliar neste processo, entre elas está o mapa mental, que é assunto do artigo de hoje aqui do meu blog.

Continue comigo nesta leitura e saiba mais sobre esta poderosa ferramenta e como ela pode te ajudar a se organizar cada vez melhor em seu dia a dia!

O que é mapa mental?

Já reparou como a desorganização física pode te atrapalhar a realizar alguma tarefa de sua rotina. Isso acontece com as nossas ideias também e por isso que é muito importante conseguir se organizar mentalmente. 

Quando não há organização a possibilidade de perder o controle sobre atividades, pessoas, coisas, documentos, materiais, entre outros é muito maior. Se, por exemplo, você já teve uma grande ideia, ou planejou alguma coisa, mas não anotou, provavelmente se perderam no tempo ou caíram no esquecimento. 

Para evitar esse desperdício e para te ajudar a melhorar a sua rotina, vou te mostrar e ensinar um pouco sobre como o mapa mental pode contribuir para que  sua produtividade seja verdadeiramente potencializada em seu dia a dia. 

O mapa mental é um método de organizar ideias, imagens, palavras e pensamentos a partir de uma temática central. Seu objetivo principal é simplificar a compreensão de informações, contribuindo para o aumento do foco e da produtividade em diferentes tarefas no trabalho ou no dia a dia pessoal. Você pode desenvolver um mapa mental no papel, ou mesmo no seu celular, computador, tablet ou qualquer outro dispositivo de que disponha. 

A partir de uma ideia central, que você escreve em qualquer uma dessas ferramentas, você vai desenvolvendo ideias periféricas, ou fluxogramas, problemas e soluções, etc. Com todos esses desdobramentos, que surgem justamente de tal ideia, você é capaz de desenvolver um processo mais consciente, para a tomada de decisões.

Como falamos, a partir de uma ideia primária você vai desenvolvendo ideias e pontos correlatos e secundários. Claro que você pode fazer isso em um papel, mas dependendo da complexidade dessa ideia, pode ser necessário que você precise de muito papel e espaço, nesse caso a melhor saída é usar as telas digitais, que vão facilitar ainda mais esse processo.

Trata-se de uma técnica altamente eficaz, utilizada para facilitar e potencializar o aprendizado em diferentes contextos. O conceito de mapa mental foi criado em 1970, pelo psicólogo inglês Tony Buzan, com o intuito de facilitar a aprendizagem e a memorização, por meio da junção/organização de diversas informações em formato de diagrama.

Ou seja, o mapa mental é uma técnica para se organizar ideias, partindo do princípio de se utilizar uma estrutura de ramificações, que vai criar e demonstrar as associações que uma informação possui com a outra.

Benefícios dos mapas mentais

Já vimos alguns aspectos que demonstram a importância de se fazer um mapa mental. Mas vamos enumerar mais alguns para que você perceba a falta que o uso dessa ferramenta pode estar te fazendo no seu dia a dia, veja: 

  1. Facilitam a percepção e compreensão de inúmeros assuntos;
  2. Favorecem a memorização rápida;
  3. Auxiliam na organização de ideias e pensamentos;
  4. Ajudam no filtro de conceitos importantes;
  5. Favorecem o fluxo de ideias e a criatividade;
  6. Minimizam o estresse e a desmotivação, causada pela falta de organização e pelo acúmulo de informações recebidas diariamente;
  7. Aumentam a produtividade e a concentração;
  8. Reduzem substancialmente o tempo gasto com planejamento de projetos.

Dicas de como elaborar um mapa mental

Agora que você já conhece os benefícios que o mapa mental traz para a organização de ideias e informações, vou compartilhar com você um passo a passo, para que você possa começar a elaborar o seu agora mesmo. 

– Passo 1: Separe todos os materiais e objetos que você precisa para elaborar seu mapa mental. Você pode fazer uso de uma folha de papel, figuras e canetas coloridas, que favorecerão a compreensão do assunto a ser discutido no mapa.VOCÊ É FELIZ?

– Passo 2: Escolha o assunto ou o tópico principal que será discutido. Trata-se do tema central que será tratado no mapeamento mental. Faça disso o seu título do mapa e o escreva no meio da sua folha ou tela.

– Passo 3: Crie ramificações secundárias, com todas as ideias que serão desenvolvidas a partir do tema proposto inicialmente.

– Passo 4: É hora de desenvolver cada ideia proposta no passo anterior. Proponha conceitos, datas, prazos, definições e tudo aquilo que considera importante para seu mapa mental. O resultado deve ser uma espécie de gráfico hierárquico, em que, a partir de uma ideia central, são estabelecidos conceitos secundários, terciários e assim por diante. Separe cada um desses conceitos em cores diferentes, facilitando a visualização.

– Passo 5: Insira imagens, fotos, símbolos, formas, gráficos e todos os materiais relacionados a cada etapa do processo, deixando seu mapa ainda mais completo e com uma boa imagem de visualização.

– Passo 6: Revise e edite seu mapa mental sempre que possível. Pode-se considerar que ele nem sempre estará finalizado, pois a sua estrutura não linear permite que você adicione novas ideias ou informações sempre que precisar. Nesse sentido, é fácil adicionar novas ramificações sem que elas fiquem deslocadas do restante do material.

Seguindo esses passos que acabei de te mostrar, já dá para começar um excelente mapa mental, não é mesmo? Agora, vamos salientar algumas diretrizes que você deve considerar também antes de começar a fazer o seu mapa mental. Veja:

  1. Quando você for começar a criar o seu mapa mental, é importante ter em mente qual é a situação central que você deseja retratar, quais são as fontes que vão cercear essa situação e qual o objetivo dele. Para você entender melhor, pense no seguinte: a situação do seu mapa mental é entender um problema do seu trabalho mais a fundo, as informações secundárias serão os indicadores da empresa, que vai ser a sua fonte, e o seu objetivo com esse material é pensar em uma solução para o problema.
  2. O início do mapa mental se dá sempre com o título. Ele é o tema central do seu mapa. O ideal é escrever ele no meio da folha ou tela que você estiver utilizando. É recomendado fazer um círculo em volta dele.
  3. Com o título circulado do mapa mental, você deve começar a puxar ramificações, que serão as informações secundárias, que derivam do seu título. O ideal é escrever apenas uma palavra chave por ramificação. 
  4. É recomendado, também, utilizar várias cores diferentes para construir um mapa mental e que de certa forma se relacionem com o seu tema. Ainda, é bom associar ramificações que fazem parte do mesmo subtema com a mesma cor. Por exemplo, se você vai fazer um mapa mental sobre ideias para melhorar a reciclagem do lixo que é gerado na sua empresa, vale usar as cores da coleta seletiva de lixo, por exemplo, que são azul, verde, vermelho e amarelo. 
  5. Para melhorar ainda mais a visualização do seu mapa mental, você pode utilizar também recursos gráfico, isso vai auxiliar na associação de ideias e na memorização.
  6. O mapa mental é um método que você pode usar para tirar vários benefícios e, assim como qualquer outra atividade que você realize, quanto mais você treinar e realizar determinada atividade melhor será seu desempenho nela. Nesse sentido, quanto mais você praticar a elaboração de mapas mentais, melhor será a sua organização de ideias através desse método. 

Por que é bom fazer uso de um mapa mental?

Como já falei anteriormente, o mapa mental organiza ideias e conteúdos de maneira mais harmônica e de mais fácil compreensão. Além disso, existem outros pontos que se demonstram vantajosos sobre o uso do mapa mental! Vejamos:

  • É um modelo flexível: o mapa mental permite que você adicione novas ideias e informações sempre e não perca as anteriores.
  • É fácil de organizar e de lembrar: ele propõe que organizemos nossas ideias da mesma forma que o nosso cérebro faz, que é através de associações e, por isso, é mais fácil entender e memorizar as ideias que se coloca na ferramenta.
  • Oferece uma boa visualização das ideias: é recomendável incluir símbolos, imagens, setas, fluxos, desenhos, várias cores, etc. em um mapa mental, pois são artifícios que ajudam em uma melhor visualização e clareza das ideias. 
  • É bastante instintivo: fazer um mapa mental não tem uma fórmula única e que será igual para todas as pessoas, já que vai variar de acordo com as experiências de cada um. Por isso, ele é bastante instintivo, especialmente depois que você começa a fazer alguns. 
  • Possui clareza explicativa: o mapa mental é uma ferramenta que permite que as ideias sejam transmitidas de maneiras mais claras, isso pode facilitar bastante momentos de trabalhos em grupo, por exemplo. 
  • Pode ser colaborativo: fazer mapas mentais para melhorar a sua organização de ideias próprias é um excelente artifício, mas nada impede que ele seja feito por várias pessoas. Nesse sentido, o mapa mental se mostra uma excelente ferramenta de trabalho em equipe, inclusive, nesse caso, é possível adquirir diversas perspectivas sobre a ideia central na qual se está trabalhando.

Diferentes aplicações dos mapas mentais

Ao contrário do que muitos pensam, o mapa mental não é aplicado somente no ambiente organizacional. Confira outras situações em que o método pode ser muito útil:

Para estudantes

Os mapas mentais são ótimos aliados na construção de planos de estudos para concursos e provas, e para a preparação de trabalhos, seminários e apresentações, ou mesmo para se fazer anotações em salas de aulas, substituir o caderno e para memorizar palestras, seminários e discursos.

Desenvolvimento pessoal

Os mapas contribuem na construção de um planejamento pessoal, lista de prioridades, definição de objetivos e metas, solução de problemas, planilha de orçamentos, entre outras coisas do âmbito pessoal.

Gestores e líderes

O mapa mental pode auxiliar um líder na elaboração de projetos, delegação de tarefas, diretrizes organizacionais, atividades rotineiras, reuniões, planejamento e urgências, definir metas de curto, médio e longo prazo para um objetivo, encontrar soluções, diagnosticar a causa de um problema e por aí vai.

Profissionais

Os mapas mentais podem contribuir na distribuição das tarefas diárias, controle das atividades executadas, organização de projetos, estímulo da criatividade e produtividade, fazer brainstorming, entre outros.

Organização pessoal, social ou familiar

Os mapas mentais podem ser ótimos aliados para o controle de despesas, lista de orçamentos, compras mensais, organização e distribuição de tarefas domésticas e melhor controle da rotina familiar.

E você, já criou ou desenvolveu algum mapa mental? Em que situações ele foi útil para você? Se ainda não fez um mapa mental, depois desse artigo pretende usar? Aproveite e deixe aqui seu comentário sobre o que achou deste conteúdo e compartilhe esse conhecimento com seus amigos em suas redes sociais. 

Fonte: https://www.jrmcoaching.com.br/blog/mapa-mental-aumente-sua-produtividade/

Antes de dormir – O que eu posso e o que não posso fazer?

Antes de dormir – O que eu posso e o que não posso fazer?

Ter uma boa noite de sono é essencial para acordar com disposição pela manhã para encarar todas as atividades que vêm pela frente. Contudo, para conseguir relaxar e dormir durante as horas recomendadas, é preciso considerar alguns pontos muito importantes, que inclui coisas que devem ser feitas e outras a serem evitadas. Continue acompanhando e saiba quais são.

A importância do sono para uma vida saudável e equilibrada

Se formos parar para pensar, veremos que a natureza é perfeita. O nosso corpo é preparado para desfrutar do dia e de sua luz e repousar quando a noite finalmente chega. Não é à toa que conseguimos relaxar melhor no escuro, porque fomos programados para funcionar dessa maneira.

Existem pessoas que se sentem bem dormindo seis horas por dia, outra sete, oito, até nove. Mas, mesmo com essa variação, todos temos essa necessidade básica que precisa ser suprida diariamente. Dormir, comer, ingerir água, são necessidades igualmente importantes e sem as quais não conseguiríamos viver. Para entender melhor a importância do sono, veja cinco razões pelas quais ele é essencial.

1 – Sono de qualidade é sinônimo de concentração e produtividade

Uma pessoa que está devidamente descansada consegue se concentrar com muito mais facilidade do que aquela que está cansada por não ter conseguido dormir como deveria. Experimente realizar uma tarefa quando estiver com sono e comprovará essa informação.

2 – O sono influencia na alimentação

Pessoas que não dormem o suficiente tendem a ingerir mais calorias do que deveriam por conta das variações hormonais que sofrem ao longo do dia. Assim, aquelas que suprem essa necessidade com sucesso conseguem manter o peso com mais facilidade.

3 – O sono insuficiente está ligado à depressão

Especialistas estimam que cerca de 90% das pessoas que sofrem de depressão enfrentam problemas para dormir. Dessa forma, zelar pela qualidade do seu sono também é uma forma de evitar a doença.

4 – Sono de qualidade fortalece o sistema imunológico

O sistema imunológico é a defesa do organismo, é ele que combate as substâncias nocivas causadoras de doenças. Uma informação interessante é que a ausência de sono pode enfraquecê-lo. Então, se deseja reduzir suas chances de adoecer é bom zelar pela qualidade do seu descanso.

5 – A qualidade do sono afeta aspectos emocionais e sociais

Pessoas que dormem mal passam o dia sonolentas, o que prejudica diretamente suas emoções e a forma de se relacionar com os demais. Isso corre porque a falta de sono compromete a capacidade do indivíduo de identificar sinais e expressões importantes para a interação social.

Como se pode ver, o sono influencia em praticamente todos os aspectos da vida de uma pessoa e, por isso, é essencial que todos busquem medidas para dormirem o suficiente todos os dias.

O que fazer antes de dormir para ter uma boa noite de sono?

Existem algumas medidas que podem te auxiliar a ter noites de sono reparadoras para que acorde no dia seguinte com muita energia e disposição, confira!VOCÊ É FELIZ?

Ter horários para dormir e acordar – O cérebro humano gosta de rotina e, mesmo que não a tenha em suas tarefas do dia a dia, é importante que preze por ela na hora de dormir. Deitar-se em um dia meia noite e no outro as três da manhã desregula o seu organismo e faz com que encontre dificuldades para adormecer.

Manter o quarto confortável – O conforto é um aspecto fundamental para o sono, afinal, é importante que esteja um ambiente agradável e aconchegante. Para isso, verifique seu colchão, mantenha as roupas de cama limpas e cuide para que as cortinas estejam cortando a luz para deixar o local escuro e propício ao relaxamento.

Praticar atividades físicas regularmente – A temperatura do corpo de um indivíduo que se exercita costuma ser mais baixa e ele tem uma maior necessidade de repor suas energias. Isso induz o sono e faz com que se durma melhor.

Meditar – Uma prática que pode trazer muitos benefícios para ter boas noites de sono é a meditação. Cerca de dez minutos antes de dormir já é o suficiente para que a sua mente e o seu corpo relaxem e possam adormecer com tranquilidade.

Anotar coisas que estejam te preocupando – Sempre que se deitar e perceber que está preocupado com coisas que tem para resolver no dia seguinte, anote tudo em um bloco do notas. Assim, sua mente saberá que as informações estão bem guardadas e que poderá descansar.

O que evitar antes de dormir?

Assim como existem atitudes que podem beneficiar o sono, outras podem prejudicá-lo. Veja, a seguir, o que deve evitar fazer antes de se deitar.

Ingerir café, álcool e substâncias estimulantes à noite – Essas substâncias devem ser evitadas porque são altamente estimulantes e atrapalham o relaxamento da mente. Se você não abre mão de café, por exemplo, prefira tomar durante o dia, sem exagerar e parando de ingerir a partir das seis horas da tarde.

Comer alimentos de difícil digestão no jantar – As escolhas que você faz no jantar também podem comprometer a qualidade do seu sono, já que o corpo precisa se esforçar mais para digerir alimentos pesados. Portanto, prefira opções mais leves e nas porções adequadas, evitando a sensação de estufamento.

Mexer no celular ou assistir TV no quarto antes de dormir – A luz emitida pela tela da TV e dos smartphones é bastante estimulante, quanto mais tempo passar assistindo antes de dormir, mais o sono irá demorar a vir.

Olhar para o relógio ao perder o sono – Quando perder o sono de madrugada, evite olhar para o relógio, pois isso fará com que se sinta ansioso ao calcular que falta X horas para se levantar.

Dormir menos horas do que o seu corpo precisa – Embora seja divulgado que o ideal é dormir oito horas por dia, a verdade é que isso pode variar de acordo com as necessidades de cada indivíduo. Contudo, é muito importante que respeite o seu corpo. Caso perceba que precisa realmente das oito horas, dormir apenas cinco pode te causar problemas.

Como são os seus hábitos de sono? Consegue dormir com facilidade ou sofre com insônia? Compartilhe sua experiência nos comentários abaixo e compartilhe essas dicas em suas redes sociais!

Fonte: https://www.jrmcoaching.com.br/blog/antes-dormir-que-eu-posso-que-nao-posso-fazer/

BAIXAR O PDF
close-link